Robinson busca reconstrução política trilhando os caminhos do desgaste

robinson2-1024x705

O governador Robinson Faria (PSD) não pode desistir da segurança pública nem deve. A questão dos salários do funcionalismo, idem. Mas a forma como essas ações são trabalhadas não podem reproduzir os estragos políticos e administrativos de sempre.

Robinson Faria não tem direito de errar.

O governador ainda sonha com uma cada vez mais distante reeleição, mas tem direito de acreditar que milagres acontecem na política muito embora tenha no vice-governador Fábio Dantas (PC do B) uma alternativa.

Na sexta-feira o governo vai trazer novidades na área de segurança em Mossoró, cidade cuja dívida eleitoral está rolando com juros e correção monetária desde 1º de janeiro de 2015. Robinson insiste em ter na segurança um carro-chefe de seu governo. Até aqui o tiro tem saído pela culatra.

Em outra frente, Robinson que um dia prometeu ser “parceiro” dos servidores estaduais agora acena com salários em dia nos próximos 60 dias após mais de 20 meses descumprindo a Constituição Estadual que determina o pagamento da folha dentro do mês trabalhado. A proposta é difícil de ser cumprida a não ser que o governador tenha no gatilho um aporte financeiro extra para pagar a folha. Até aqui as tentativas fracassaram e geraram falsas expectativas.

Ao contrário de Michel Temer que mudou de assunto trocando o discurso “reformista” pelo combate ao crime organizado, Robinson tenta reverter o desgaste que o persegue há três anos trilhando o mesmo caminho que o tornou o governador mais impopular da história do Rio Grande do Norte.

Se a história se repetir será consumada a insistência no erro, com o acréscimo do nada honroso termo “farsa eleitoral”.

Compartilhe:

Comments

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *