Extra! Extra! Ministro da Educação se Vinga dos Brasileiros!!!

Abraham Weintraub deixou o MEC (Foto: Reprodução redes sociais)

Por Thiago Fernando de Queiroz*

Depois de ter dito na Reunião Ministerial com Bolsonaro no dia 22 de abril que os Ministros do Supremo Tribunal Federal são “vagabundos” e deveriam “ser presos”, depois de ter ido em mobilizações sem máscara e pedindo a ditadura militar; não podíamos ter dúvidas, o Ministro da Educação Abraham Weintraub iria arquitetar algo para prejudicar o povo brasileiro.

Por pressão do “Grupo do Centrão” da Câmara dos Deputados, neste dia 18 (quinta-feira) Abraham Weintraub pediu para sair do cargo de Ministro da Educação, e, como Bolsonaro não queria tirá-lo, fez um vídeo com o mesmo demonstrando apoio as opiniões ao retrocesso a educação. Weintraub sabe que se ficar, o pescoço dele pode rodar, por isso, está indo para a terra do “Tio Sam”, para tentar fazer as pessoas esquecer dele enquanto “mama” do povo brasileiro, e, ainda se dizendo ser “santinho”.

Porém, o pior que suas últimas ações foi emitir a Portaria nº 545, do dia 16 de junho de 2020, que revoga a Portaria Normativa do MEC nº 13, de 11 de maio de 2016. A Portaria nº 13/2016 garantia o direito de cotas as pessoas com deficiência, índios, pretos e pardos em Pós-graduação em universidades, dando oportunidades a tais cidadãos que historicamente vivenciaram uma segregação social, e, pode até se afirmar que ainda vivem essa segregação.

Para que todos compreendam o que estou abordando, vale citar o Artigo 1 da Portaria Normativa do MEC nº 13/2016 para obter maior compreensão do que se tratava a Portaria:

Art. 1º As Instituições Federais de Ensino Superior, no âmbito de sua autonomia e observados os princípios de mérito inerente são desenvolvimento científico, tecnológico e de inovação, terão o prazo de noventa dias para apresentar propostas sobre inclusão de negros (pretos e pardos), indígenas e pessoas com deficiência em seus programas de pós-graduação (Mestrado, Mestrado Profissional e Doutorado), como Políticas de Ações Afirmativas.

Essa atitude de revogar a Portaria do MEC nº 13/2016 e todas as demais ações de Abraham Weintraub demonstradas nesses últimos dias tem sido deplorável, a verdade é que não podemos aceitar isso, precisamos lutar juntos e não separados, pois, esse Governo de alguma forma está tentando articular um Golpe de Estado, e, não podemos aceitar.

O triste é que a população não está se unindo para lutar contra esses absurdos, ao contrário, como este caso, vamos ver grupos só defendendo o direito dos negros, outro grupo defendendo os direitos dos índios, e, outro grupo defendendo o direito das pessoas com deficiência, mas, na verdade, é um direito de todos.

Todos deveriam estar unidos, juntos, de forma coletiva, e, por não ser assim, por haver tantos desmembramentos de grupos sociais, não conseguimos ser fortes, precisamos nos unir para lutarmos para que nossos direitos voltem a ser garantidos.

Assim, peço a vocês caros leitores, vamos reivindicar nossos direitos, não vamos deixar e assistir calados os nossos direitos sendo destruídos. Precisamos ir à luta, e, desta forma, convido a você a se posicionar e não aceitar esse Governo retirar nossos direitos. Precisamos de mais educação, precisamos de uma saúde melhor, precisamos de mobilidade urbana, e, precisamos de igualdades de condições.

Então, vamos à luta, pois assim, juntos somos mais fortes.

*É pesquisador em Inclusão e nos Direitos das Pessoas com Deficiência.

Este artigo não representa necessariamente a mesma opinião do blog. Se não concorda faça um rebatendo que publicaremos como uma segunda opinião sobre o tema.

Compartilhe:

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *