A estratégia arriscada de Robinson em Mossoró

henrique-x-robinson-e-rosalba
Robinson sonha com apoio de Rosalba que é mais afinada ao grupo de Henrique Alves

Há um ano o governador Robinson Faria (PSD) largou de mão o então prefeito Francisco José Junior (PSD). As parcerias prometidas em praça pública ficaram no passado e na retórica de palanque. Nada além disso.

O afastamento foi gradual. Impossível aferir o que levou os dois a se distanciarem até porque eles não revelam aos jornalistas. Não se sabe quem iniciou desgaste. Se foi um lado ou outro. Mas aconteceu.

Na medida em que se afastou de Francisco José Junior, Robinson se chegou na hoje prefeita Rosalba Ciarlini (PP). Nomeou uma cunhada dela, Isaura Amélia, presidente da Fundação José Augusto e deixou o outrora aliado se destruir politicamente em Mossoró assumindo responsabilidades que não era do município, mas do Estado como o financiamento da alta e média complexidade na saúde e a segurança.

Agora Robinson volta a cumprir uma agenda em Mossoró após dez meses de ausências. Passará três dias colando na popularidade da prefeita recém empossada. Uma das medidas, ironicamente, é um acordo de cooperação na alta complexidade na saúde que nem a própria Rosalba assinou com a cidade quando governadora.

Robinson está jogando as fichas dele em Rosalba para ter um palanque em 2018. O problema é que a prefeita é um nome ligado ao ex-presidente da Câmara dos Deputados Henrique Alves (PMDB). É com ele que há um compromisso. Tanto que o líder peemedebista indicou o advogado Aldo Fernandes para assumir a Secretaria Municipal de Planejamento.

No cenário de hoje, Rosalba certamente apoiaria Henrique Alves. Contradição? Se a prefeita tem mágoas do peemedebista pelos acontecimentos de 2014, rancores não faltam pelo outrora vice-governador dissidente.

Henrique está na frente em relação a Robinson no que tange a uma aliança política. Do governador ela quer apenas as vantagens de uma parceria administrativa.

Se Robinson teve um plano B em Rosalba no passado deverá estar atento para um plano C pelo menos do ponto de vista político.

Apostar todas as suas fichas em Rosalba para ter um palanque em Mossoró é um risco alto.

Compartilhe:

Comments

comments

2 opiniões sobre “A estratégia arriscada de Robinson em Mossoró

  • 9 de janeiro de 2017 em 16:48
    Permalink

    Política é dinamica.Quem diria que Robson apoiaria rosalba e vice-versa

    Resposta
  • 10 de janeiro de 2017 em 09:45
    Permalink

    Bom dia a Todos !

    Realmente é arriscado.
    Mas o Governador não tem outra saída, se não arriscar.
    A prefeita que se cuide pra não se comprometer em meio esse senário.
    Lembrando que Mossoró precisa da união com o Governo do Estado, independente de quem esteja governando.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *