Desaprovação de Robinson segue em alta

Robinson segue mal avaliado pelos potiguares

A pesquisa Retratos do RN encomendada ao Instituto Certus pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte (FIERN) apontou que o governador Robinson Faria (PSD) é desaprovado por 74,26% dos potiguares.

No outro item da pesquisa que avalia como o eleitor classifica a gestão, ele acumula 61,35% de ruim e péssimo.

Confira a avaliação do governador

Aprova x desaprova

Desaprova 74,26%

Aprova 20%

Não Sabe 4,96%

Não respondeu 0,78%

Avaliação do governador

Péssima 47,52%

Regular 25,39%

Ruim 13,83%

Boa 8,30%

Ótima 2,55%

Não Sabe 2,20%

Não respondeu 0,21%

A pesquisa FIERN/Certus ouviu 1.410 eleitores entre os dias 14 a 17 de setembro em 8 regiões do RN. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos com intervalo de confiança de 95%. A pesquisa está registrada na Justiça Eleitoral com sob os protocolos BR-04034/2018 e RN-07782/2018.

Compartilhe:

FIERN/Certus: pesquisa para o Senado aponta cenário imprevisível com quatro nomes empatados

A disputa para o Senado no Rio Grande do Norte tende a ser uma das mais emocionantes dos últimos anos conforme atestam os números da pesquisa Retratos do RN encomendada pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte (FIERN).

Quatro nomes estão empatados dentro da margem de erro de três pontos percentuais para mais ou para menos. Na soma de primeiro e segundo voto seguindo a metodologia de apuração do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o senador Garibaldi Alves Filho (MDB), o capitão Styvenson Valentim (REDE), o ex-senador Geraldo Melo (PSDB) e a deputada federal Zenaide Maia (PHS) estão separados por menos de 3%.

Com 15,09% Garibaldi é o candidato mais rejeitado segundo o Instituto Certus.

Confira os números

Pesquisa estimulada Senado

*A metodologia do TSE soma e divide os percentuais para chegar aos dados. O IBOPE e os demais institutos locais estão fazendo a soma e omitindo a divisão.

Pesquisa estimulada usando apenas a soma de primeiro e segundo voto (sem divisão)

Rejeição

A pesquisa FIERN/Certus ouviu 1.410 eleitores entre os dias 14 a 17 de setembro em 8 regiões do RN. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos com intervalo de confiança de 95%. A pesquisa está registrada na Justiça Eleitoral com sob os protocolos BR-04034/2018 e RN-07782/2018.

 

Compartilhe:

Fátima mantém dianteira sobre adversários em simulações de segundo turno

A senadora Fátima Bezerra (PT) segue vencendo simulações de segundo turno. Pelo menos é o que aponta a pesquisa Retratos do RN encomendada pela Federação das Indústrias do RN (FIERN) ao Instituto Certus.

Confira os números:

1º cenário:

Fátima Bezerra 47,80%

Carlos Eduardo 32,98%

Nenhum 14,82%

Não sabe 4,26%

Não Respondeu 0,14%

 

2º cenário:

Carlos Eduardo 51,91%

Robinson Faria 19,65%

Nenhum 23,83%

Não sabe 4,54%

Não Respondeu 0,07%

3º cenário:

Fátima Bezerra 55,32%

Robinson Faria 18,37%

Nenhum 21,63%

Não sabe 4,61%

Não Respondeu 0,07%

A pesquisa FIERN/Certus ouviu 1.410 eleitores entre os dias 14 a 17 de setembro em 8 regiões do RN. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos com intervalo de confiança de 95%. A pesquisa está registrada na Justiça Eleitoral com sob os protocolos BR-04034/2018 e RN-07782/2018.

 

Compartilhe:

FIERN/Certus: Fátima tem mais chances de conquistar votos de indecisos e eleitores indignados

Um dado curioso da Pesquisa Retratos do RN encomendada pela Federação das Indústrias do RN ao Instituto Certus foi averiguação do sentimento dos eleitores indecisos e propensos anular o voto.

Os dois perfis se mostraram mais inclinados a votar na senadora Fátima Bezerra (PT).

Confira os números

Para quem respondeu votar nulo, branco ou nenhum foi questionado qual candidato pode vir a receber o voto:

Fátima Bezerra: 11,27%

Carlos Eduardo e Robinson Faria: 3,27%

Nenhum: 70,91%

Quem respondeu não saber em quem votar (indeciso) foi questionado qual candidato poderá receber o seu voto:

Fátima Bezerra 13,39%

Carlos Eduardo 5,36%

Robinson Faria 8,93%

Não Sabe 56,25%

Nenhum 11,61%

A pesquisa FIERN/Certus ouviu 1.410 eleitores entre os dias 14 a 17 de setembro em 8 regiões do RN. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos com intervalo de confiança de 95%. A pesquisa está registrada na Justiça Eleitoral com sob os protocolos BR-04034/2018 e RN-07782/2018.

Compartilhe:

Pesquisa FIERN/Certus: 72% não mudam o voto para Governo

A pesquisa FIERN/Certus avaliou o grau de fidelidade dos eleitores potiguares. Segundo a sondagem 72,96% estão com o voto definitivo.

Quem tem o maior grau de fidelização é Fátima Bezerra (PT) com 76,94% seguida por Carlos Eduardo 72,54% e Robinson Faria 68,46%.

Grau de fidelidade

Definitiva 72,96%

Pode mudar 26,72%

Não sabe 0,11%

Não respondeu 0,22%

Grau de fidelidade aos candidatos

A pesquisa FIERN/Certus ouviu 1.410 eleitores entre os dias 14 a 17 de setembro em 8 regiões do RN. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos com intervalo de confiança de 95%. A pesquisa está registrada na Justiça Eleitoral com sob os protocolos BR-04034/2018  e RN-07782/2018.

Compartilhe:

FIERN/Certus: Fátima Bezerra tem 15% de vantagem sobre Carlos Eduardo

A senadora Fátima Bezerra (PT) segue liderando as intenções de voto para o Governo do Rio Grande do Norte. É o que mostra a quarta rodada da pesquisa Retratos do RN encomendada pela Federação das Indústrias do Rio Grande do Norte ao Instituto Certus.

Na pesquisa estimulada ela possui 36,24% contra 21,21% para Carlos Eduardo Alves (PDT). Considerando apenas os votos válidos, a petista aparece com 49,76% e o ex-prefeito de Natal com 29,11%.

Na pesquisa espontânea (quando não é apresentada uma lista de candidatos ao entrevistado) Fátima tem 22,70% e Carlos Eduardo 12,77%.

Já o mais rejeitado é o governador Robinson Faria (PSD) com 36,10% seguido por Fátima Bezerra (13,30%) e Carlos Eduardo (9,49%).

 

Confira os números da quarta pesquisa Retratos do RN:

Pesquisa estimulada

Considerando apenas os votos válidos na pesquisa estimulada

Pesquisa espontânea

 

Rejeição

 

A pesquisa FIERN/Certus ouviu 1.410 eleitores entre os dias 14 a 17 de setembro em 8 regiões do RN. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos com intervalo de confiança de 95%. A pesquisa está registrada na Justiça Eleitoral com sob os protocolos BR-04034/2018  e RN-07782/2018.

Compartilhe:

Pesquisa Cetus/FIERN: Haddad e Bolsonaro estão empatados no RN

A pesquisa Certus/FIERN mostrou que os candidatos a presidente de República Fernando Haddad e Jair Bolsonaro (PSL) estão empatados no Rio Grande do Norte na pesquisa estimulada.

Apenas 0,78% separam os dois no Estado segundo a pesquisa.

Já no voto espontâneo (quando não é apresentada uma lista de candidatos), Bolsonaro lidera com 16,03%

e Fernando Haddad tem 11,84%.

No item rejeição Bolsonaro também lidera com 29,47% contra 9,67% para Haddad.

Confira os números da quarta rodada da pesquisa Retratos do RN:

Pesquisa estimulada

Considerando apenas os votos válidos na pesquisa estimulada

Pesquisa espontânea

 

Rejeição

A pesquisa FIERN/Certus ouviu 1.410 eleitores entre os dias 14 a 17 de setembro em 8 regiões do RN. A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos com intervalo de confiança de 95%. A pesquisa está registrada na Justiça Eleitoral com sob os protocolos BR-04034/2018  e RN-07782/2018.

Compartilhe:

Vice-presidente da FIERN debate exploração mineral

A Compensação Financeira pela Exploração de Minerais (CFEM) foi tema de palestra promovida pelo Sindicato da Indústria Cerâmica para Construção do Estado do Rio Grande do Norte (SINDICER-RN), na manhã desta quinta-feira (20), na Casa da Indústria, com a finalidade de esclarecer sobre a Lei 13.540, de 18 de dezembro de 2017, que faz a conversão da Medida Provisória nº 789/2017, e altera aspectos da exigência conhecida como CFEM.

Na abertura do evento, o presidente do SINDICER-RN, e vice-presidente da FIERN, Pedro Terceiro de Melo, falou sobre as dificuldades que a indústria cerâmica enfrenta com a estagnação do mercado no momento em que vive o país, e que o sindicato resolveu promover a palestra para debater a Lei com os empresários. “Queremos esclarecer o ceramistas sobre esta legislação e sobre como deve ser feito o cálculo da CFEM. Nosso foco é intermediar a relação entre a indústria e os órgãos reguladores”, afirmou.

Anteriormente, as Leis 7.990/89 e 8.001/90 estabeleciam em regra gerais, que a CFEM seria devida na venda do produto mineral, e seria calculada pela aplicação de uma alíquota sobre o faturamento líquido, compreendido como “o total das receitas de vendas, excluídos os tributos incidentes sobre a comercialização do produto mineral, as despesas de transporte e as de seguros” (aspas da redação anterior do art. 2º da Lei 8.001/90).

Com as alterações promovidas pela Lei 13.540/2017 (atual), a CFEM passou a ser exigido sobre a receita bruta deduzida dos tributos incidentes no caso de venda do bem mineral, o valor da primeira aquisição no caso de lavra garimpeira, entre outros, tema das palestras feitas pelo Superintendente do Departamento Nacional de Produção Mineral (DNPM-RN) e pelo Técnico do DNPM-RN, José Romildo Ferreira dos Santos Júnior.

As dúvidas dos empresários convergem para quem deve recolher a CFEM, e como calcular. De acordo com Romildo Ferreira, que ficou de enviar a Lei para os presentes, quem paga é o explorador. “Quem recolhe a CFEM é o explorador, só paga quem vende a argila, o detentor oficial da lavra”, disse o técnico. Quanto ao valor de pauta, não ficou muito claro, porque de acordo com Romildo, alguns pontos ainda estão sendo definidos.

Participaram da reunião o presidente do Sindicato da Indústria de Extração de Metais Básicos e Minerais não Metálicos do RN, Mário Tavares; o engenheiro Coordenador da Câmara de Geologia e Minas do CREA-RN, Júlio Cesar de Pontes; o vice-presidente do SINDICER-RN, Vargas Soliz Pessoa e demais diretores; além de vários empresários ceramistas e profissionais do setor.

Ao final da palestra o presidente do SINDICER, Pedro Terceiro de Melo, sugeriu que o setor o os órgãos reguladores se unissem, e que fosse criada uma comissão para ir ao Diretor Geral do DNPM, em Brasília, buscar soluções sobre os pontos de complicação que o setor enfrentará com a nova Lei.

VENDA – De acordo com a Lei, no caso da venda do bem mineral (argila), a base de cálculo passa a ser a receita bruta de venda, sendo deduzidos os tributos incidentes sobre sua comercialização. Assim, não estão previstas as deduções de transporte e seguro para a apuração da CFEM devida nesta hipótese de incidência.

CONSUMO – Para a hipótese de consumo, a base de cálculo deverá representar a receita bruta calculada sobre a comercialização do bem mineral beneficiado, sendo estabelecido por meio de referências no mercado local, regional, nacional ou internacional, ou, ainda, por meio de determinação de um valor de referência pela Agência Nacional de Mineração.

COMERCIALIZAÇÃO – A lei traz a previsão de transações comerciais entre empresas do mesmo titular, coligadas ou do mesmo grupo econômico, ampliando a hipótese de incidência até a destinação econômica final dada ao produto mineral. Caso a empresa detentora do direito minerário remeta o bem mineral para consumo em outro estabelecimento, a base de cálculo será apurada como definida no consumo. Se a empresa comercializar o bem mineral para posterior “revenda”, levando-se em conta estabelecimentos enquadrados na situação acima descrita, a base de cálculo será calculada com base no preço praticado na venda final.

Compartilhe:

FIERN participa de Feira Internacional na Alemanha

O presidente do Sistema FIERN, Amaro Sales de Araújo, o presidente do Sindipan (Sindicato da Indústria da Panificação e Confeitaria), Ivanaldo Maia, e o ex-presidente do Sindipan, Tennyson Brito, estão participando em Munique da IBA 2018 (Feira Internacional de Máquinas e Tecnologias para Panificação e Confeitaria).

O evento acontece a cada três anos na Alemanha, desde 1949, e é o ponto de encontro internacional para padeiros, confeiteiros, donos de cafés e supermercados, bem como para profissionais e fornecedores de hotéis. É a plataforma para inovações de toda a indústria, oferecendo uma visão completa de todos os novos produtos no mercado.

Na Feira, profissionais da Alemanha e de todo o mundo tem a oportunidade de descobrir novas tendências e inovações. Mais de 1.000 expositores apresentarão os seus produtos, desde padarias artesanais e grandes empresas de panificação até confeitaria e cafés, distribuidores de alimentos, serviços de buffet, hotéis, cafeterias e a indústria de serviços de alimentação. A IBA é considerada a feira mais importante para o mercado global de padarias e confeitarias.

Vários tipos de fornos, máquinas de sorvete, equipamentos de confeitaria e pastelaria, máquinas de embalagem estão expostos. A feira oferece uma visão abrangente do mercado, mostrando a padeiros, confeiteiros e empresários do setor as últimas tecnologias voltadas para esta área.

Fatos e Números:

1.309 expositores de 57 países

77,814 visitantes de 167 países

Data: 15 a 20 de setembro de 2018

Local: Munique – Alemanha

Compartilhe: