Números mostram que mulheres integram coligações proporcionais apenas para “cumprir lei”

O Blog do Barreto fez um levantamento sobre as chapas proporcionais nas eleições em Mossoró e constatou o que todo mundo sempre desconfiou: colocam mulheres apenas para cumprir a legislação que obriga a inclusão de 30% de pessoas do sexo feminino nas disputas proporcionais.

O que deveria ser um incentivo à entrada de mais mulheres na política termina funcionando como um instrumento de constrangimento.

Nada menos que 32 mulheres tiveram menos de 10 votos nas eleições deste ano. Enquanto que apenas oito homens tiveram votações neste patamar. Como há bem mais homens entre os mais 400 candidatos inscritos na luta para chegar a Câmara Municipal fica claro que as mulheres integraram as chapas apenas para “cumprir tabela”. Tanto que sete delas sequer votaram nelas próprias. Não receberam um único sufrágio. Outras cinco receberam um único voto.

lana-e-raerio

Há casos como o de Alberlania Lucena que se inscreveu na Justiça Eleitoral como “Lana Lucena”. Mesmo candidata pelo PRB ela trabalhou para eleger Raério Cabeça, que acabou vitorioso. Ela não teve um único voto, nem o dela.

O PRB é, ao lado do PRP, o campeão de mulheres com menos de dez votos. Além de Lana, ficaram na lista Francisca Madalena (0), Aline Guimarães (3) e Emília da Salada (5).

No PRP a lista é composta por Gilvânia do Santo Antonio (7), Verônica (3), Valéria Alves (1) e Professora Jadir (0).

Compartilhe:

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *