Juiz afirma que eleição de presidente da Câmara não pode levar em consideração interesses pessoais

herval-sampaio-juiz-wr-9-1024x6791

Afirmando não ter nenhuma informação sobre irregularidades a respeito da disputa pela presidência da Câmara Municipal, o juiz Herval Sampaio Junior criticou parlamentares que levam em consideração interesses pessoais na escolha do comando dos legislativos. “Não comento em específico nada da política local que muitas vezes sequer pode ser chamada como tal e sim politicagem, contudo ressalto que o mais importante nesse processo de eleição de câmaras de um modo geral é que a independência do poder legislativo seja assegurada e que o voto dos parlamentes como o do cidadão comum seja sempre pelas propostas dos candidatos e nunca com satisfação de interesses pessoais, inclusive do mandato dentro do que condeno de estrutura do poder pelo poder”, avaliou.

Ele reforçou não ter informações de nada fora dos parâmetros republicanos da disputa pelo comando da casa e declarou ter esperança na nova legislatura. “Não sei nada em peculiar a situação de Mossoró. Como cidadão tenho muita esperança nos novos vereadores e de que as práticas antigas serão extirpadas de nossa cultura. Teremos novas ações em consonância com que a sociedade espera nesse novo momento. Como diretor do fórum, afirmo que o Poder Legislativo terá sempre no judiciário um parceiro institucional”, acrescentou.

O magistrado que também é professor defendeu a importância do vereador para a sociedade. “Como professor de direito eleitoral e agora trabalhando com os aspectos jurídicos das funções típicas dos vereadores, tenho destacado a importância do vereador no cenário da política nacional e em especial a potencialização de sua atuação fiscalizatória para consecução dos interesses sociais”, acrescentou.

Compartilhe:

Comments

comments

3 opiniões sobre “Juiz afirma que eleição de presidente da Câmara não pode levar em consideração interesses pessoais

  • 2 de janeiro de 2017 em 20:13
    Permalink

    quero ver ele tirar rosalba ela e rosado ele bagunçou com nossa politica eu duvido tirou cladia e botou esse desastre agora eu duvido

    Resposta
  • 2 de janeiro de 2017 em 21:23
    Permalink

    Bom seria se não tivéssemos mais vereador de oposição e de situação, mas sim vereador comprometido com o povo. Se algum projeto for bom para a cidade, que votassem independente de cores partidárias ou interesses pessoais. Mas, isto requer muita civilidade, o que ainda não alcançamos, pois, predomina as vaidades e interesses particulares.
    Mas, devemos esperar que pelo menos, nas questões mais polêmicas, se posicionem a favor do povo.

    Resposta
  • 5 de janeiro de 2017 em 11:08
    Permalink

    Politica é uma diarreia necessária para uma sociedade que vive a procura de algo melhor. É a oportunidade de encontrar uma pequena melhora, Para que os ditadores não cause revoltas armadas tirando o direito da liberdade e de expressão. O que falta é ter um Homem de vergonha que se faça cumprir a lei. E uma medida provisoria que tire qualquer politico que tenha processo jugado e condenado, em toda esfera jurídica. Essa medida devem constar que qualquer eleitor tem que ter escolaridade, para ser candidato tenha que fazer um curso de 90 dias sobre o que é uma câmara legislativa, e o que compões uma prefeitura e os três poderes. E nessa medida provisoria tem algo que impeça que Juiz tem ações de formato tendencioso. E que as empresas de publicidades seja obrigadas a fiscalização da receita federal a cada 90 dias. E que secretario que esteja sendo investigado não possa a assumir funções de secretário. Tenha que ser afastado das funções. E que se faça uma republica. Qualquer politico só pode se candidatar e assumir para a mesma função duas vezes. e para secretárias apenas uma vez. Assim é uma republica, se não for assim, vira um reinado com grupos de famílias e sobre nome como uma reinado supremo. deveria ser proibido funções de direção para pessoas que não esteja qualificada tecnicamente para atua no ogão a fim. Ex:. um padeiro ser diretor em uma unidade de saúde.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *