Em carta servidor que atirou em promotores justifica ação como ato contra a corrupção

WhatsApp Image 2017-03-25 at 15.57.56

O servidor do Ministério Público Guilherme Wanderley Lopes da Silva por meio de carta entregue minutos antes de atirar contra o Procurador-Geral de Justiça Adjunto Jovino Pereira Sobrinho, e o Coordenador Jurídico Wendell Beetoven Agra.

WhatsApp Image 2017-03-25 at 15.58.17

Sem apresentar qualquer prova ele acusa os dois mais o procurador-geral de justiça Rinaldo Reis (que só não foi alvo de disparos por não se encontrar no local) de serem corruptos e chega a escrever um documento fictício chamado de “pedido de exoneração sui generis” em que Rinaldo e Jovino pediam demissão alegando serem corruptos e pedindo desculpas ao próprio Guilherme.

A carta é longa e confusa. O próprio Ministério Público fez questão de divulgar, mas as fotos das páginas estão fora de ordem e incompletas por isso o Blog do Barreto preferiu apenas divulgar esses dois trechos.

Para saber mais clique AQUI

Compartilhe:

Comments

comments

Uma opinião sobre “Em carta servidor que atirou em promotores justifica ação como ato contra a corrupção

  • 26 de março de 2017 em 21:17
    Permalink

    E ele nem sabe há quantos anos os recursos SAL GROSSO aguardam julgamento. E ele nem sabe que as denúncias feitas publicamente pelo ex-procurador da Câmara Municipal de Mossoró, Câmara Municipal que é presidida por uma CONDENADA A MAIS DE 5 ANOS DE CADEIA, estão sendo apuradas desde o dia 6/12/2016. Condeno o ato tresloucado deste servidor público, mas é forçoso reconhecer que o povo começa a perder a paciência com tanta morosidade da justiça.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *