Câmara aprova requerimento de Genivan que pede esclarecimentos sobre doação de recursos para obra religiosa

Genivan santa

O vereador Genivan Vale (PDT) apresentou requerimento solicitando ao Secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Agricultura e Turismo, Renato Fernandes, uma cópia do contrato ou termo de doação dos R$ 15 milhões para a construção do Complexo Turístico Santa Luzia. O requerimento foi aprovado por unanimidade.

Os recursos necessários para a construção do complexo turístico foram doados, segundo a Prefeitura Municipal de Mossoró, por uma única pessoa, o empresário pernambucano Antônio Pacheco.

“Chama atenção que a empresa ETRS Estudos Ambientais, que fará o aporte financeiro para edificação do Complexo Turístico Religioso de Santa Luzia, tem capital social de R$ 100 mil, ou seja, menos de 1% do valor que será doado para o santuário”, observa Genivan Vale.

Além da empresa ETRS Estudos Ambientais, o empresário Antônio Pacheco também é sócio de outra empresa. No entanto, juntas as duas possuem capital social de R$ 300 mil, bem aquém do valor a ser doado. “Como um empresário tem empresas com capital de R$ 300 mil e tem R$ 15 milhões para doar? É preciso que isso seja melhor explicado”, pondera.

Vereadores querem que Câmara devolva à Prefeitura recursos não usados em verba de gabinete

Um grupo de vereadores articula pressionar o presidente da Câmara Municipal Jório Nogueira (PSD) para que ele devolva os recursos de dois meses da verba de gabinete não utilizados por determinação do Tribunal de Contas do Estado (TCE).

Os parlamentares entendem que esses recursos não podem ficar parados no legislativo e podem ser melhor aplicados na Prefeitura de Mossoró. O vereador Genivan Vale (PDT) é um dos defensores da ideia.

Mas para o presidente Jório Nogueira não é possível porque os recursos já foram descontados em um débito que existe entre a Câmara e o município. “Se eles comprovarem que o dinheiro está na casa eu faço questão de devolver hoje”, frisou.

Rosalba reúne grande número de militantes, mas mostra fraqueza em termos de alianças

A ex-governadora Rosalba Ciarlini (PP) reuniu ontem um grande número de militantes no mítico Sítio Cantópolis às margens da Avenida Leste Oeste.

Nos discursos ela fez críticas ao prefeito Francisco José Junior (PSD) e falou em realizar um governo de reconstrução. Também foi apresentado o plano de ações nas redes sociais.

Se por um lado o rosalbismo comemora o sucesso de público, por outro o sinal de alerta deve ser ligado.

O evento trouxe a militância orgânica e apoiadores tradicionais como o ex-vereador Chico da Prefeitura (PP) e o vereador Francisco Carlos (PP). Surpresa seria se eles tivessem ausentes.

O ex-deputado estadual Leonardo Nogueira (DEM) e as ex-prefeitas Fafá Rosado (PMDB) e Cláudia Regina (DEM) foram as ausências anotadas. De fora do rosalbismo tradicional apenas Franklin Robson (PT do B) que é um pré-candidato a vereador jamais testado nas urnas.

O rosalbismo até aqui vai carecendo de um número maior de aliados até mesmo porque vai precisar de um número maior de apoiadores.

Foto: assessoria PP.

Beto Rosado confirma distanciamento político entre Cláudia Regina e o rosalbismo

Beto no meio dia

Hoje no Meio-Dia Mossoró da 95 FM o entrevistado foi o deputado federal Beto Rosado (PP) que ao ser questionado a respeito das relações entre a ex-prefeita Cláudia Regina (DEM) e o rosalbismo confirmou o distanciamento.

Sem esconder admiração pela ex-prefeita de quem foi subordinado quando comandou a pasta da agricultura, o deputado federal disse que o distanciamento começou a partir do momento em que Cláudia votou contra o direito de reeleição da ex-governadora Rosalba Ciarlini durante a convenção do DEM em 2014. “Cláudia Regina deixou muito clara a posição dela ao ir a Natal e votar contra o desejo de Rosalba disputar a reeleição”, declarou.

Apesar do distanciamento, Beto Rosado disse acreditar em um entendimento com Cláudia por conta as históricas afinidades política. “O nosso povo se confunde com o dela”, completou.

Sandrismo

O discurso em relação ao grupo de Sandra Rosado (PSB) já é bem diferente. Para ele há dificuldades em juntar as militâncias. “Continuo com o mesmo discurso. Eles foram nossos adversários por muitos anos. A nossa militância sempre foi oposição. Acho difícil uma aliança com o grupo político de Sandra”, ponderou.

CONTRADIÇÃO

O deputado reconheceu que há contradição política quando o rosalbismo abre diálogo com a ex-governadora e vice-prefeita de Natal Wilma de Faria (PT do B). Segundo o parlamentar está sendo levada em consideração o reforço no tempo de TV e a formatação de uma nominata forte para a chapa proporcional. “Vejo contradição, mas estamos falando de campanha, de partidos e estrutura política”, declarou.

Ele disse ainda que é natural que candidatos busquem aliados. “Nós nos encontramos no início de um processo eleitoral. É natural que existam conversas. Numa campanha política o tempo de TV é medido pela representatividade dos partidos. Toda a articulação de uma campanha passa pela junção de procurar aliados”, concluiu.

Gutemberg Dias define pré-candidatura a prefeito

O presidente do Comitê Municipal do Partido Comunista do Brasil (PCdoB/Mossoró), Gutemberg Dias, utilizou as redes sociais durante o final de semana para anunciar sua pré-candidatura na disputa pela Prefeitura de Mossoró, durante as eleições deste ano.

“Uso esse espaço para dizer que a partir de hoje estou pré-candidato a prefeito de Mossoró”, afirmou através de publicação no Twitter, no sábado, 25.

A confirmação, no entanto, depende da deliberação do Partido, durante a convenção. “Só não serei candidato se o coletivo do PCdoB entender que outros caminhos devam ser trilhados. Até lá meu nome está no tabuleiro partidário”, acrescenta Gutemberg Dias.

Desde o início de junho o PCdoB/Mossoró está se reunindo com representantes de outras siglas políticas para discutir a possibilidade de alianças para disputar a majoritária e a proporcional no pleito deste ano. As discussões ainda não foram finalizadas.

 

Governador segue evitando Mossoró

Essa imagem sempre foi uma constante em Mossoró em tempos de Cidade Junina. Robinson Faria (PSD) nunca perdeu a oportunidade de ficar mais conhecido por estas bandas.

A primeira motivação seria o temor de protestos e ter a imagem associado ao prefeito Francisco José Junior (PSD) que está impopular. Na outra ponta circula uma segunda versão. O governador estaria cada vez mais propenso a subir no palanque da ex-governadora Rosalba Ciarlini (PP).