Para presidente do IPERN aumentar alíquota não resolve problema previdenciário do RN

Nereu Linhares explica porque aumentar alíquota não resolve problema previdenciário no RN (Foto: Aline Linhares)

Entrevistado ontem no Meio-Dia Mossoró (95 FM), o presidente do Instituto de Previdência do Rio Grande do Norte (IPERN) Nereu Linhares declarou que não adianta aumentar a alíquota previdenciária de 11% para 14% como tem sido proposto.

“Vejo muita gente defendendo essa ideia, mas ninguém traz os cálculos para mostrar objetivamente que revolve”, argumenta.

Segundo Nereu, o que resolve é “dinheiro novo” e de onde viria isso? Ele explica: “O ‘dinheiro novo’ viria da contratação de novos servidores que iriam contribuir diminuindo déficit de 130 milhões mensais”, frisa.

Ele reforçou as palavras da deputada estadual Isolda Dantas (PT) de que a governadora Fátima Bezerra (PT) não pretende aumentar a alíquota. “Não há essa disposição nem eu aconselharia a governadora a fazer isso porque não resolve”, complementa.

Sobre os 44 mil servidores inativos que nunca contribuíram com a previdência e hoje recebem benefícios do IPERN ele afirma que não há como fazer a cobrança e que o dinheiro está perdido. “A saída nesse caso são os aposentados pela Assembleia Legislativa e Judiciário assumirem a responsabilidade sobre seus aposentados, mas aí é uma negociação entre chefes de poderes que está em curso”, explica.

A entrevista será reprisada na íntegra na TV às 19h, no próximo domingo no programa Plenário TCM.

Compartilhe:

Comments

comments

2 opiniões sobre “Para presidente do IPERN aumentar alíquota não resolve problema previdenciário do RN

  • 17 de abril de 2019 em 09:52
    Permalink

    Se o aumento da alíquota não resolve, então qual é a mágica que vão enventar para resolver?

    Resposta
  • 17 de abril de 2019 em 12:59
    Permalink

    Eu duvido judiciario e legislativo fazerem alguma coisa. São duas categorias formadas por sanguessugas

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *