O preço da subserviência

A bancada governista fez a escolha política de endossar o projeto de reajuste salarial dos servidores recheado de pegadinhas (ver AQUI) que prejudicam algumas categorias.

A proposta não é resultado de uma negociação entre a prefeita Rosalba Ciarlini (PP) e o Sindicato dos Servidores Público Municipais (SINDSERPUM).

Pesou o primitivismo político do rosalbismo.

Por sinal, a prefeita não escapou da ira do sindicato.

Agora a fatura chega com desgaste detalhado em forma de outdoor. O preço político pode ser alto.

2020 é logo ali.

Compartilhe:

Comments

comments

2 opiniões sobre “O preço da subserviência

  • 16 de março de 2019 em 20:00
    Permalink

    Cada professor tem uma família, eles esqueceram disso.

    Resposta
  • 17 de março de 2019 em 07:54
    Permalink

    Isso não merece apoio de ninguém, só mesmo da imprensa. Né mesmo? Me diga traidores de quem? Qual foi destes vereadores q recebeu voto de algum sindicalista? Respondo, nenhum. Portanto, não tem traição. Né não?

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *