A força do imaginário

A passagem desastrosa de Rosalba Ciarlini (PP) pelo Governo do Estado avariou o capital político dela em Mossoró. Isso é fato. Como também é fato que ela ainda é a maior eleitora da cidade. Até 2 de outubro do ano que vem isso é ponto pacífico.

Rosalba não é mais mesma. Num cenário de crise administrativa era para ela estar folgada nas pesquisas se beneficiando da fama de maior prefeita da história de Mossoró. Na única pesquisa divulgada até o momento o cenário aponta a “Rosa” com  29,6% seguida pela ex-deputada estadual Larissa Rosado (PSB) com 21,6%. O atual prefeito, Francisco José Silveira Júnior (PSD) com 8,8%.

Muito pouco para quem é vista na cidade como um mito, uma candidata imbatível. O cenário é muito mais equilibrado do que se imagina. Mas no imaginário ela está “favoritaça”.

Os números divulgados em abril são do Instituto Consult. É a mesma pesquisa que apontou uma impopularidade de 77,9% para o atual prefeito.

Estamos na segunda perna de novembro e até aqui nenhuma pesquisa divulgada. Sinal que o quadro não é bom para ninguém. Por que afirmo isso? Simples. Estamos em ano não-eleitoral e não existe obrigatoriedade de registro de pesquisas na Justiça Eleitoral. Logo quem tivesse números melhores divulgaria.

Os grupos estão pesquisando. Não tenho dúvida. Mas como há um indicativo de cenário inalterado em relação a abril, a vantagem é de Rosalba. Afinal de contas no imaginário ela é imbatível. Ninguém lembra que ela apareceu com apenas 7% de vantagem sobre Larissa Rosado. É quase um empate técnico. Mas todos lembram dos 77,9%  de impopularidade do prefeito convertidos em 80% num arredondamento para cima de nossa “desmemorizada” população.

A ocultação dos números é uma mão na roda para a ex-governadora, o imaginário é dela.

 

Compartilhe:

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *