Cidadania em Mossoró surfa na hipocrisia e faz turismo fora da realidade

Cada surfe de Francisco José Junior era motivo de piadas. A viagem da prefeita é um silêncio sem graça
Cada surfe de Francisco José Junior era motivo de piadas. A viagem da prefeita é um silêncio sem graça

Mossoró é um lugar estranho. Parece um romance de realismo fantástico escrito por Gabriel Garcia Marquez. Entre dezembro de 2013 e dezembro de 2016 a cidade viveu um surto de cidadania em que cada passo da gestão municipal era fiscalizado e denunciado com fervor nas redes sociais. Era uma cruzada moralista impressionante.

Pura hipocrisia, infelizmente!

Quer um exemplo? Eu dou.

Quando prefeito, Francisco José Junior era ridicularizado porque tem como hobby surfar. Era como se eu, você e os críticos da gestão dele não tivessem algum passatempo nos momentos de folga.

Cada surfe dele recebia uma sequência interminável de posts nas redes sociais, memes com piadas de mau gosto e críticas na mídia.

Agora, a prefeita Rosalba Ciarlini faz turismo pela Europa e Ásia numa viagem suntuosa em momento de crise tão grave quanto nos tempos do antecessor. A mídia faz silêncio, não há memes nem muito menos críticas.

Nem parece que a viagem da prefeita impediu o retorno das atividades da Câmara Municipal, atrasando a votação do reajuste do piso dos professores.

O silêncio sobre a vigem da prefeita surfa na hipocrisia de quem tolera tudo da chefe do executivo municipal, mas não aceitava nada do antecessor. O prefeito surfista não é diferente da prefeita turista ainda mais se a crise parece crônica.

A cidadania em Mossoró faz turismo fora da realidade de uma cidade que segue com os mesmos problemas de sempre. Em tempo: na Escola Municipal Genildo Miranda, localizada na Comunidade de Alagoinha, os pais não estão levando os filhos para aulas quando chove alegando que as paredes dão choque.

Os dois pesos e duas medidas não são apenas da imprensa, mas também de uma sociedade que só é cidadã quando não gosta de quem está no poder.

O pau que não bate na Rosa, batia em Francisco.

Nota do Blog: escrevo esse texto com a autoridade moral de quem critica a mídia natalense por ser muito mais branda com o governador Robinson Faria do que nos tempos de Rosalba Ciarlini.

Compartilhe:

Robinson escolhe polarizar com Carlos Eduardo e ignora Fátima

robinson-carlos-fatima

O governador Robinson Faria (PSD) tem chances remotas de ser reeleito em 2018, mas pelo visto já escolheu quem quer ver derrotado no pleito deste ano: o prefeito de Natal Carlos Eduardo (PDT).

Os ataques são constantes e por várias frentes. Estratégico, o governador não abre a boca no duelo verbal. Terceiriza o trabalho. Ora usa a mídia parceira, ora coloca o bambino Fábio Faria (PSD), quando decide dar as caras no Rio Grande do Norte, para atacar Carlos Eduardo.

A mídia faz o trabalho mais duro atacando o vice-prefeito de Natal Álvaro Dias (MDB), maquinista do fantasmagórico “trem da alegria” da Assembleia Legislativa quando presidiu a casa nos anos 1990. Álvaro além de ter dez parentes nos quadros da casa, assinou os atos secretos cujos questionamentos se arrastam como almas penadas acorrentadas pelos corredores do judiciário.

Álvaro Dias é a pedra no sapato do projeto político do prefeito de Natal. O caicoense é um vice-prefeito prestes a ser promovido ao comando da capital do sofrido elefante sem qualquer identidade política com a cidade e tem o nome marcado por esses escândalos.

Carlos Eduardo, por sua vez, não tem usado subterfúgios, muito embora não ataque diretamente o governador. Ele preferiu ir ao Twitter detonar um jornal da capital.

Enquanto isso, a senadora Fátima Bezerra (PT), que lidera as pesquisas com baixa intenção de votos, vem sendo poupada do duelo político. Bom para ela assistir de camarote potenciais rivais brigando na mídia. Em outro cenário essa eventual polarização seria ruim para a petista, mas como se trata de governantes com baixa popularidade ser ignorada é um ótimo negócio.

EXEMPLO

Em 2002, Lula deitou e rolou vestindo a fantasia de “Lulinha paz e amor” enquanto José Serra e Ciro Gomes se atacavam para ir ao segundo turno.

O resto da história todos conhecem. Repeti-la no Rio Grande do Norte é outra história que ainda estar a ser escrita.

Compartilhe:

Futuro do grupo de Sandra Rosado depende de julgamento em Recife

O julgamento do recurso da vereador Sandra Rosado (PSB) no Tribunal Regional Federal da 5ª Região será um divisor de águas para o futuro político do grupo dela nas eleições deste ano. Esse foi o tema do nosso comentário no Bom Dia Mossoró (TCM) de hoje. Ela foi condenada ano passado a nove anos e dois meses de prisão por desvios de recursos na Associação de Assistência e Proteção à Maternidade e à Infância de Mossoró (Apamim).

Compartilhe:

“Baixaria” deve dar o tom na campanha de 2018 no RN

briga-de-rua

O eleitor potiguar está cansado das mesmas propostas inexequíveis de sempre. A verdade que restará aos candidatos ao Governo do Estado será a desconstrução dos adversários que o “povão” costuma chamar de “baixaria”.

Antes de dar sequência ao texto, é preciso compreender, sem puritanismo político, é preciso entender que a desconstrução dos adversários pertence ao processo eleitoral com legitimidade.

É importante para o eleitor saber os “podres” dos candidatos. Não vale mentiras, logicamente. Aí é um caso para ser discutido em nível de Justiça Eleitoral com o eleitor fazendo a parte dele com a devida censura nas urnas.

Há em curso um embate político de ataques fomentado na mídia natalense formatando uma polarização entre o prefeito de Natal Carlos Eduardo Alves (PDT) e o governador Robinson Faria (PSD). Cada um deles com o próprio aparato de mídia ao seu lado ataca sem dó (farei um texto específico sobre esse assunto).

Temas incômodos são exumados para constranger um e outro. Novidades também aparecem. Já sobrou até para o empresário mossoroense Tião Couto que está de saída do PSDB após problemas internos com o presidente da Assembleia Legislativa Ezequiel Ferreira, que comanda a legenda no Rio Grande do Norte.

Há munição de lado a lado. Praticamente toda elite política do Rio Grande do Norte foi aliada em algum momento. Não só os “podres” como os pontos fracos de cada um são conhecidos em detalhes de parte a parte.

Tapem as narinas!

Compartilhe:

Robinson busca reconstrução política trilhando os caminhos do desgaste

robinson2-1024x705

O governador Robinson Faria (PSD) não pode desistir da segurança pública nem deve. A questão dos salários do funcionalismo, idem. Mas a forma como essas ações são trabalhadas não podem reproduzir os estragos políticos e administrativos de sempre.

Robinson Faria não tem direito de errar.

O governador ainda sonha com uma cada vez mais distante reeleição, mas tem direito de acreditar que milagres acontecem na política muito embora tenha no vice-governador Fábio Dantas (PC do B) uma alternativa.

Na sexta-feira o governo vai trazer novidades na área de segurança em Mossoró, cidade cuja dívida eleitoral está rolando com juros e correção monetária desde 1º de janeiro de 2015. Robinson insiste em ter na segurança um carro-chefe de seu governo. Até aqui o tiro tem saído pela culatra.

Em outra frente, Robinson que um dia prometeu ser “parceiro” dos servidores estaduais agora acena com salários em dia nos próximos 60 dias após mais de 20 meses descumprindo a Constituição Estadual que determina o pagamento da folha dentro do mês trabalhado. A proposta é difícil de ser cumprida a não ser que o governador tenha no gatilho um aporte financeiro extra para pagar a folha. Até aqui as tentativas fracassaram e geraram falsas expectativas.

Ao contrário de Michel Temer que mudou de assunto trocando o discurso “reformista” pelo combate ao crime organizado, Robinson tenta reverter o desgaste que o persegue há três anos trilhando o mesmo caminho que o tornou o governador mais impopular da história do Rio Grande do Norte.

Se a história se repetir será consumada a insistência no erro, com o acréscimo do nada honroso termo “farsa eleitoral”.

Compartilhe:

Julgamento de Sandra Rosado está com data indefinida

Deputada-Sandra-Rosado-Relatora-500x250

O julgamento do recurso da vereadora Sandra Rosado (PSB) no Tribunal Regional Federal da 5ª Região está sem data definida. Chegou a ser anunciado que seria no dia 20 de fevereiro, ontem.

Na verdade, houve, sim, análise do processo que envolve a parlamentar. No entanto, nada que envolva diretamente o nome dela. Foram analisados desbloqueios de bens de um dos réus identificado como Samuelson Pinto Dantas Diniz que teve os bens liberados e foi absolvido.

Os recursos de Sandra e de outras nove pessoas condenadas serão analisados em uma nova data.

A vereadora foi condenada a 9 anos e dois meses de prisão por apropriação indevida de recursos federais da Associação de Assistência e Proteção à Maternidade de Mossoró (APAMIM). Ela e outras nove pessoas foram acusados de desviar mais R$ 700 mil.

Para saber mais sobre a sentença de Sandra clique AQUI

Compartilhe:

Caicó descobre uma nova espécie da fauna política do RN: o plagiador de discursos

BATATA-MENSAGEM-696x464

A fauna política Rio Grande do Norte é pródiga espécies raras e outras nem tão incomuns. Temos o deputado PG (Partido do Governo), a bancada da Assembleia Legislativa, o ladrão, o que rouba e deixa roubar, o preguiçoso, que não sabe de nada, o carola “namorador” e agora o plagiador de discursos.

Coube ao prefeito de Caicó, Batata, ser a primeira descoberta dessa espécie rara. Na leitura da mensagem anual ele plagiou o discurso feito em 2015 pelo prefeito de Salvador ACM Neto.

O plágio passaria despercebido se não fosse a bobeira comum aos preguiços: “cozinhar” o texto alheio sem atenção.

O discurso impresso entregue aos presentes começava com um inconfundível “Prezadas amigas e amigos soteropolitanos”.

Vergonha alheia!

Compartilhe: