Governadora e prefeita sucumbem ao lobby empresarial

Fátima e Rosalba decidiram ceder as pressões do sindicatos patronais (Foto: web/autor não identificado)

A governadora Fátima Bezerra (PT) e a prefeita Rosalba Ciarlini (PP) até tentaram resistir às pressões, mas no final escolheram sucumbir ao lobby empresarial e flexibilizaram o comércio.

Não havia qualquer indicativo de recuo da covid-19. No Rio Grande do Norte número de confirmações aumenta diariamente. Em Mossoró a aparente estagnação não corresponde a realidade. Faltam mais testes para termos uma decisão mais segura.

A patética carreata realizada em Mossoró no dia 21 de abril não influenciou nas decisões de prefeita e governadora. Pesou a articulação forte das entidades patronais nos bastidores.

É fato que os prejuízos saltam aos olhos e que pais e mães de famílias estão sendo desempregados. Defendemos aqui nesta página que sejam aplicadas medidas compensatórias que vão muito além da ajuda emergencial de R$ 600.

Os representantes dos trabalhadores, contrários a abertura do comércio, já se posicionaram contra as medidas de governo e prefeitura, mas esta é a parte que os governantes não dão cabimento. Na imprensa são escassos os espaços dados aos representantes dos trabalhadores.

Abrir o comércio para colocar pobres atendendo clientes é fácil. Quero ver alguém propor a reabertura das escolas neste momento.

Compartilhe:

Comments

comments

2 opiniões sobre “Governadora e prefeita sucumbem ao lobby empresarial

  • 25 de abril de 2020 em 12:13
    Permalink

    Meus filhos só vão a escola esse ano qd estiver sobre controle essa situação, nem que p isso comprometam o ano de estudo.

    Resposta
  • 25 de abril de 2020 em 14:32
    Permalink

    Bom senso, regra de três e sopa de galinhas não fazem mal a ninguém. O contingente policial é insuficiente para garantir a quarentena e também a segurança. São poucos tanto para garantir o isolamento quanto para fiscalizar a liberação. A PMM é o governo do estado estão somente adequando a lei ao fato concreto. Com a palavra os arautos do estado mínimo que defendem o isolamento.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *