Governador atende a pleitos de empresários mossoroenses

O governador Robinson Faria (PSD) recebeu empresários mossoroenses da Construção Civil de Mossoró e da Indústria Salineira. O encontro foi solicitado pelo prefeito Francisco José Junior (PSD)

O primeiro assunto foi relacionado aos construtores que reivindicam a agilização de novas ligações de água para empreendimentos já liberados.

O plano dos construtores é construir 5 mil novas unidades habitacionais numa tentativa de reaquecer o mercado imobiliário de Mossoró. Para isso eles aguardam o termo de viabilidade da Caern.

A iniciativa esbarra na deficiência na oferta de água em Mossoró. “Diante disso, saímos da reunião com três propostas viáveis para vencermos esta dificuldade. O governador se comprometeu em otimizar os poços existentes, garantindo mais 400 metros cúbicos de água para Mossoró, e realizar mutirão para ampliar o número de hidrômetros, o que garante mais controle da água e do retorno financeiro para a companhia. Além disso, os empresários sugeriram uma Parceria Público Privada (PPP) onde eles perfurariam um poço e venderiam a água para a Caern”, explicou Francisco José Junior que considerou a reunião proveitosa. “Saímos com o problema bem encaminhado, assegurando a continuidade dos projetos habitacionais, evitando a desaceleração do programa Minha Casa Minha Vida e, principalmente, futuras demissões no setor”, avaliou.

O presidente do Sindicato da Construção Civil (SINDUSCOM), Jorge do Rosário, considerou a reunião produtiva. “Tivemos a participação do prefeito que foi muito importante. Ele mostrou o prejuízo para cidade se não houvesse uma solução. O governador se mostrou sensível e pediu ao presidente da Caern que resolvesse o problema.  Na realidade temos água, falta investimento para fazer chegar aos consumidores”, comentou.

O governador disse que é importante facilitar o fortalecimento da construção civil. “A construção civil é um setor com grande capacidade de empregabilidade. E quando o Governo atua para atender demandas como a do abastecimento de água, está atuando para incentivar as atividades econômicas, a construção civil e fortalecer o crescimento da economia, fazendo o Estado se desenvolver”, acrescentou.

Ficou agendada uma nova reunião para a próxima segunda-feira com o presidente da Caern para ele liberar os termos de viabilidade que vai permitir os novos projetos da construção civil.

Após a saída dos construtores, entraram os salineiros que trouxeram três pedidos sendo o mais urgente a renovação da redução da base de cálculo do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para o setor. A solicitação foi atendida pelo governador Robinson Faria. ““Nós ficamos muito felizes com esse encontro e com os encaminhamentos, em especial sobre a manutenção da redução da base de cálculo sobre o ICMS do sal e da isenção do preenchimento do Cadastro Ambiental Rural por entender que o nosso produto não configura uma atividade agrossilvipastoril (pastagens, criação de animais, lavoura e florestas)”, comemorou o presidente do Sindicato da Indústria de Moagem e Refino do Sal do Estado do Rio Grande do Norte, Renato Fernandes.

Ao assinar o documento o governador Robinson Faria disse fazer o possível pelo desenvolvimento da indústria salineira do Estado. “Nosso pensamento é de sempre fornecer as melhores condições para continuar desenvolvendo a nossa indústria, apoiando a cadeia produtiva e possibilitando um ambiente de igualdade para a competição”, justificou o governador.

As outras duas solicitações foram a agilização de processos junto ao Instituto de Desenvolvimento Econômico e Meio Ambiente (IDEMA) e o apoio para diminuir a concorrência considerada injusta do sal chileno. “Faz tempo que venho encampando essa luta com os salineiros, tendo, inclusive, participado de uma reunião em Brasília para defender o setor. Assim como hoje, quando conseguimos avançar muito nos pleitos, me coloco sempre à disposição deste segmento tão importante para a economia de Mossoró e do Rio Grande do Norte”, declarou o prefeito.

Compartilhe:

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *