Partido entra em conflito com jornal e instituto de pesquisa

O partido Solidariedade vai acionar a Justiça para tentar impedir que o IBOPE divulgue uma pesquisa da Tribuna do Norte que omitiu o nome de Breno Queiroga do questionário de pré-candidatos ao Governo do Rio Grande do Norte.

Para o partido, a omissão do nome de Breno é um equívoco que macula a qualidade da pesquisa.

“O IBOPE é um instituto respeitado e a omissão do nome do pré-candidato de um partido com relevância estadual, como é o Solidariedade, afeta o resultado final do questionário. Breno será o primeiro pré-candidato com a candidatura homologada em Convenção, na próxima sexta, 20, e o Solidariedade lançará mais de 45 candidatos aos mais diversos cargos na eleição deste ano. Breno viajou a inúmeras cidades nos últimos 15 dias, construindo seu nome numa parcela significativa da opinião pública”, explica o presidente estadual do Solidariedade, deputado estadual Kelps Lima.

O próprio jornal Tribuna do Norte, que fez a pesquisa junto ao IBOPE, já havia noticiado o nome de Breno como um dos pré-candidatos da eleição, no dia 4 de julho, conforme está registrado na internet – http://www.tribunadonorte.com.br/noticia/maioria-dos-partidos-deixa-as-convena-a-es-para-agosto/417495

Compartilhe:

CNJ determina que TJ/RN apure morosidade no julgamento da Operação Sal Grosso

Sal Grosso
Operação Sal Grosso completa 11 anos em novembro

Blog do Carlos Santos

O Conselho Nacional de Justiça  (CNJ), provocado pelo Sindicato Intermunicipal dos Trabalhadores na Indústria da Construção Civil em Geral, Leve e Pesada (SINTRACOM/RN), determinou à Presidência do Tribunal de Justiça do RN (TJRN) que apure “eventual morosidade injustificada” de um processo relativo à “Operação Sal Grosso”.

O despacho do CNJ foi assinado no último dia 12. A Presidência do TJRN tem 60 dias para levantar o porquê do não julgamento da demanda sob o número 0004515-44.2008.8.20.0106. A partir daí, deverá enviar suas conclusões para a Corregedoria do próprio CNJ.

A matéria está conclusa ao relator-desembargador Gilson Barbosa Albuquerque, desde o dia 26 de abril deste ano, às às 17h38, na Terceira Turma Criminal do TJRN, da qual fazem parte ainda os desembargadores Francisco Saraiva Sobrinho e Glauber Rêgo. Tem o parecer da Procuradoria Geral de Justiça (PGJ) desde então.

Em sua “Representação por excesso de prazo”, o Sintracom/RN assinala que “está pendente de julgamento recurso de apelação há mais de 2 (dois) anos.”

Dificuldade de informação

O próprio CNJ admite que “não foi possível consultar o extrato do processo no site do TJRN”. Em face disso, entendeu ser necessário que a denúncia seja apurada.

A Operação Sal Grosso foi deflagrada pelo Ministério Público do RN (MPRN) em Mossoró no dia 14 de novembro de 2007. Caminha para completar 11 aninhos de aniversário este ano.

Teve como foco a legislatura da época na Câmara Municipal de Mossoró.

Nesse processo, especificamente, é narrado que através da contratação de empréstimos consignados por parte dos vereadores junto à Caixa Econômica Federal (CEF), vários vereadores se beneficiavam da vantagem pecuniária, mas a Câmara Municipal de Mossoró é quem teria coberto as obrigações.

O juiz Cláudio Mendes Júnior, da 3ª Vara Criminal da Comarca de Mossoró, condenou no dia 07 de novembro de 2016 os atuais vereadores Izabel Montenegro (MDB) e Manoel Bezerra de Maria (PRTB), além dos ex-vereadores Gilvanda Peixoto, Júnior Escóssia, Claudionor dos Santos, Daniel Gomes, Aluizio Feitosa, Benjamim Machado e Osnildo Morais.

As sanções contra os condenados são estas: cinco anos e quatro meses de reclusão e vinte e seis dias multa no valor de dois salários mínimos cada, valor que deverá ser atualizado, quando da execução, pelos índices de correção monetária (art. 49, § 2º).

Um agravante para a atual presidente da Câmara Municipal, Izabel Montenegro, além de Manoel Bezerra de Maria, é a tendência a perda de mandato eletivo atual, em face de decisão em segundo grau.

Na mesma decisão, o judicante inocentou os ex-vereadores Renato Fernandes, Francisco José Junior e Francisco Dantas da Rocha (“Chico da Prefeitura”).

 

Compartilhe:

Saúde da Rosa: da promessa de consultas marcadas por aplicativos ao caos das filas humilhantes

Pessoas precisam chegar 5h para tirar fichas às 13h
Pessoas precisam chegar 5h para tirar fichas às 13h

O PAM do Bom Jardim esteve em situação de caos na manhã de hoje. A situação no equipamento de saúde que nunca foi boa se tornou ainda pior desde que os terceirizados saíram por não suportarem estratosféricos oito meses sem receber salários.

As  filas humilhantes contrastam com a promessa de campanha de fazer a marcação de consultas e exames por aplicativo.

Eles eram os responsáveis pela marcação dos exames. O serviço era feito em dois horários as 7h e às 13h.

Com a saída dos terceirizados os exames agora só são marcados às 13h. No entanto, quem precisa dos serviços precisa chegar às 5h ficando na fila até às 13h quando os exames começam a ser marcados numa rotina extenuante. “Isso acontece todos os dias. Desde quando os terceirizados saíram. É difícil ver pessoas chegando de 5h 6h da manhã e esperar até 13h”, relatou um servidor municipal.

O servidor ainda relatou que ouviu um cargo comissionado dizer que a culpa do tumulto é de quem chega nesse horário (5h).

Ele conta ainda que as filas começavam por volta das 10h, mas diante do número reduzido de filas para a marcação dos exames as pessoas começaram a chegar bem mais cedo. “Se chegar tarde não consegue”, frisa.

PROMESSA

Durante a campanha a então candidata Rosalba Ciarlini (PP) prometeu que na quarta gestão dela como prefeita as consultas e exames seriam marcados por um aplicativo de Internet. Até agora a promessa ficou na propaganda eleitoral abaixo.

Compartilhe:

Governo depende de acordo com Banco do Brasil para quitar o 13º de 2017

Em entrevista ao programa Bom Dia Cidade de Natal o governador Robinson Faria (PSD) informou que o restante do 13º salário de 2017 depende de um acordo com o Banco do Brasil. “Estamos finalizando uma tratativa que está acontecendo com o Banco do Brasil para ficar 100% em dia”, frisou.

Os recursos são provenientes de antecipação das receitas dos royalties da Petrobras.

Compartilhe:

Arrecadação do IPTU aumenta 86,27% no primeiro semestre

Sujeira nas imediações do PAM do Bom Jardim. Qualidade dos serviços não acompanha arrecadação
Sujeira nas imediações do PAM do Bom Jardim. Qualidade dos serviços não acompanha arrecadação.

A fúria arrecadadora da prefeita Rosalba Ciarlini (PP) segue em marcha célere. Comparando o primeiro semestre de 2017 com o mesmo período de 2018 as receitas do Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU) subiu 86,27%.

Ano passado a arrecadação entre janeiro e junho foi de R$ 5.612.985,39. Este ano no mesmo período R$ 8.044.652,63.

O curioso nisso tudo é que esse avanço na arrecadação do tributo é fruto de um planejamento realizado na gestão de Francisco José Junior (PSD) que investiu num trabalho de georreferenciamento dentre outras identificando os terrenos onde foram construídos imóveis.

Buracos na Avenida Senador Petrônio Portela no Abolição IV
Buracos na Avenida Senador Petrônio Portela no Abolição IV

No entanto, o pecado da prefeita foi desfazer a estratégia inicial do antecessor que planejava um aumento escalonado do IPTU em até dez anos em alguns casos. A prefeita preferiu impor o aumento de uma só vez gerando um prejuízo ao contribuinte.

Houve casos que o IPTU subiu 600%. Resultado: a inadimplência subiu 64,65% em 2017 segundo noticiou o jornalista Carlos Santos em março deste ano.

A saída da prefeita para conter a inadimplência foi aprovar na Câmara Municipal um projeto que autoriza o município a fichar os inadimplentes do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) e no Serasa.

O esforço para fazer a arrecadação subir não traz os resultados esperados pelo contribuinte. Os 86,27% arrecadados a mais no primeiro semestre não se converteram em 86,27% de melhoria na qualidade nos serviços de limpeza urbana, calçamento de vias e infraestrutura. São constantes as reclamações da população em programas de rádio e redes sociais.

Compartilhe:

Prefeitura não consegue mostrar o que faz com dinheiro arrecadado com multas de trânsito

Na semana passada o Blog do Barreto revelou (ver AQUI) que a Prefeitura de Mossoró aumentou em 118% a arrecadação com multas de trânsito.

A reação da comunicação foi apresentar dados dos tipos de infrações mais comuns com destaque para as multas por falta de uso do cinto de segurança que correspondem a 24,17%.

No entanto, a Prefeitura de Mossoró em nome da transparência poderia muito bem divulgar através de sua assessoria de comunicação o que faz, por exemplo, com o dinheiro arrecadado com multas.

Esse dinheiro é convertido em quê?

Qual o seu destino?

Seria de bom alvitre explicar isso.

Vale lembrar que as reclamações de buracos na cidade são constantes nos programas de rádios e redes sociais. Se o dinheiro das multas estiver sendo destinado para resolver este problema já seria um avanço.

Fica a dica.

Compartilhe:

Gerente municipal informa que câmeras ainda não estão sendo usadas para multar no trânsito de Mossoró

WhatsApp Image 2018-07-16 at 13.32.05

O gerente executivo de fiscalização do trânsito municipal Barra Neto informou no Meio-Dia Mossoró (95 FM) que as câmeras instaladas nas vias da cidade ainda não servindo para aplicar multas.

Segundo ele explicou os servidores ainda estão passando por um treinamento e período de adaptação. “Quando as câmeras começarem a ser usadas para notificação será feita uma ampla campanha nesse sentido”, explicou.

Ele disse ainda que 32 câmeras serão espalhadas pela cidade.

Compartilhe:

Uma candidatura retirada sem necessidade de anúncio

Fábio Dantas tem sonho antigo de chegar ao TCE (Foto: José Aldenir / Agora Imagens)
 (Foto: José Aldenir / Agora Imagens)

Quem apostou na candidatura de Fábio Dantas (PSB) ao Governo do Estado se deu mal. Ele mesmo é o maior prejudicado com a estratégia de romper com Robinson Faria (PSD) se convertendo em um vice-governador dissidente.

Fábio foi para o PSB com a garantia de ter um palanque para ser candidato ao Governo com a estrutura do PSDB. O tucanato potiguar preferiu ficar com Robinson deixando o neossocialista isolado.

Durante todo o período Fábio deu traço nas pesquisas. De repente ele sumiu da mídia.

A candidatura de Fábio nasceu para ser retirada e só ele não sabia disso.

Nem precisou de anúncio formal.

O PSB busca desesperadamente um lugar para salvar os mandatos de Rafael Motta e Ricardo Motta na proporcional.

Compartilhe: