Cientista político acusa classe política de Mossoró de fazer conta burra e oportunista em luta contra novo presídio

Abaixo um artigo do cientista político Daniel Menezes em que ele acusa a classe política de Mossoró de fazer uma conta burra e agir de maneira oportunidade em relação a proposta de novo presídio na cidade.

Sobre a conta burra feita por lideranças oportunistas de Mossoró contra mais um presídio na região
Daniel Menezes

Foi feito um movimento contra a possível instalação de um presídio no município de Mossoró. A ação aparentemente ocorre em defesa da cidade e serve para legitimar velhas figuras da política local. O argumento é o de que mais um equipamento com o viés citado tornaria a região mais perigosa.

Ledo engano. Normalmente, os presos são encarcerados próximos aos seus familiares, uma forma de melhorar a ressocialização. A exceção feita apenas para os condenados de alta periculosidade. É pouco realista supor que ninguém mais será preso nos próximos anos em Mossoró. Pelo contrário.

Com isso, ao invés de ajudar a cidade a retórica populista contra mais presídios contribuirá, na verdade, para abarrotar os centros prisionais do alto-oeste já lotados.

Conforme todos os especialistas que li nessas últimas semanas, a super lotação é ingrediente de consenso para o fortalecimento das facções nas prisões e incremento de uma bomba que, quando estourada, gera rebeliões e até ações externas, tal como aconteceu em Natal.

O movimento irrefletido parte de um senso comum para alegar que defende Mossoró. Um jogo pra torcida. Na prática, na medida em que não equaciona mais vagas para a devida instalação dos apenados, apaga incêndio com gasolina.

Eles, portanto, não defendem os interesses de Mossoró. Apenas se utilizam de uma lógica imediatista para se legitimarem social e politicamente.

Mossoró pagará lá na frente por mais esta irresponsabilidade de suas elites dirigentes.

Ficará aqui registrado para esfregar na cara de quem de direito no momento devido.

Nota do Blog: a única liderança política de Mossoró a se manifestar de forma contundente contra o presídio foi a presidente da Câmara Municipal Izabel Montenegro (PMDB). A prefeita Rosalba Ciarlini (PP) deu tímida declaração no programa Conversa de Alpendre exibido na semana passada e o deputado federal Beto Rosado (PP) fez uma ação tardia contra a proposta.

Compartilhe:

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *