Rosalbismo desdenha líderes políticos

O favoritismo da ex-governadora Rosalba Ciarlini (PP) tem provocado um fenômeno curioso. Nunca uma candidatura tão pouco se empenhou para ter um palanque forte. Até duas ex-prefeitas (Fafá e Sandra Rosado) lutam de forma intensa para saber quem indicará o vice.

Ambas são praticamente ignoradas por Carlos Augusto Rosado, líder do rosalbismo. Até mesmo os senadores do naipe de José Agripino, presidente nacional do DEM, e Garibaldi Filho, ex-presidente do Senado e ex-ministro são desdenhados. Henrique Alves, presidente estadual do PMDB, ex-presidente da Câmara dos Deputados e ex-ministro também é ingnorado.

Não é pouca coisa não. Claro que as mágoas do passado colaboram para esse tratamento. Mas o principal fator é o de que o rosalbismo considera esses possíveis aliados dispensáveis.

O senador Garibaldi Filho já entendeu o que está acontecendo e por ele o PMDB está livre para ir para onde quiser.

Até mesmo a formação da proporcional é colocada em segundo plano. É mais fácil deixar cada um por si e formar maioria na Câmara Municipal com quem for eleito.

A demora para do rosalbismo para se definir enfraquece duplamente esses personagens da política mossoroense. Além de mantê-los num quadro de expectativa, dificulta que unidos formem uma chapa competitiva. Carlos mata essa turma por inanição.

O xadrez está sendo jogado por um jogador frio que aguarda para ver o outro lado enfraquecido para ser aliado ou oponente na partida principal.

Compartilhe:

Comments

comments

Uma opinião sobre “Rosalbismo desdenha líderes políticos

  • 3 de agosto de 2016 em 11:06
    Permalink

    Bom dia,

    Estão todos nas mãos do Rosalbismo e Mossoró agradece.
    Espero que Rosalba não disperdesse essa chance de ter uma única cidade deste país que aceita ela como prefeita.

    Boa sorte ROSA !!!!!

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *