Professores encerram greve por força de decisão judicial

Reunidos em Assembleia Geral Extraordinária realizada na manhã desta quinta-feira, 22, os professores da UERN decidiram acatar a decisão judicial do desembargador Cornélio Alves, que determinou a suspensão do movimento paredista iniciado no dia 25 de maio. Dessa forma, depois de 150 dias a greve foi encerrada e o calendário acadêmico já deve ser rediscutido pelo Conselho de Pesquisa e Extensão (Consepe) amanhã.

O professor Lemuel Rodrigues, presidente da ADUERN, explicou que diante da decisão judicial a categoria optou por encerrar a paralisação. “A greve acabou, mas o movimento em defesa da UERN continuará. Estaremos trabalhando ao lado da sociedade e da administração da universidade para que nossa pauta seja cumprida. As negociações continuam abertas e o diálogo permanece. Nossa luta pelo cumprimento do acordo não se encerrou”, afirmou Lemuel.

O docente afirmou que a  ADUERN irá ao Tribunal de Justiça continuar a discussão sobre o processo judicial que está em andamento. “O comando de mobilização vai se reunir na segunda-feira, avaliar o documento do Desembargador e discutir quais são os melhores mecanismos que poderemos utilizar para mostrar a legitimidade de nossa greve e a justeza da pauta de reivindicações”, afirmou.

Lemuel destacou que categoria definiu uma série de encaminhamentos que visam analisar a situação estrutural da universidade, observando as maiores necessidades da instituição. “Faremos um levantamento minucioso avaliando a precarização do trabalho docente, para que tenhamos subsídio para discutir e exigir do Governo e Reitoria as melhorias necessárias.

Outro ponto discutido pela categoria foi o da importância de um detalhamento contábil acerca da política de austeridade promovida pela reitoria da UERN. Os professores lembram que a universidade vem enfrentando uma forte redução orçamentária nos últimos anos e que a austeridade precisa ser analisada com muita cautela. Também foi debatida a situação dos núcleos da UERN e o pagamento para os professores desta modalidade de ensino, que permanece suspenso.

Volta às aulas

Lemuel esclareceu que a decisão acerca do novo calendário acadêmico da UERN compete ao Conselho de Ensino e Pesquisa  (Consepe) da instituição. De acordo com ele, deve ser convocada uma reunião do conselho já amanhã para definir as datas e confirmar o dia de volta às aulas para os mais de 10 mil estudantes de graduação. Lemuel explicou que a categoria já informou ao Reitor e à justiça que está disponível para retomada imediata das atividades.

Compartilhe:

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *