Precisamos de mais gente BOA na política

Por Rafael Cunha e Gustavo Barreto

Enquanto o interesse particular for mais forte que o interesse público, teremos aquela velha política de “toma lá da cá”, hoje, cada cidadão mossoroense anseia pelo dia em que teremos NOVOS políticos, que busquem atender ao interesse público em primeiro lugar. Precisamos de mais gente BOA na política!

Nem todos precisam ser políticos para participarem da política. Afinal, todos nós somos, no fundo, políticos. Todos queremos educação, saúde, segurança! Queremos infraestrutura de qualidade, queremos uma vida digna para nós e para nosso povo. Mossoró hoje é apelidada de “Cidade Lunar” por causa dos muitos e muitos buracos! São décadas de ajeitadinho que não deu certo. Precisamos fazer algo em relação a isso, precisamos participar mais da política!

O Partido Novo vem atuando em Mossoró com essa finalidade: propõe-se a ser uma ferramenta para pessoas comuns e bem-intencionadas fazerem da política um instrumento de progresso coletivo. Mas por que mais um partido político, quando já existiam 34 outros? Os motivos se resumem em: princípios e valores.

Nascido do ideal de um grupo de 181 pessoas comuns, nenhum deles com ligações políticas partidárias ou eleitorais, o Novo é o único partido que:

– Não usa dinheiro dos impostos para se manter (ou famigerados Fundos Partidário e Fundo Eleitoral)

– Faz um processo seletivo para escolher e preparar os interessados em serem candidatos nas eleições seguintes;

– Proíbe reeleição de seus filiados para cargo no Poder Executivo e permite apenas uma reeleição para cargos Legislativos;

– Proíbe que dirigente do partido seja candidato em eleições. Para se candidatar, o dirigente tem que deixar o posto de diretoria que ocupa no partido pelo menos 1 ano antes das eleições.

– Defende verdadeiramente a diminuição do tamanho do Estado, seus custos e privilégios, devolvendo poder e dinheiro para quem realmente merece tê-los: os cidadãos.

O Partido Novo foi homologado pelo TSE em 2015 e participou de suas primeiras eleições em 2016, com candidatos a vereadores em São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Porto Alegre e Curitiba. Conseguiu eleger um vereador em cada cidade, a exceção de Curitiba. Em 2018, participou das primeiras eleições nacionais, com candidato próprio a Presidente da República, João Amoedo, sendo o 5º mais votado e ficando a frente de políticos e partidos tradicionais, como Marina Silva e Henrique Meireles, do MDB. Elegeu ainda 8 Deputados Federais, 11 Deputados Estaduais, 1 Deputada Distrital (DF) e o primeiro eleito pelo Novo a cargo no Executivo: O Governador de MG, Romeu Zema.

Em Mossoró, o Novo vem promovendo reuniões semanais abertas ao público e gratuitas com temas variados, para trazer as pessoas comuns a participarem mais da política. A meta é aumentar o número de filiados para viabilizar a criação do Diretório Municipal e, só assim, termos candidatos pelo Novo em Mossoró nas eleições de 2020. Convidamos todos a participarem. Afinal, como se diz, se as pessoas de bem não ocuparem espaço, más pessoas ocuparão.

 

Compartilhe:

Comments

comments

9 opiniões sobre “Precisamos de mais gente BOA na política

  • 31 de março de 2019 em 10:34
    Permalink

    Confesso que não o ldo político do blog.

    Resposta
  • 31 de março de 2019 em 10:35
    Permalink

    Confesso que não conhecia o lado político do blog.

    Resposta
  • 31 de março de 2019 em 11:24
    Permalink

    Muito bom. A única coisa que falta para NOVO é ser mais conhecido.

    Parabéns

    Resposta
  • 31 de março de 2019 em 14:18
    Permalink

    A maior força do Novo está no seus filiados.
    A página do partido na internet é aberta para quem se interessar a conhecer o estatuto, os projetos e os políticos eleitos pelo partido.
    Acesse http://www.novo.org.br

    Resposta
  • 31 de março de 2019 em 15:50
    Permalink

    Esse partido mente descaradamente. Aliás, é a cópia perfeita, em essência, do MDB Da ditadura militar.
    É um partido formado, no seu núcleo duro, por um grupo de milionários que pensam nos interesses próprios, inclusive, o dono desta milícia digital a criou colocando 4,5 milhões do próprio bolso. As propostas nada vão além da criação de narrativas querendo se separar do que eles chamam de “velha política”, sendo que representam o que tem de mais velho: o mercado financeiro, a escola de Chicago e austríaca.
    Quer contradição maior do que querer reduzir o estado mamando nas tetas ???
    Este partido indicou o ministro do meio ambiente ao patético governo Fakenaro, diz que não apoia o governo, indica ministro e apoia todas as demandas do presidente. Tem que ser muito bobo para acreditar numa falácia dessas, o MDB já fazia isso com os militares na longa noite que começou em 1964. Deixe se enganar quem quer.
    Outra mentira contada pelo partido e que os membros não possuíam filiação partidária, ora o núcleo econômico quase todo foi filiado ao PSDB e/ou participou de campanhas deste partido.
    Nunca na minha vida tinha visto algo tão parecido com o MDB da ditadura.

    Resposta
    • 31 de março de 2019 em 16:00
      Permalink

      Esse é o comentário mais bobo que eu já li na minha vida…

      Resposta
    • 31 de março de 2019 em 18:49
      Permalink

      Amigo me desculpe, mas quanta asneira em um único comentário, não falou nada com nada. MDB, ditadura, reduzir o estado mamando nas tetas?

      Não dá nem para argumentar de tão fora da realidade.

      Resposta
  • 31 de março de 2019 em 20:48
    Permalink

    Típico do novo MDB da ditadura.
    O partido mais fora da realidade que existe. Viver numa bolhinha de médicos, empresários , rentistas e achar que vai resolver os problemas da população pobre com promessas de redução do estado, que faz parte da nova política e mais subjetivo ainda “prego a eficiência na gestão”, essas narrativas não colam mais, o MDB da ditadura já fez tudo isso, inclusive sendo chapa branca para os militares tal como vcs são para Fakenaro hoje.

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *