Prefeita faz reivindicações à ministra da agricultura

Prefeita apresenta pauta à ministra(Foto: assessoria;PMM)

De Mossoró a Macau, municípios da Região da Costa Branca do Estado do Rio Grande do Norte, a indústria salineira é responsável pela garantia de 75 mil empregos diretos e indiretos e pela produção de 95% do sal do país. Preocupada com a manutenção desses números, a prefeita Rosalba Ciarlini reuniu empresários do setor salineiro para um encontro com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, no Palácio da Resistência.

A reunião contou com representantes da indústria salineira, sindicatos ligados ao setor, o deputado federal Beto Rosado, deputados estaduais Allyson Bezerra e Dr. Bernardo, o ex-deputado Betinho Rosado e as vereadoras Sandra Rosado e Izabel Montenegro. “O decreto que torna o sal um produto de interesse social já está tramitando na Casa Civil e na Câmara dos Deputados, em um projeto de nossa autoria. Já é um assunto que vem sendo discutido desde 2017 e já é uma lei municipal”, destacou Beto Rosado.

A prefeita Rosalba Ciarlini ressaltou que o país precisa de políticas de preservação do meio ambiente, mas que a atividade salineira do Rio Grande do Norte e de Mossoró não pode ser prejudicada. “A ministra Tereza Cristina veio aqui para ouvir sugestões para o desenvolvimento da região. Nada mais justo do que a convocarmos para se unir a nós no sentido de defender o nosso ouro branco”, afirmou.

Aírton Torres, vice-presidente do Sindicato dos Produtores de Sal do Estado (SIESAL), destacou que nessa região se faz o sal usado na indústria química, pecuária e consumo humano de todo país. “Nós pedimos a ministra para que o Ministério da Agricultura se junte à luta do sal. Nós precisamos desse decreto para que o setor por inteiro saia da situação de insegurança que se encontra no momento. Nós estamos ameaçados por várias situações, que fazem com que o setor esteja com grandes dificuldades de sobrevivência”, disse.

Agricultura familiar

Durante o encontro com a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Brasil, Tereza Cristina, na manhã deste sábado, 16, a prefeita Rosalba Ciarlini, acompanhada do secretário de agricultura Jean Carlos e dos representantes da agricultura familiar, entregaram a ministra um documento em que reivindicam apoio do governo federal para melhorias nas estradas vicinais e para perfuração de mais poços na zona rural do município, além da construção de uma Central de Abastecimento da Agricultura Familiar em Mossoró.

Compartilhe:

Fátima discute parcerias com ministra da agricultura

Fátima se reuniu com ministra em Mossoró (Foto: Elisa Elsie)

Regularização fundiária, desburocratização para acesso às linhas de crédito e simplificação de licenciamento dos barcos pesqueiros foram os principais temas da reunião entre a governadora Fátima Bezerra e a ministra da Agricultura Teresa Cristina Corrêa, realizada na noite desta sexta-feira (15), em Mossoró.  Ambas estavam acompanhadas de auxiliares e a partir do diálogo chegaram à conclusão de que Governo do Estado e Ministério estão alinhados com relação ao fortalecimento da Agricultura Familiar e com a necessidade de desburocratizar o acesso ao crédito rural e aos programas governamentais.

Alexandre Marinho (atual SEARA – Secretaria de Recursos Agrários, que passará a ser SEDRAF – Secretaria de Desenvolvimento Agrário e Agricultura Familiar) destacou a necessidade de celeridade nos processos de regularização fundiária e citou que o Estado tem realizado mutirões para concessão dos títulos de propriedade. A ministra reconheceu que a formalização dos pequenos produtores é a base de todo o processo de fortalecimento da agricultura familiar, uma vez que permite acesso às linhas de financiamentos e programas governamentais, como o de compra direta (PNAI), e criação de redes de distribuição e comercialização, como havia sido mencionado pelo secretário.

Guilherme Saldanha (SAPE) ressaltou a necessidade de simplificação das licenças para os barcos, visto que o atum representa 11% da pauta de exportações. A ministra, que estava acompanhada do Secretário Nacional de Agricultura Familiar, Fernando Schuwanke, considerou coerentes as pautas e afirmou que “simplificar não é precarizar” e que está aberta ao diálogo.

A governadora solicitou audiência com a ministra, que se prontificou a recebê-la em Brasília, para apresentar todas as necessidades do Estado e enfatizou a importância da conclusão da transposição das águas do Rio São Francisco para o RN, destacando que sem água não tem desenvolvimento agrário. “Esta obra representa um importante passo em direção ao sonho de acabar com a falta d’água no interior do nosso Estado. Faremos uma integração da nossa rede de bacias, adutoras e barragens como Oiticica e Armando Ribeiro Gonçalves. Isso trará dignidade e progresso, desenvolvimento e qualidade de vida”, disse Fátima.

Participaram também da reunião os senadores Zenaide Maia e Jean Paul Prates, o secretário Jaime Calado (SEDEC) e representantes dos órgãos Idiarn, Emater, Emparn, Igarn e Idema.

Compartilhe:

Rosalba “redescobre” a importância da agricultura em Mossoró

Mossoró, município que abriga a maior produção de melão do país, não tem um titular da agricultura há quase cinco meses. A pasta executiva está desocupada desde que a esposa do deputado federal Beto Rosado (PP), Anne Katherine, saiu para assumir o cargo de professora da UERN após aprovação em concurso.

Agora a prefeita quer criar uma Secretaria Municipal de Agricultura e Recursos Hídricos. Ela demorou um ano e meio para entender que a pasta precisa ser desmembrada da Secretaria de Desenvolvimento Econômico.

Será que já tem um titular engatilhado?

A prefeita ainda propôs em reforma administrativa criar a Secretaria de Finanças e Compras e a de Esporte. Esta última, como Agricultura, deixa a condição de secretaria executiva.

Tudo num momento em que a prefeita precisa fazer acomodações políticas. A eleição está chegando, né?

A palavra final para a criação das pastas será da “Secretaria de Assuntos Legislativos” conhecida popularmente como Câmara Municipal.

Compartilhe: