A “maldição” do vice de Mossoró

 

 

tristeza-full;init_

O Brasil vive o seu segundo período democrático em 129 anos de república. O primeiro foi entre 1945 e 1964 e o segundo está em curso (e atualmente ameaçado) desde 1985. Em períodos democráticos a segunda maior cidade de qualquer Estado tem um peso fundamental em disputas por governos.

No Rio Grande do Norte um candidato ao Governo ter um vice de Mossoró tem um grande apelo para toda região Oeste.

Mas isso não se converte em vitórias. Pelo menos a prática mostra isso. Todos os candidatos que tiveram um vice de Mossoró perderam a disputa pelo Governo do Estado.

Em 1950*, Duarte Filho, ex-prefeito de Mossoró entre 1935 e 36, foi o vice de Manoel Varela. Acabaram derrotados pelo mossoroense Dix-sept Rosado que tinha como companheiro de chapa o natalense Sílvio Pedroza. Djalma Marinho (avó do deputado federal Rogério Marinho) perdeu para Aluízio Alves em 1960 tendo Vingt Rosado como vice.

Em 1965**, Tarcísio Maia, que tinha residência fixa na Fazenda São João em Mossoró, foi o vice da chapa derrotada encabeçada por Dinarte Mariz. Monsenhor Walfredo Gurgel levou a melhor.

Com o Brasil retomando a democracia, em 1986***, o deputado federal Antonio Florêncio, foi o vice de João Faustino. Embora fosse nascido em Pau dos Ferros ele tinha atuação política em Mossoró e era conhecido como “deputado do sal”.

Em 1994, Lavoisier Maia perdeu para Garibaldi Alves Filho no primeiro turno. A vice dele era a hoje prefeita de Mossoró Rosalba Ciarlini.

Em 2002 dois candidatos ao Governo do Estado tiveram vices de Mossoró. Fernando Bezerra tinha como companheiro de chapa Carlos Augusto Rosado e ficou fora do segundo turno. Fernando Freire tinha a companhia de Laíre Rosado. Por coincidência os integrantes dessa última chapa estão presos.

Wilma de Faria, uma mossoroense, acabou levando a melhor naquele ano e se tornando a primeira mulher governadora do Rio Grande do Norte.

Em 2014, o professor mossoroense Ronaldo Garcia era o vice do terceiro colocado ao Governo do Estado, Robério Paulino.

Para este ano são especulados vices de Mossoró nas chapas de Fátima Bezerra (PT) e Carlos Eduardo Alves (PDT).

*Com colaboração do leitor Francisco Veríssimo.

**Nesse ano o Regime Militar estava estabelecido, mas ainda houve eleições diretas para Governador. Colaborou o leitor Francisco Veríssimo.

***Colaborou o ex-reitor da UERN Walter Fonsêca.

Obs.: se o leitor lembrar de algum outro mossoroense candidato a vice-governador nos períodos democráticos (1945/64 e desde 1985) favor fazer contato pelo e-mail barreto269@hotmail.com ou Whatsapp (84) 9.8889-3574.

Compartilhe:

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *