A denúncia tardia de Robinson contra as oligarquias

O governador Robinson Faria (PSD) soltou o verbo numa entrevista a 96 FM de Natal. Revelou ter sido boicotado pelas oligarquias quando lutava pelo aporte de R$ 600 milhões do Governo Federal para pôr a folha de pagamento em dia.

Abre aspas para o governador:

“Os ex-governadores que quebraram o Rio Grande do Norte, e que agora estão unidos em torno de mais um Alves, estão com saudade de quebrar mais o Estado. Quando fui a Brasília tentar regularizar a folha, fiquei só. Consegui até uma medida provisória de R$ 600 milhões, mas era eu saindo de uma porta e eles entrando na outra para falar com os ministros do TCU para não liberar o dinheiro. Eu posso provar e vou mostrar quem foram eles. Eu tenho testemunha. Os próprios ministros disseram que ficaram indignados com os políticos que foram lá para não liberar o dinheiro para pagar o servidor. Era para a folha estar em dia há muito tempo, se eu não tivesse sido boicotado pelo acordão Alves, Maia e Rosado”

Aspas (extraídas do site Agora RN) fechadas segue a nossa análise. O que Robinson diz não é novidade alguma para quem conhece os bastidores da política estadual. Esse movimento foi muito comentado e só não se converteu numa notícia tão contundente na época porque o próprio pessedista se fez de rogado optando pelo silêncio. Tudo ficou enclausurado nos bastidores da política.

Num contexto em que Robinson não consegue avançar nas intenções de voto, apresenta maior rejeição e afoga-se na impopularidade essas palavras não geram qualquer efeito.

Vieram tarde.

Na cabeça dos servidores os salários continuam atrasados por culpa de Robinson que teve uma oportunidade ímpar de dar as mãos aos trabalhadores na pressão contra as oligarquias que atuavam como “forças ocultas”. O governador preferiu o silêncio conivente para ver se atraia algum apoio nestas eleições.

Ele até tentou (e muito) o apoio da prefeita de Mossoró Rosalba Ciarlini (PP). Não conseguiu e agora não pode mais reclamar.

Robinson chama de acordão a aliança oligárquica, mas já foi aliado de Alves, Rosados e Maias. Contribuiu com todas essas gestões que ele responsabiliza pelo atraso do Estado. Se ele estivesse preocupado com o que essa turma fez não estaria parceiro político de Geraldo Melo, ex-governador que todos os dias agradece a ele e Rosalba por fazerem a história absolve-lo da condição de pior governador que o RN já teve.

Robinson duela com os fatos mesmo quando tardiamente revela algo que deu náuseas de ouvir nos bastidores. A nossa classe política é mesquinha mesmo, mas é você quem os coloca lá.

Compartilhe:

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *