Natal apostou no “tratamento” precoce contra covid-19, mas tem taxa de letalidade acima da média nacional

Prefeito de Natal é investigado por distribuir ivermectina para prevenir  covid
Álvaro apostou na ivermectina (Fotomontagem: reprodução)

Estudo divulgado pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) apontou que Natal, epicentro d covid-19 no Estado, tem uma taxa de letalidade da doença acima da média estadual e nacional.

No Brasil a taxa de letalidade é de 2,42, no Rio Grande do Norte é de 2,1 enquanto que em Natal esse número é de 2,97. Um dado curioso é que excluindo a capital o índice no Estado cai para 1,82.

Os números foram apresentados à Tribuna do Norte pelo o professor do Departamento de Infectologia (DNIF/UFRN), o infectologista Ion Mascarenhas de Andrade.

Natal apostou pesado no “tratamento” precoce, principalmente em relação à ivermectina, remédio para piolho e verme, sugerido pelo prefeito Álvaro Dias (PSDB) como eficaz contra a doença. As “maravilhas” do medicamento foram amplamente propagadas pela mídia natalense. O resultado é que pesquisa do Instituto Consult divulgada pela própria Tribuna do Norte mostrou que 70,13% dos moradores da capital acreditam na eficácia do “tratamento” precoce.

Para Ion Andrade, o índice de letalidade mostra que os medicamentos indicados não funcionam. “Os dados mostram que o que nós esperaríamos em termos de números melhores em função do uso amplo de terapêuticas do tratamento precoce não se constatam na epidemiologia. Inclusive, os números da capital são mais preocupantes do que os índices do restante do Estado. Não dá para dizer se são os medicamentos usados para tratamento precoce que estão provocando o aumento desses números. Mas o que eu quero dizer é que, quando se utiliza uma terapêutica que funciona, esse fator deve ecoar na epidemiologia como uma melhora do contexto geral e isso não acontecendo”, explicou à Tribuna.

Outro professor do DNIF, Henio Lacerda, reforça que essa confusão em torno de um tratamento sem comprovação científica ajuda piorar os números. “Em nenhum país do mundo há recomendação de tratamento precoce contra a covid-19, porque não há comprovação científica para isso. Mas o que a gente percebe é: praticamente todos os pacientes que nós estamos recebendo nas unidades hospitalares para internação e que evoluem para quadros graves e óbitos, fizeram uso de medicamentos de forma preventiva ou tratamento precoce”, relatou.

Ele reforça que a ilusão mais atrapalha que ajuda: “Na Europa e nos EUA já existe consenso sobre as recomendações. Para pacientes que não precisam ser internados, o tratamento é padrão, com medicamentos apenas para controlar sintomas como febre e dor de cabeça, por exemplo. Aqui no Brasil e em algumas partes do mundo e que não são utilizadas como referência nossa é que essas recomendações destoam. E, coincidentemente ou não, nós somos um dos poucos países que está com a pandemia fora de controle”.

Com informações da Tribuna do Norte.

Compartilhe:

Comments

comments

2 opiniões sobre “Natal apostou no “tratamento” precoce contra covid-19, mas tem taxa de letalidade acima da média nacional

  • 30 de março de 2021 em 15:57
    Permalink

    Isso é o que eu chamo de medo mórbido de Álvaro Dias ser governador. Uma politicagem sebosa, vergonhosa. Ainda bem que o povo sabe da verdade: ivermectina não é indicada para covid19, por motivos óbvios, mas todo mundo sabe que juntamente com outros medicamentos que também não são explícitos em suas bulas para covid, têm salvado muitas vidas.
    Entre ivermectina e o tubo eu fico com o primeiro.

    Resposta
  • 30 de março de 2021 em 16:05
    Permalink

    Médicos esquerdistas; tinha que sair da boca de um fundamentalista. A classe médica foi quem mais lutou para colocar um verme no poder e esse mesmo verme, está os matando de tanto trabalho, stress e até mesmo os dizimando, contagiados pelo aliado do tirano, Bolsonaro. Natal está sentindo na pele, nas covas escavadas a cada meia hora, os resultados da alienação de uma parte de cidadãos que não seguem a ciência e cumprem A cartilha de psicopatas, que assinam de uma maneira estúpida e irresponsável, tratamento precoces, e a resistência a isolamento social. Triste terra onde eu nasci!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *