Seis por meia dúzia

Muita gente estranhando porque publiquei notícias negativas sobre o deputado estadual Allyson Bezerra (SD). Alguns chegaram ao ponto de me acusar se “rosalbista”, justo eu que há anos denuncio os desmandos da prefeita e seus métodos ultrapassados de fazer política.

A questão são os fatos. Se favorecem ou não um dos dois candidatos que estão polarizando não depende deste operário da informação. Sou escravo dos fatos ainda que me desagradem.

Tenho minhas preferências políticas. Elas são notórias e não preciso ficar repetindo aqui. Não acredito em imparcialidade, mas em honestidade intelectual e disso não abro mão, inclusive quando me convenço de que me equivoco assumo a responsabilidade.

Então a questão é a seguinte: a eleição de domingo está entre uma prefeita que faz uma gestão pífia e um candidato moralista de goela. Ambos são do campo conservador e é normal que eu tenha divergências com ambos.

Na medida em que o candidato Allyson Bezerra subiu nas pesquisas os holofotes passaram a expô-lo mais. Logo ele se tornou mais visado e seus defeitos passam a ser mais analisados pela imprensa. É assim em Mossoró, no Brasil, nos EUA e em qualquer outra democracia.

O candidato se mostra muito parecido com Rosalba na prática. Possui uma militância raivosa, não aceita críticas e trata com desprezo os que não estão alinhados ao seu projeto político.

Tirando a origem de fora das oligarquias, não enxergo grandes diferenças entre os dois. Os métodos são bem parecidos e não vislumbro uma grande mudança a não ser a troca de origem de quem senta na cadeira mais confortável do Palácio da Resistência. Não sou dono da verdade, posso estar enganado, mas o comportamento que tenho assistido nesta campanha não deixa outra impressão.

 É seis por meia dúzia.

Compartilhe:

Comments

comments

3 opiniões sobre “Seis por meia dúzia

  • 11 de novembro de 2020 em 18:00
    Permalink

    Aguardo a partir de 1° de janeiro/21, suas desculpas pelo equívoco. Comparar Allyson com a Rosa Murcha… é brincadeira….

    Resposta
    • 12 de novembro de 2020 em 09:25
      Permalink

      O comportamento é parecido como candidato. Se, como prefeito, for diferente eu darei o braço à torcer. Mas não será em 1º de janeiro. Vai ser preciso deixar que o tempo responda.

      Resposta
  • 12 de novembro de 2020 em 22:12
    Permalink

    Voto em Rosalba, mais antes Allyson do que PT…figa

    Resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *