Fátima procura lastro para medidas impopulares

“Não temos ainda os dados precisos no que diz respeito ao desequilíbrio fiscal-financeiro no Estado do Rio Grande do Norte. No entanto, as informações preliminares apontam que a situação é mais grave ainda do que nós imaginávamos”, com essas palavras proferidas ao G1RN a governadora eleita Fátima Bezerra (PT) parece ter se encontrado com a realidade.

Eleita sem firmar compromissos claros a petista conseguiu conduzir o caminho ao Governo do Rio Grande do Norte sem fazer uma marca diferente do que propôs Robinson Faria (PSD) ao se colocar como o “governador da segurança”.

Agora a petista está em busca de um lastro para aplicar medidas impopulares para recolocar o Rio Grande do Norte nos trilhos. Fátima sabe que se mexer apenas com os combalidos servidores estaduais ela cria um problema para sua biografia que está interligada à luta dos trabalhadores.

Na outra ponta ela precisa ganhar a confiança das elites do Rio Grande do Norte que torceram o nariz para a vitória dela, mas também tem que cortar privilégios das castas togadas e congêneres e empresários beneficiados por isenções fiscais.

São esses interesses conflitantes que Fátima precisará conciliar para aprovar as medidas que serão ruins para todos, mas não podem ser ruins apenas para uns.

Ao falar que o cenário é pior do que imaginou ela tenta encontrar o lastro discurso para justificar medidas impopulares.

Sem reequilibrar as contas Fátima será a próxima pior governadora. Se fizer o mínimo se consagra pelas últimas referências negativas.

Compartilhe:

Comments

comments

3 opiniões sobre “Fátima procura lastro para medidas impopulares

  • 3 de dezembro de 2018 em 11:15
    Permalink

    Todo mundo sabe q para equilibrar o déficit , tem q mexer na previdência, enxugamento da máquina, privatizações, etc… O mais e Balela. O que tem as elites e os togados com isso.
    Se a Fátima, for ouvi os seus coleguinhas sindicalistas e afins, vai decepcionar a todos, quem votou e quem não votou nela.

    Resposta
    • 3 de dezembro de 2018 em 13:30
      Permalink

      “O que tem as elites e os togados com isso” Os grandes privilégios que o resto da população do RN não tem. E grande volume de dinheiro direcionado a uma pequena turma de verdadeiros califas, em detrimento das grandes dificuldades que passa o povo do RN.

      Resposta
  • 3 de dezembro de 2018 em 11:34
    Permalink

    É bom lembrar a dr Fátima, q ela foi eleita por uma grande maioria de não esquerdistas, q apoiarão as reformas necessárias. Se ela for dar ouvidos aos seus coleguinhas sindicalistas e esquerdistas, vai fazer um péssimo governo.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *