Acusado de fazer lobby para as universidades privadas, Styvenson agiu em defesa da UERN

Senador é acusado de lobby, mas agiu em favor da UERN (Foto: cedida)

Por ter apresentado um projeto que permite que os trabalhadores possam utilizar o Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) para custear os estudos em universidades privadas, o senador Styvenson Valentim (PODE) foi acusado de fazer lobby para este ramo.

Tudo por ele ser genro de um dono de faculdade privada. Legislou em causa própria? Entendo que a discussão pode ser vista por um outro parâmetro se refletirmos.

Sou defensor da universidade pública e gratuita, mas não existem vagas para todos. Então, boa parcela da população recorre as instituições privadas.

Se Styvenson legislou em causa própria ou não deveria ser um debate secundário tendo em vista que o projeto é bom e beneficia quem quer fazer uma faculdade para melhorar de vida ou realização pessoal e não pode pagar.

O FGTS já é usado para compra de imóveis porque não pode também usado para custear o ensino superior?

Na prática, Styvenson mostrou que também defende as universidades públicas. Na última quarta-feira ele defendeu que a emenda de R$ 20 milhões para a Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) fosse poupada dos cortes orçamentários.

O recurso fará toda diferença para a nossa UERN. Defender uma proposta não significa ser contra outra. Se há lobby a favor das universidades privadas podemos dizer que a reação é do lobby da construção civil que certamente se sente ameaçado com a ideia.

O projeto é bom porque abre uma frente para quem precisa do ensino superior e não pode pagar.

Compartilhe:

Comments

comments

2 opiniões sobre “Acusado de fazer lobby para as universidades privadas, Styvenson agiu em defesa da UERN

  • 5 de abril de 2019 em 23:49
    Permalink

    Independente de tudo, o senador está legislando em causa própria. Favorecimento a familiares não é legal.

    Resposta
  • 6 de abril de 2019 em 13:14
    Permalink

    Não entendo dessa maneira, que o senador Styvenson legislou em causa própria. Pois se as pessoas podem ter acesso ao FGTS para pagaram seus estudos isso é ótimo. Sem esquecer que o senador defendeu que a emenda dos 20 milhões para a UERN fossem poupados dos cortes orçamentários. É bem melhor as pessoas utilizar o FGTS para bancar seus objetivos, como o ensino superior em uma boa faculdade, e com isso alcançando um futuro próspero, de que deixar com o governo fazendo o que bem quer. E o FGTS já é utilizado em várias áreas. Portanto, que quem puder que utilize seu FGTS para bancar seus estudos, que faça uso dele para alcança seus objetivos no futuro.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *