Aduern tenta reabrir discussão com Governo e avisa que perdas salariais chegam a 98,27%

DSC_0525

A Associação dos Docentes da UERN (ADUERN) entregou um novo ofício ao Governo do Estado solicitando audiência que possa reabrir a discussão acerca do Plano de Cargos e Salários (PCS) da categoria. O Sindicato aguarda pelo encontro desde o dia 07 de Dezembro, quando foi protocolado o primeiro ofício buscando a reunião.

Na tarde de ontem a diretoria do sindicato foi até a Secretaria Estadual de Educação e Cultura (SEEC) buscando viabilizar o diálogo com o Governador. O Secretário Adjunto de Educação, Domingos Sávio, recebeu o ofício e se comprometeu a entregar pessoalmente na Chefia de Gabinete do Governo.

O vice-presidente da ADUERN, Gautier Falconieri, que esteve reunido com Domingos Sávio,  comentou que são quase dois meses de espera desde que o primeiro ofício solicitando uma audiência com Robinson Faria foi enviado. Ele ressaltou que o sindicato permanece buscando o diálogo com o Governo, mas que até o momento não tem visto nenhum indício de que o Executivo Estadual esteja disposto a debater a situação dos docentes da UERN.

Gautier lembrou que em 2015 os professores da instituição realizaram a maior paralisação de sua história, reivindicando o cumprimento do acordo que previa realinhamento salarial de 57,53%, dividido em quatro parcelas de 12, 053% e que garantiria a implementação do PCS da categoria.  Mesmo após cinco meses de greve, o Executivo não atendeu o pleito da categoria,  que passou a acumular perdas salariais que em 2016 já alcançam 98,27%.

Visita ao CAN

A diretoria da ADUERN visitou ontem as instalações do Campus Avançado de Natal e conversou com professores e técnicos acerca das condições estruturais e de trabalho na unidade. De acordo com os diretores esse tipo de atividade será intensificada durante o decorrer de 2016, visando fortalecer a relação entre o sindicato e a categoria e mapear com clareza a precarização do trabalho docente na UERN.

Compartilhe:

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *