Sempre é hora de pensar no povo esquecido

A hora que passa para o povo é mais dura (Foto: Pedro Vitorino)

Nestes tempos de pandemia ressurge com mais força para a maioria das pessoas o sentimento de compaixão com os mais pobres. Isso passa pela intervenção estatal, o melhor caminho para redução de desigualdades.

Hoje se fala que é hora de pensar no povo, em salvar a saúde do povo e nas ações para que o povo não perca seus empregos.

Povo, povo e povo!

Mas a hora de pensar nos mais desamparados deve ser permanente. Os mais pobres são os mais expostos a tudo de ruim que existe na nossa sociedade.

Pode soar lugar-comum tudo que escrevi, mas a hora de cuidar das pessoas deve ser permanente.

Comments

comments

Share on whatsapp
Share on telegram
Share on facebook
Share on twitter

Canal Bruno Barreto