A primeira medida de Fátima foi um Sofisma

Por Kelps Lima

Não foram boas as primeiras medidas do Governo Fátima.

Elas confirmaram o temor que a gente já tinha: falta de um projeto com sequência lógica de ataque ao que é mais desesperador, aliado a mecanismos de substituição dos defeitos do alicerce que provocam esse desespero.

Os salários atrasados representam o telhado velho que já não protege mais da chuva. O desespero.

A fórmula atual da previdência representa o alicerce quebrado, que não sustenta mais as paredes.

Fátima criou um sofisma para dizer que tem a fórmula para cessar o desespero, e criar a retórica de que os salários estarão em dia dentro da gestão dela. Mas não tocou no assunto mais grave, o alicerce, que é a previdência.

Não adianta só trocar as telhas. Sem o alicerce, elas vão cair e a chuva vai continuar molhando.

Fátima disse que vai pagar janeiro de 2019 e, quando puder, pagar o restante da folha que está faltando aos servidores: Décimo de 2017, Salários de novembro e dezembro de 2018, e Décimo de 2018.

A história do RN, então, na narrativa do novo governo, fica dessa forma: AF (antes de Fátima) e DF (depois de Fátima).

Os problemas de antes não eram dela. Então, os salários de quem trabalhou até dezembro de 2018 não são problemas do novo Governo Fátima. Pertencem a uma era AF. Fátima surgiu agora.DF. Depois de Fátima. E, neste período DF, não haverá desespero. Ao contrário. Haverá ANTECIPAÇÃO DE SALÁRIO.

O Sofisma é o argumento ou raciocínio concebido com o objetivo de produzir a ilusão da verdade, que, embora simule um acordo com as regras da lógica, apresenta, na realidade, uma estrutura interna inconsistente, incorreta e deliberadamente enganosa.

Ainda dá tempo. O Governo está só começando. Mas, agora, além da questão fiscal, será preciso recuperar outra coisa na relação entre a sociedade e o novo Governo, a CONFIANÇA.

O AF e o DF não cola. É uma fórmula antiga. Da política antiga.

Kelps Lima é mestre em Gestão Pública. Deputado Estadual.

Compartilhe:

Comments

comments

4 opiniões sobre “A primeira medida de Fátima foi um Sofisma

  • 13 de janeiro de 2019 em 10:47
    Permalink

    Tenho dito aqui nesse espaço, ou as reformas são realizadas, ou o RN , não sai do atoleiro. Né mesmo?

    Resposta
  • 14 de janeiro de 2019 em 14:04
    Permalink

    Já me cansa demais ver a mesma ladainha todo mês, que a previdência do RN esta quebrada por causa do servidor estadual. O próprio presidente do IPERN revelou ano passado os principais motivos: renovação tardia da mão de obra efetiva e uso excessivo das terceirizadas que todo mês junto com o próprio Estado envia milhões de R$ em contribuições para o INSS. Pode aumentar a alíquota do ipe pra 20% e fazer PDV que em menos de 1 ano provavelmemte estaremos no mesmo buraco ou talvez pior.

    Resposta
  • 14 de janeiro de 2019 em 14:05
    Permalink

    Já me cansa demais ver a mesma ladainha, que a previdência do RN esta quebrada por causa do servidor estadual. O próprio presidente do IPERN revelou ano passado os principais motivos: renovação tardia da mão de obra efetiva e uso excessivo das terceirizadas que todo mês junto com o próprio Estado envia milhões de R$ em contribuições para o INSS. Pode aumentar a alíquota do ipe pra 20% e fazer PDV que em menos de 1 anos provavelmemte estaremos no mesmo buraco ou talvez pior.

    Resposta
  • 14 de janeiro de 2019 em 16:01
    Permalink

    Fala o deputado que nasceu de uma oligarquia e não tem compromisso nenhum com o Estado, apenas interesses próprios. Vamos lembrar, deputado, que vc tem culpa por este estado de coisas que o RN vive. Vc já é parlamentar por muito tempo, tem um mandato que poderia fazer muita coisa.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *