Estudantes acampam no Palácio da Resistência e garantem que só saem de lá após revogação de decreto

Os estudantes que lutam contra o aumento das passagens de ônibus estão acampados na Prefeitura de Mossoró e decidiram que só arredam o pé de lá quando conseguirem convencer o prefeito Francisco José Junior (PSD) a revogar o decreto que aumentou a tarifa de R$ 2 para R$ 3.

O clima está tenso. Segundo os manifestantes, os banheiros estão trancados e a luz chegou a ser cortada sendo religada minutos depois após negociação. Há temor de que a situação piore conforme relatos de ameaças de guardas municipais. “A Guarda Municipal está lá e já deram declarações do tipo ‘estamos aqui pra fazer vocês dançar como a banda toca'”, relata Atalo Silva, um dos integrantes do movimento.

Enquanto isso, os jovens jogam capoeira.

O grupo está recebendo doações de alimentos e água. “Estamos com apoio do centro de referências em direitos humanos. Temos uma equipe de advogados nos auxiliando. O ato permanece pacífico”, diz Atalo.

O Blog do Barreto ouviu o outro lado da notícia. O secretário municipal de defesa social Alvibá Gomes explicou que o quadro é de tranquilidade. Ele negou que a luz tenha sido cortada. “Demoramos a ligar, mas não teve luz cortada não”, garantiu.

Sobre as ameaças dos guardas municipais ele desmentiu que isso esteja acontecendo. “Está tudo na mais absoluta tranquilidade. Não há qualquer animosidade tanto que dispensei a Polícia Militar no começo da tarde”, garantiu.

O secretário também explicou a situação dos banheiros. “Eles estão ocupando a recepção, a varanda e o jardim. A parte interna da Prefeitura precisa ser preservada por motivo de segurança. Há documentos importantes ali que se acontecer alguma coisa ninguém vai se responsabilizar”, garantiu.

 

Compartilhe:

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *