Maioria dos parlamentares do RN faltam votação que retirou R$ 1,1 bilhão da educação prejudicando UFERSA, IFRN e UFRN

Ontem a Congresso Nacional finalizou a votação do Projeto de Lei (PLN) 18/19 que fez alterações no orçamento retirando R$ 1,15 bilhão da educação.

A matéria trata de remanejamentos que prejudicam a educação beneficiando ministérios da Saúde, da Defesa, do Desenvolvimento Regional e da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.

A área mais prejudicada na educação são as bolsas de pesquisas.

No Rio Grande do Norte o prejuízo é de R$ 12,5 milhões para as universidades federais, incluindo recursos previstos para a UFRN (R$ 8,76 milhões) IFRN (R$ 2,47 milhões) e UFERSA (R$ 1,27 milhões).

Na Câmara a matéria passou por 270 x 17. Do Rio Grande do Norte só o deputado General Girão (PSL) votou a favor dos cortes. Natália Bonavides (PT) e Rafael Motta (PSB) obstruíram* a pauta. Já Beto Rosado (PP), Fábio Faria (PSD), João Maia (PL), Benes Leocádio (Republicanos) e Walter Alves (MDB) não compareceram a votação.

No Senado a bancada do RN se ausentou da votação que foi de  40 votos a 2 em favor das alterações propostas pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL).

Saiba mais AQUI.

Glossário:

Obstrução é recurso usado para evitar a votação de determinada matéria. É anunciada pelo líder do partido ou do bloco, fazendo com que os parlamentares liderados se retirem do Plenário. Apenas o líder do partido ou do bloco em obstrução permanece em Plenário.

Compartilhe:

Comments

comments

4 opiniões sobre “Maioria dos parlamentares do RN faltam votação que retirou R$ 1,1 bilhão da educação prejudicando UFERSA, IFRN e UFRN

  • 10 de outubro de 2019 em 19:36
    Permalink

    MENSAGEM ENVIADA AO PRESIDENTE BOLSONARO
    Fale com o Presidente

    Esta mensagem foi identificada como spam. Iremos excluí-la depois de 10 dias. Não é spam
    falepr@presidencia.gov.br
    Qui, 10/10/2019 20:27

    Inácio Augusto de Almeida,

    Consta em nosso banco de dados uma mensagem enviada ao Presidente da República deste endereço eletrônico. Precisamos de sua confirmação ou cancelamento.

    Para confirmar ou cancelar o envio da mensagem favor seguir as instruções logo a seguir.

    Dados da mensagem:

    Nome: Inácio Augusto de Almeida
    Cargo:
    Instituição:
    Endereço: Hérmogenes Nogueira da Costa, 49
    Bairro:
    Cidade: MOSSORÓ
    UF: RN
    CEP: 59621380
    País: BRASIL
    E-mail: joaodealmeidamagalhaes@hotmail.com
    Telefones: 84991397139
    Sexo: MASCULINO
    Faixa etária: IDOSO (mais de 60 anos)
    Mensagem:
    A CEF faz contrato imobiliário prometendo ao mutuário prestações decrescentes e depois passa a cobrar prestações crescentes. Por ocasião da assinatura do contrato perguntei N vezes ao funcionário se as prestações eram decrescentes e ele sempre respondia que sim. Após passar a pagar prestações crescentes, reclamei e recebi um e-mail assinado pelo gerente Julierme Torres, Agência Coronel Gurgel, Mossoró-RN, afirmando que havia INCONSISTÊNCIA na planilha de cálculo do meu contrato imobiliário. Respondi solicitando que me fosse enviado uma planilha SEM INCONSISTÊNCIA e passados mais de 10 meses não obtive nenhuma resposta. Para aumentar ainda mais a falta de controle da CEF, no recibo de pagamento que recebi hoje não consta a prestação paga em 25/09/19. É como se eu não tivesse pago a prestação, coisa IMPOSSÍVEL de acontecer já que o débito é feito direto na minha conta corrente. O Senador Álvaro Dias clama por uma CPI na CEF. Não entendo esta CPI ainda não ter sido instalada no seu governo que prometeu a todos os brasileiros o combate à corrupção. Lembro que a quase totalidade dos gerentes da CEF foram nomeados nos governos Lula, Dilma e Temer por indicação de políticos na sua maioria envolvidos em maracutaias. A hora é de começar a agir em defesa do povo mais pobre deste país tão espoliado pela corrupção.
    Atenciosamente
    Inácio Augusto de Almeida

    Resposta
  • 10 de outubro de 2019 em 19:40
    Permalink

    Fale com o Presidente
    falepr@presidencia.gov.br
    Qui, 10/10/2019 20:27
    Consta em nosso banco de dados uma mensagem enviada ao Presidente da República deste endereço eletrônico.
    Dados da mensagem:
    Nome: Inácio Augusto de Almeida
    Mensagem:
    A CEF faz contrato imobiliário prometendo ao mutuário prestações decrescentes e depois passa a cobrar prestações crescentes. Por ocasião da assinatura do contrato perguntei N vezes ao funcionário se as prestações eram decrescentes e ele sempre respondia que sim. Após passar a pagar prestações crescentes, reclamei e recebi um e-mail assinado pelo gerente Julierme Torres, Agência Coronel Gurgel, Mossoró-RN, afirmando que havia INCONSISTÊNCIA na planilha de cálculo do meu contrato imobiliário. Respondi solicitando que me fosse enviado uma planilha SEM INCONSISTÊNCIA e passados mais de 10 meses não obtive nenhuma resposta. Para aumentar ainda mais a falta de controle da CEF, no recibo de pagamento que recebi hoje não consta a prestação paga em 25/09/19. É como se eu não tivesse pago a prestação, coisa IMPOSSÍVEL de acontecer já que o débito é feito direto na minha conta corrente. O Senador Álvaro Dias clama por uma CPI na CEF. Não entendo esta CPI ainda não ter sido instalada no seu governo que prometeu a todos os brasileiros o combate à corrupção. Lembro que a quase totalidade dos gerentes da CEF foram nomeados nos governos Lula, Dilma e Temer por indicação de políticos na sua maioria envolvidos em maracutaias. A hora é de começar a agir em defesa do povo mais pobre deste país tão espoliado pela corrupção.

    Resposta
    • 10 de outubro de 2019 em 22:08
      Permalink

      Conversa mole gado bolsominion…

      Resposta
  • 11 de outubro de 2019 em 02:57
    Permalink

    Tinha que aparecer um jumento encantado pelo preso de Curitiba.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *