A casa dos privilégios

Se o Senado é o céu como dizem os políticos, o Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Norte (TCE/RN) é uma espécie de sucursal do paraíso no sofrido elefante.

Lá é o lugar que abriga todos os tipos de apadrinhados políticos.

Dos parentes aos agregados.

O TCE/RN vez por outra condena um prefeito de cidade pequena a devolver alguns trocados aos cofres públicos.

E só.

Agora o pretenso órgão auxiliar da Assembleia Legislativa quer elevar os salários dos conselheiros para R$ 35,6 mil. Tudo isso num Estado cujo o poder executivo busca medidas para interromper o ciclo de atrasos na folha de pagamento que se arrasta desde 2013.

O atual salário base de um conselheiro do TCE/RN é de R$ R$ 30.471,11. Mas pode chegar a mais de R$ 50 mil dependendo das vantagens somadas aos penduricalhos.

Justo o TCE, de poucos resultados práticos para a sociedade, quer aumento.

A atual composição do TCE mostra bem o que simboliza a casa para o Rio Grande do Norte: é o aconchego dos políticos, parentes e agregados.

Dos sete membros, só Carlos Thompson não possui apadrinhados políticos. Sua origem é no Ministério Público.

Mesmo sendo da cota dos auditores, Adélia Sales, é esposa do ex-deputado Demócrito de Souza.

Tarcísio Costa é irmão do deputado estadual Vivaldo Costa (PSD), Renato Costa Dias é irmão do prefeito de Natal Álvaro Dias (MDB), Paulo Roberto Alves é irmão de Garibaldi Alves Filho (MDB) e Poti Junior é um ex-deputado estadual ligado aos Alves e sua família faz política há décadas em São Gonçalo do Amarante onde ele mesmo foi prefeito. Por fim, Gilberto Jales não é parente de político, mas é agregado ao ramo rosalbista dos Rosados.

Isso é o que podemos chamar de “aparelhamento do Estado”.

A casa dos privilégios, sucursal do céu no RN, quer aumentar os salários dos seus membros para módicos R$ 35,6 mil. A proposta está nas mãos dos deputados estaduais. A palavra final será da governadora Fátima Bezerra (PT) em caso de aprovação.

Compartilhe:

Comments

comments

6 opiniões sobre “A casa dos privilégios

  • 18 de fevereiro de 2019 em 18:10
    Permalink

    O q tem q mudar é o critério de escolha e obedecer o teto de salários já previstos na constituição. Né não?

    Resposta
    • 18 de fevereiro de 2019 em 23:32
      Permalink

      Primeiro mudar essa pouca vergonha de aparelhar essas instituições com políticos e parentes.
      É odioso.

      Resposta
  • 18 de fevereiro de 2019 em 22:27
    Permalink

    E por um acaso alguma instituição respeita esse tal de teto salarial? Pois quase todas as instituições do governo sempre ganharam acima do teto. E continua.

    Resposta
  • 19 de fevereiro de 2019 em 01:35
    Permalink

    É a casa da direita no estado. Todos os membros do TCE tem uma coisa em comum: foram indicados por partidos e políticos de direita.

    Resposta
  • 19 de fevereiro de 2019 em 10:46
    Permalink

    sete parasitas sugando o erário publico.

    Resposta
  • 19 de fevereiro de 2019 em 11:15
    Permalink

    Têm q acabar com esse negócio de toma lá, da cá. Esses parasitas vivem mamandando nas tetas da nação, e lapidando os cofres do estado. Aí eu digo PQP Brasil!!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *