Ocupação de leitos clínicos é menor que ocupação de leitos de UTI em Mossoró

Unidades hospitalares que atendem pelo SUS em Mossoró contam com leitos clínicos vagos (Foto: Divulgação/ Prefeitura de Mossoró)

A maior parte dos 85 leitos clínicos e das cinco salas vermelhas do SUS para atendimento a pacientes com sintomas do novo coronavírus existentes em Mossoró, estão vagos nesta terça-feira, 9. Já a realidade dos leitos críticos é diferente, como mostrado em matéria publicada pelo blog na manhã de hoje.

Na Unidade de Pronto Atendimento Raimundo Benjamim Franco (UPA do Belo Horizonte) que conta com 35 leitos clínicos e cinco leitos de sala vermelha (leitos emergenciais), cinco leitos clínicos e um de sala vermelha estavam ocupados. A informação foi divulgada no informativo da assessoria de comunicação da Prefeitura de Mossoró, emitido às 14h50 desta terça-feira. De acordo com a assessoria, a Unidade recebe pacientes de Mossoró, encaminhados pelas Unidades Básicas de Saúde, além dos pacientes que procuram diretamente a UPA.

No Hospital São Luiz, administrado pela Associação de Assistência e Proteção a Maternidade e à Infância de Mossoró (APAMIM), oito dos 30 leitos estavam ocupados, segundo informou a assessoria de comunicação. Os pacientes internados no São Luiz chegam à Unidade Hospitalar por meio da Central de Regulação do SUS em Mossoró.

Já no Hospital Rafael Fernandes, 50% dos 14 leitos clínicos existentes estavam ocupados, segundo informou o diretor da unidade hospitalar, Leonardo Menezes, através da assessoria de comunicação da Secretaria da Saúde Pública do Rio Grande do Norte (SESAP-RN).

O Hospital Regional Tarcísio Maia (HRTM) também possui seis leitos clínicos. Porém, nesse caso, os leitos são disponíveis para a regulação. Como explica a assessoria de comunicação do HRTM, quando um paciente chega ao Hospital Regional para ser atendido por outro problema de saúde, como uma fratura, por exemplo, e o quadro aponta também suspeita de Covid-19, esse paciente é encaminhado para um desses seis leitos. Segundo a assessoria, os seis leitos estavam ocupados ao final da tarde de hoje.

Unidade hospitalar Leitos clínicos ocupados* Leitos clínicos vagos* Total de leitos por unidade hospitalar
UPA do Belo Horizonte 5 30 35
Hospital São Luiz 8 22 30
Hospital Rafael Fernandes 7 7 14
Hospital R. Tarcísio Maia 6 0 6

*Dados informados conforme números enviados pelas assessorias de comunicação na tarde desta terça-feira, 9.

 

Leitos críticos

Já em relação aos leitos de UTI existentes em Mossoró para o tratamento de pacientes com sintomas de Covid-19, a realidade é diferente, com forte pressão sobre o Hospital Regional Tarcísio Maia (HRTM) e o Hospital São Luiz. Cada um dispõe de 20 leitos de UTI, totalizando 40.
Às 17h35 desta terça-feira, a taxa de ocupação nos dos hospitais era de 95%, cada um desses hospitais estava com um leito disponível. Porém, a fila de espera na regulação do Estado, tinha 62 pacientes a espera de leitos críticos, número maior que os leitos de UTI e UCI vagos no Estado.

Unidade hospitalar Leitos de UTI ocupado** Leitos de UTI disponível** Total de leitos por unidade hospitalar
Hospital R. Tarcísio Maia 19 1 20 
Hospital São Luiz 19 1 20 

**Dados baseados nas informações do RegulaRN

 

***Publicação editada às 20h53 de 10 de junho para acréscimo de informação sobre leitos de UTI disponíveis na data mencionada – questão de digitação (a informação já constava na tabela); e para confirmação de que fila de espera por UTI remete à regulação do Estado. 

Compartilhe:

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *