Em um mês, RN confirma mais de 11.500 casos de Covid-19; total de casos confirmados acumulados é 13.544

Subcoordenadora de Vigilância epidemiológica do RN, Alessandra Luchesi, falou sobre a situação do Estado (Imagem: Reprodução)

O número de casos confirmados do novo coronavírus no Rio Grande do Norte é de 13.544 e o Estado registra 509 óbitos com confirmação da doença. Os dados foram informados pela subcoordenadora da Vigilância Epidemiológica da Secretaria da Saúde Pública do Rio Grande do Norte (SESAP-RN), Alessandra Luchesi, na coletiva de imprensa realizada nesta sexta-feira, 12, em Natal.

São 11.511 confirmações a mais em relação há um mês. Em 12 de maio, eram 2.033 casos confirmados no RN, segundo boletim epidemiológico da Sesap. Na data, o Estado havia registrado 93 óbitos com confirmação da doença.

Dados divulgados na coletiva de imprensa desta sexta-feira informam ainda que há 22.613 casos suspeitos e 23.144 descartados. 114 óbitos estão em investigação no Estado.

Com relação ao índice de isolamento social, no feriado de Corpus Christi o Estado registrou 49,20% das pessoas isoladas, conforme o Inloco. O percentual é equiparado ao que vinha sendo registrado no Estado aos domingos.

A subcoordenadora da Vigilância Epidemiológica, Alessandra Luchesi, comentou que, apesar de apresentar indicadores melhores nos finais de semana, ainda há necessidade de aumentar a taxa em dias da semana. “Sempre em dias normais há uma queda nesse dado de distanciamento social”, comentou.

O índice de isolamento social recomendado pelas autoridades sanitárias para minimizar a circulação do novo coronavírus é de 70%.

“Em relação ao comportamento da pandemia ainda o perfil segue muito parecido, nós temos sim o aumento do número de casos constante da Região Metropolitana, sendo a região não somente com a maior distribuição, ou seja, número de casos, mas também a região com a maior incidência, o número de casos em relação à sua população, seguida da região de Mossoró e da região do Vale do Açu. Mas vale destacar que nesse momento há um comportamento diferenciado da 3ª Região de Saúde, que é a região de João Câmara, que tem apresentado uma incidência, nessas últimas semanas epidemiológicas crescente”, afirmou Alessandra Luchesi.

“Essa comparação do número de casos, a incidência em si, o baixo isolamento social, obviamente impactam diretamente na ocorrência dos casos, mas não somente dos casos leves, mas, principalmente, nos casos que tendem a ter um certo tipo de agravamento e que acabam sim precisando de uma atenção especializada. Então, por mais que os municípios venham desenvolvendo ações integradas entre todas as vigilâncias e atenção primária para dar resposta a esses casos leves, há ainda uma grande parcela de pacientes que precisam se utilizar de uma assistência especializada”, alertou a subcoordenadora de Vigilância Epidemiológica.

Segundo ela, em todo o Rio Grande do Norte há 753 pacientes internados. Esse número se refere a pacientes com suspeita ou confirmação de Covid-19, internados em leitos clínicos e críticos de hospitais públicos, privados e filantrópicos localizados no RN. Do total de internamentos, 381 pacientes estavam em leitos clínicos 372 leitos críticos

“Esse número, infelizmente, ele vem se apresentando ao longo dos dias cada vez mais expressivo e por isso que há essa necessidade da população compreender que essa pandemia ela precisa ser, literalmente, enfrentada em conjunto”, acrescentou Alessandra Luchesi após informar também a taxa geral de ocupação dos leitos hospitalares no Estado.

 

Ocupação de leitos críticos do SUS

Em relação à ocupação dos leitos críticos do SUS exclusivos para o tratamento de pacientes com sintomas do novo coronavírus por regiões, com base em dados do RegulaRN, observados às 14h16, a taxa de ocupação dos leitos era de 98% na a Região Metropolitana. Detalhadamente, 100% dos leitos do Hospital da Polícia Militar, Hospital de Campanha de Natal, Hospital Luiz Antônio, Hospital Giselda Trigueiro, Hospital Municipal de Natal e Hospital Rio Grande e Hospital estavam ocupados; apenas o Hospital de Campanha de Parnamirim estava com os dois leitos de UCI vagos.

Na região Oeste, a taxa média de ocupação também era de 96,1%. Em Mossoró, o Hospital Regional Tarcísio Maia tinha 100% dos leitos ocupados e o Hospital São Luiz tinha ocupação de 92% dos leitos. Em Pau dos Ferros a ocupação dos leitos do Hospital Regional Cleodon Carlos de Andrade era de 100%.

 Na região do Seridó, 74,1% dos leitos do Hospital Regional Telecila Freitas Fontes estavam ocupados.

“Se o Pacto pela Vida não for uma compreensão geral da população potiguar, cada vez mais esses números serão mais expressivos, impactando diretamente também na fila que nós temos hoje para os leitos de UTI”, afirmou Alessandra Luchesi, após apresentar a taxa de ocupação na coletiva, com percentuais aproximados aos contidos na matéria (o RegulaRN atualiza os dados constantemente).

A fila de espera formadas por pacientes que aguardam leitos para tratamento de sintomas do novo coronavírus tinha 129 pacientes às 14h17. Desses cinco era classificados como ‘prioridade 1’ e 47 como ‘prioridade 2’, ou seja, precisavam de leitos críticos. 77 pessoas classificadas como ‘prioridade 3’ também aguardavam a regulação.

RegulaRN mostra ocupação por unidade hospitalar (Fonte: RegulaRN – SESAP – LAIS)
Compartilhe:

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *