OAB/Mossoró está em crise

9609a337-1631-4314-8805-c4ab7c999e98

Não é uma mera discordância em relação ao posicionamento do Conselho Federal da Ordem dos Advogados (OAB) como vem sendo tratado o posicionamento de um grupo de causídicos mossoroenses contrários ao impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Há uma crise interna na gestão de Canindé Maia a frente da subseccional de Mossoró da OAB. É que, sem ouvir os conselheiros subseccionais, o presidente se manifestou em nome da entidade endossando a decisão da ordem em nível federal de apoiar o afastamento da presidente da república.

No  Facebook, Canindé afirmou que a Subseccional de Mossoró segue as decisões da Seccional do Rio Grande do Norte que por sua vez acompanhou a decisão em nível federal. “Compreendo que o pedido de Impeachment protocolado pelo Conselho Federal representa a vontade da maioria dos advogados do Brasil. No entanto, reconheço e respeito a existência de opiniões divergentes quanto ao tema”, argumentou.

Ao se manifestar em nome da entidade sem consultar os conselheiros subseccionais, Canindé provocou uma crise no grupo que ajudou a elegê-lo. Em nota um grupo de advogados, incluindo o ex-presidente Humberto Fernandes, assinou um manifesto contra o impeachment, mas sem fazer menção ao presidente da OAB/Mossoró.

O grupo entende que a presidente não cometeu crime de responsabilidade. “O instituto do impeachment perfaz medida anômala e excepcionalíssima, cuja banalização deve ser rechaçada, sendo certo que, no momento, seus efeitos são presumivelmente mais danosos para nossa recente democracia advinda após duros e sofridos 21 (vinte e um) anos de regime militar. Nossa maior resposta aos anseios sociais, neste período conturbado, deve ser a defesa intransigente e radical das garantias constitucionais, considerando que o Estado Democrático de Direito sofre severa ameaça com a adoção de outra posição”, afirma trecho da nota.

Há, inclusive, advogados que cogitam entregar os cargos que ocupam nas comissões da Subseccional.

Compartilhe:

Comments

comments

2 opiniões sobre “OAB/Mossoró está em crise

  • 31 de março de 2016 em 20:44
    Permalink

    “O instituto do impeachment perfaz medida anômala e excepcionalíssima, cuja banalização deve ser rechaçada.”

    É pra rir…

    Quando oposição, o PT chegou ao extremismo de apresentar um pedido de impeachment a cada 03 meses, totalizando 50 protocolados…

    Ai agora me sai com essa de “anômala e excepcionalíssima” ?

    Resposta
  • 31 de março de 2016 em 21:10
    Permalink

    O presidente Canindé Maia tomou medida acertada, eis que seguiu o posicionamento do Conselho Federal e Estadual.

    Não vejo nenhuma crise na OAB, o que vejo é um pequeno grupo, que representa a minoria dos advogados, expressando sua posição político-partidária alinhada ao petismo, e que certamente são contrários ao impeachment.

    Expresso meu apoio ao presidente Canindé Maia e o meu respeito aos colegas petistas.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *