Fátima se distancia das polícias antes da posse. Isso pode custar caro

A governadora eleita Fátima Bezerra (PT) ignorou a cúpula da segurança do Rio Grande do Norte ao formar a equipe de transição. Após as cobranças por um especialista em segurança a petista insistiu no erro tático ao optar pelo professor Ivênio Hermes.

Não que Ivênio não tivesse condições de estar na equipe de transição. Por ser coordenador do Observatório da Violência (OBVIO) ele tem um vasto conhecimento sobre as estatísticas e pode ajudar muito no planejamento de ações.

O erro político não é colocar Ivênio. Na verdade, é um acerto tê-lo na equipe. Ele certamente seria um ótimo nome para a equipe de Fátima, mas não para a linha de frente pelo menos em um primeiro momento.

A falha estratégica está em ignorar completamente as polícias militar e civil, além do Corpo de Bombeiros.

A governadora eleita está criando um fosso na relação política com os setores da segurança ao sinalizar que não confia na corporação além de se mostrar refém das animosidades da política nacional que coloca o segmento da segurança pública alinhado com o presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL).

Ter especialistas em segurança que põem a mão na massa e arriscam a própria vida na equipe de transição é primordial tanto tecnicamente como politicamente.

Quem conhece policiais sabe que eles são cientes que o bom trabalho feito por eles favorece quem está sentado na cadeira mais poderosa do Rio Grande do Norte. O desalinhamento político de Fátima com os setores da segurança pública é assustadoramente preocupante e ascende um sinal de alerta em quem deseja o melhor para um dos Estados mais violentos do país.

Alguém precisa abrir os olhos para que Fátima entenda que a relação com quem faz a segurança pública não meramente institucional nem técnica, é política também.

Não é possível que não exista um ser humano numa das polícias do RN que não mereça a confiança da governadora eleita.

Fátima corre sério risco de assumir os rumos do Rio Grande do Norte com a antipatia dos responsáveis pela segurança do nosso Estado.

Isso é péssimo para todos nós.

Compartilhe:

Comments

comments

10 opiniões sobre “Fátima se distancia das polícias antes da posse. Isso pode custar caro

  • 13 de novembro de 2018 em 22:59
    Permalink

    Segundo áudio… gravado por um elemento muito conhecido na crônicas policiais. Fátima optou por mais segurança, mas não foi, a, dos, para, policiais ou população. Mas aos escolhidos pela justiça, reunidos em custódia nos diversos sistemas prisionais.

    Resposta
  • 14 de novembro de 2018 em 01:35
    Permalink

    A primeira reunião que a governadora eleita fez nessa transição foi com os comandos da polícia militar e corpo de
    Bombeiros. Uma reunião excelente que resultou na formação de uma lista de policiais indicadas pelo comando da PM e Bombeiros para colaborar com o governo Fátima. Você não viu isso? A quem interessa criar intriga entre um governo que nem começou e os operadores de segurança pública?

    Resposta
    • 1 de dezembro de 2018 em 11:48
      Permalink

      Parabéns pelo comentário Cláudio Davi. Algumas pessoas parecem que sempre tem que fazer comentários daquele estilo, tem que piorar, tem que piorar, não sei se por motivos políticos ou antipatia a pessoa que vai administrar nosso querido RN. Pois vou torce sempre, sempre e sempre para que a Senadora Fátima Bezerra, ao iniciar o comando da administração do nosso estado, acerte naquilo que for possível, e as dificuldades que não são poucas, sejam superadas com muito trabalho juntamente com toda sua equipe para melhoria da vida de todos nós potiguares. É o que penso.

      Resposta
  • 14 de novembro de 2018 em 05:56
    Permalink

    A governadora estava na área de conforto! Ser senadora é um céu comparando com uma cadeira de governadora! Quando especialistas avaliavam seu perfil com o do candidato Carlos Eduardo seria por vários motivos. Direito humano só serve para aumentar as impunidades! Só serve para crucificar o policial na ativa, em fim gostaria de esta convicto de uma gestão inovadora, mas acreditem em menos de um ano até saudade do Robson Farias vamos ter!!!!! Espero esta errado com o meu diagnóstico.

    Resposta
  • 14 de novembro de 2018 em 06:31
    Permalink

    Me diga quando foi q o petismo deu valor a área de segurança? Quanto a bandidos, ai sempre defenderam.

    Resposta
  • Pingback: Indicado para equipe de transição passa por linchamento moral no júri das redes sociais – Blog do Barreto

  • 14 de novembro de 2018 em 15:59
    Permalink

    Uma outra questão relativo a escolha do ivenio não é sua competência como teórico , mas , na prática,principalmente no tocante à situação atual em q chegou a criminalidade…a governadora precisa sair desse método de visão teórica e utópica em relação ao caos em q nos encontramos e trazer para o seu time pessoas com experiências reais na segurança e não quem vive só debatendo demagogia..

    Resposta
  • Pingback: Confira os cinco textos do blog mais lidos na semana – Blog do Barreto

  • 1 de dezembro de 2018 em 14:16
    Permalink

    Pelos comentários que li, se Carlos Eduardo tivesse ganho as eleições, todos os problemas do RN iam desaparecer a parti de 01 de janeiro. Esquecem que o nosso estado está situação em que se encontra, exatamente pelo fato dos últimos governos terem sidos controlados por seus familiares. Juntamente com mais duas ou três famílias que fizeram do RN o que bem quiseram, principalmente, deixaram o RN literalmente quebrado e no fundo do posso. Pelo o andar da carruagem, não vejo perspectivas de melhoras de imediato, pois não acredito em varinha mágica.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *