POR QUE ALGUNS MÉDICOS ACEITAM “ BANCAR “ A OBSTETRICIA DE MOSSORÓ? 

parto-en-el-agua-parte-2

Por Clínica de Anestesiologia de Mossoró – CAM

 

“ A Obstetrícia  reflete o grau de civilização e moral de um povo, pois revela o zelo que se tributa à mãe e ao futuro cidadão, finalidade suprema da política social de todos os tempos. “

Vivemos em épocas de Constituição Cidadã, ( CF – Art. 5º XXXV ) de forma que apenas relatamos uma parcela das dificuldades encontradas para praticar anestesia. Um vendaval de desesperança.  Não sabemos aonde encontrar proteção jurisdicional nunca.

Dentro da estrutura da Maternidade Sob  Intervenção Federal , autofinanciável, segundo divulga a Diretoria da maternidade,   realizamos um trabalho de excelente padrão técnico científico. Lidamos com  situações obstétricas críticas diuturnamente, superando adversidades e salvando vidas. As Anestesias no complexo materno fe tal exigem quase a perfeição.

Deficiências relacionadas as condições técnicas próximas do ideal interferem em nosso trabalho acarretando riscos. Em anestesia não há como improvisar e nem aguardar as devidas providências ou inspeções agendadas. E agora,  além de grande vigilância durante o ato anestésico devemos  atentar para escorregão, queda e trauma; água dentro das calhas dos focos cirúrgicos, danos em equipamentos e quem sabe eletrocussão.

 Não TEMOS O DEVER E NEM A OBRIGAÇÃO  DE FINANCIAR UMA MATERNIDADE SOB INTERVENÇÃO FEDERAL . Somos técnicos especializados em Anestesiologia. Uma arte, uma vocação.  Estamos amparados no direito irrefutável de receber nossos honorários  ( aproximadamente 300 plantões sem nenhum pagamento é cruel . Dias especiais como Na tal, passagem do Ano, Domingos, feriados e noites sem remuneração é inaceitável e no mínimo revoltante. Não permaneceremos calados ) . Nenhuma Lei neste País, nem mesmo no País de  Mossoró,   obriga um anestesiologista a trabalhar sem uma remuneração justa e possível. Não é aceitável, que na maternidade sob intervenção Federal , o injusto , criminoso e insuportável atraso do pagamento dos plantões , comprovadamente realizados com muito zelo e responsabilidade pelos componentes da Clínica  de Anestesiologia de Mossoró, ocor ra. Ainda esta semana, iremos utilizar OUTDOOR DIGITAL GIGANTE nas ruas para exibir o tratamento dispensado aos anestesiologistas. 

O atraso de pagamento dos plantões  transcende princípios de razoabilidade . Por analogia estamos bancando a anestesia para a assistência obstétrica de Mossoró e região. Gestão Plena ? Gestão da CAM ou descumprimento constitucional    ( Art. 196 – C F )  ou a certeza da impunidade eternamente ?

Ensina o Professor  Dr.  Genival Veloso: “  A recompensa pelo trabalho médico não é soldo, ou um salário, e sim honorários, ou seja, algo que se recebe por honra e gratidão por relevantes serviços prestados “  É manutenç& atilde;o da família, é sobrevivência, é pagamento de moradia, aquisição de medicação, etc, etc. O Estado descumpre compromissos formalizados através de contratos de prestação de serviço. O Estado comete crime ( Art. 168 – CPB ) ao arrepio da Lei. Os gestores da saúde  jamais serão responsabilizados pessoalmente.

A postura repugnante dos Gestores da Saúde:  A – Financia a obstetrícia sem transparência; B – Não possibilita a discussão de indicadores de qualidade; C – Desrespeita, ofende e humilha os anestesiologistas;  D – Exclui o principio da publicidade; E – Induz um tipo de administração através de recomendações judiciais; F – IMPEDE UM CRONOGRAMA DE REPASSE OU PAGAMENTO DOS ANESTESIOLOGISTAS ( Uma incompetência CRÕNICA ) ;  G – Estabelece um tipo de escravidão; H – possibilita a esdrúxula solicitação de prisão dos anestesiologistas em virtude de uma tipificação criminal grave: não aceitar trabalhar sem a contrapart ida do pagamento dos plantões. Nenhuma categoria profissional deve tolerar este padrão de ofensa ou agressão nos dias atuais.  Precisamos reagir ENERGICAMENTO, COM TOLERÂNCIA ZELO E ALTIVEZ. Este trabalho tem valor e salva vidas.

Trabalhamos com a certeza da   ausência total de qualquer segurança jurídica. Torna-se inviável e precário este formato de relação laboral, onde os deveres e obrigações são unilaterais. Sem previsão ou garantia de recebimento de honorários não há satisfação no trabalho.  Isso é injusto e juridicamente incorreto. A incapacidade proposital de estabelecer um calendário de pagamento é a maior demonstração de incompetência. É um  absurdo. É perverso. Não acreditamos mais no que vivenciamos, tem que haver um interesse que ainda permanece na escuridão.

A emissão de notas fiscais sem receita e o não pagamento de juros ou multas , quando  por acaso ocorre   um pagamento, estabelece dificuldades econômicas em qualquer empresa, mesmo nas empresas sem fins lucrativos.  Aonde encontra-se o DINHEIRO DO PAGAMENTO DOS PLANTÕES DOS ANESTESIOLOGISTAS? Há de se ter o bom senso que esta importante especialidade n&atild e;o dever permanecer inerte diante deste ABUSO.  

Diante do exposto, lamentavelmente só vislumbramos uma única solução. Paralisação total deste serviço e retirada imediata de todos os profissionais da CAM da Maternidade Sob Intervenção Federal, ou Casa de Saúde Dix-Sept Rosado ou Almeida Castro ou APAMIM.  Quem será responsabilizado pelo caos que vai  apenas se INTENSIFICAR OU POR ÓBITOS QUE PODEM  OCORREM QUANDO NÃO HÁ ASSISTÊNCIA NA HORA DO PARTO ? Os “  atuantes “  gestores da Saúde ? O Diretor Técnico da Maternidade ? A Diretoria da Junta Interventora ? Os médicos da cidade ?   E, a sentença sem caber recurso: Os anestesiologistas !!!!!!!!????

É necessário ter praticado anestesia, salvando milhares de vidas diante das  situações mais graves possíveis, para conhecer, sentir o que significa essa injustiça.

É a omissão oficial e impune do Estado.

 Em tempo:

Os Anestesiologistas trabalharam comprovadamente, dentro da estrutura de uma maternidade sob intervenção federal,  sem receber um centavo ( aproximadamente 1.000 anestesias ) durante meses.   Outras especialidades não percebem ( ?? )  a gravidade desta situação. É uma ameaça perigosa a toda a classe médica.  O  normal é tentar massacrar os médicos.

           Governo do Estado do Rio Grande do Norte – SESAP

           Esqueceu de quitar os plantões de NOVEMBRO, DEZEMBRO ( 2016 ) E JANEIRO E FEVEREIRO ( 2017 )

           Prefeitura Municipal de Mossoró – SMS

           Esqueceu de quitar os plantões de DEZEMBRO ( 2016 ) E JANEIRO E FEVEREIRO ( 2017)

          O nosso salário agora depende de bloqueios de verbas publicas. As decisões podem ser questionadas ?  

      “ Quem não luta pelos seus direitos não é digno deles “.

 

Compartilhe:

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *