Cem dias de Fátima: a lua de mel termina e começa a realidade do casamento com orçamento apertado e alto risco de divórcio com o povo

Fátima Bezerra tem 100 dias de diálogo e poucos resultados (Foto: autor não identificado)

O principal diferencial e, porque não, avanço na gestão da governadora Fátima Bezerra (PT) nestes 100 primeiros dias de gestão foi a disposição ao diálogo.

Ela negocia constantemente com os servidores e constrói a cada mês um calendário de pagamento com os representantes das categorias. Ela também tem conversado com a classe empresarial para construir a revisão do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Industrial (PROAD). Conversa não falta com os poderes também.

Esse é o ponto inegavelmente positivo dos primeiros cem dias de Fátima.

No restante, temos algumas falácias. Duas delas são difíceis de engolir: 1) salários em dia; 2) puxar para si os méritos pela redução nos índices de violência.

A primeira não cola porque existem quatro folhas em aberto. A segunda não pega porque já havia uma tendência de queda nas taxas de criminalidade antes de Fátima assumir o mandato.

A governadora ainda não sinalizou enviar ao legislativo medidas efetivas para resolver a crise fiscal do Rio Grande do Norte. Prefere ficar em compasso de espera por causa da promessa do Governo Federal de fazer um plano de recuperação dos Estados.

Enquanto isso o rombo no orçamento segue em crescimento mês a mês.

O que Fátima fez até aqui foi cortar quase R$ 1 bilhão no orçamento, mas a promessa de poupar saúde, educação e segurança não foi cumprida.

Em nível de política ela começou atrapalhada em relação ao diálogo com o Governo Federal, mas há avanços neste comportamento com a realização de reuniões com ministros.

Na Assembleia Legislativa, Fátima não tem maioria formada. Ela fica a reboque do presidente da mesa diretora Ezequiel Ferreira de Souza (PSDB), quem de fato controla a casa.

Cem dias é uma data simbólica. A partir de agora a oposição começa a elevar o tom nas críticas e com o fim da lua de mel entre governante e eleitor começa a lidar com a realidade, no caso do RN, de um casamento com orçamento apertado.

Fátima sentirá na pele o aumento das dificuldades e o risco de divórcio com o eleitor potiguar. Não existe margem para erros.

Compartilhe:

Comments

comments

2 opiniões sobre “Cem dias de Fátima: a lua de mel termina e começa a realidade do casamento com orçamento apertado e alto risco de divórcio com o povo

  • 10 de abril de 2019 em 13:35
    Permalink

    A Sra. Governadora Fátima Bezerra sabia exatamente da situação calamitosa do estado enquanto governado pelo Sr. Robson Farias, o qual deixou o nosso estado na pior situação já vista por todos, porém ela brigou e discursou bonito como que seria a melhor solução se eleita fosse. Isso em campanha como todos o faz, agora já não pode fazer mais nada para amenizar a miséria que nos foi imposta! teremos mesmo que baixar a cabeça e esperar por Deus, não Sra. governadora a dívida herdada é do estado e quem vai gerenciar é a gestora que se elegeu com promessas de que seria possível atualizar salários e pagamentos, eu sou professora aposentada, trabalhei duramente, mas fui fiel aos meus deveres como docente mesmo com pequenos salários e a desvalorização contínua para com o professor, nunca olhei para o valor que entrava mensalmente na minha conta e sim para o que o meu aluno estava ganhando com minhas aulas e orientações, mas uma coisa também precisa ser lembrada, mesmo sendo pouco em valores sempre recebíamos em dia e hoje não temos mais nem esse direito continua pouco, porém com um diferencial…..ATRASADO! e sem uma definição de quando o teremos no bolso, imagine-se a Sra. como professora que é por formação, viver apenas desse salário, como seria? com tanta arrecadação, com tantos impostos que pagamos não temos o direito de receber o que é nosso, trabalha-se por toda uma vida e quando mais precisamos que é na última fase de vida nessa VIDA ficamos a deriva feito um barco sem rumo prestes a naufragar!!!!! eu como tantos outros por aí só queremos que se resolva logo e nos devolva o que nos tiraram sem nos pedir licença, somos cidadãos e cidadãs de bem, temos família, temos direito a cuidar melhor das nossas vidas, nos alimentamos, nos medicamos e também nos vestimos e precisamos de termos no mínimo um lazer…..a causa com os sres. deputados resolva com eles, mas não use isso como desculpa de não ter como colocar em dia o nosso pagamento, lhe desejo boa sorte e que boas estratégias apareçam para a nossa dignidade seja resgatada, pq já não a temos como consumidores e cumpridores dos nossos compromissos, portanto, espero que em nome de Jesus o filho de Deus essa situação se resolva…….muito obrigada!

    Resposta
  • 10 de abril de 2019 em 14:16
    Permalink

    O que acabou foi a lua de mel da Rosa de Hiroshima com Mossoró

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *