Imagem de “grande gestor” de Carlos Eduardo está abalada

Protesto em Natal
Sindicatos tocam terror no governo Carlos Eduardo que atrasa salários

Abertas as urnas nas eleições do ano passado saltou um favorito ao Governo do Estado em 2018: Carlos Eduardo Alves (PDT). Com 63,42% dos votos válidos ele venceu com folga no primeiro turno num pleito em que não permitiu ter adversários.

Nas idas e vindas da política natalense, o prefeito foi beneficiado pela catastrófica gestão de Micarla de Souza antes e depois da passagem dela pelo cargo. Foi ele quem antecedeu e sucedeu a ex-política que não deixou saudades na capital do Estado.

Ao ser reeleito com a maior margem já vista na capital do Rio Grande do Norte, Carlos Eduardo chegou lá graças a fama de “grande gestor” construída as custas do péssimo desempenho de Micarla.

Ela foi um cabo eleitoral e tanto. Parou nisso!

Embora tenha passado a imagem positiva nos últimos quatro anos, Carlos Eduardo tão logo passou o pleito passou  atrasar salários. A situação provocou vários protestos dos servidores e sindicatos.

Some-se a isso a crise no sistema prisional cujos reflexos caem nas costas dele por ter sido o secretário de justiça e cidadania responsável pela construção da Penitenciária de Alcaçuz palco na barbárie exibida em rede nacional.

Se Carlos sonha ser governador, ele já foi disputou o cargo em 2010 (fato que sinaliza interesse no posto), vai precisar ter muito cuidado porque a imagem de “grande gestor” está definitivamente abalada pelos fatos.

Compartilhe:

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *