Comércio varejista do RN cresce acima da média nacional

O volume de vendas do comércio varejista potiguar cresceu 6,2% em julho deste ano. O resultado superou a média do Brasil (5,2%) no mês. Os dados são da Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) do IBGE.

 

A maioria das unidades da federação apresentaram crescimento no volume de vendas em julho em relação ao mês anterior, o que se verificou em 21 das 27 UFs. Do total, 13 unidades cresceram mais que a média do Brasil.

Em comparação com o mesmo período de 2019, entretanto, as vendas do varejo permanecem negativas no Rio Grande do Norte. No acumulado de janeiro a julho, o resultado de 2020 também é inferior ao mesmo período de 2019.

Em relação a julho de 2019, o volume de vendas de julho de 2020 teve uma variação negativa de 2,6%. Essa foi uma das três maiores retrações do Brasil ao lado da Bahia (- 2,7%) e de Sergipe (- 3,9%).

Varejo ampliado

O comércio varejista ampliado do Rio Grande do Norte também cresceu mais que a média nacional: 9,5% em julho em comparação a junho. A média brasileira foi de 7,2%. O volume de vendas variou positivamente em 25 das 27 unidades da federação. Além do varejo, o comércio varejista ampliado é composto pelos segmentos de material de construção e “veículos e motocicletas, partes e peças”.

Síntese de Julho

Comércio

Período

Varejo

Varejo ampliado

Volume de vendas

Receita nominal

Volume de vendas

Receita nominal

Julho/junho

6,2%

7,1%

9,5%

9,8%

Julho 2020/julho 2019

– 2,6%

2,4%

– 2,4%

2,6%

Acumulado 2020

– 7,8%

– 3,1%

– 9,7%

– 5,1%

Acumulado 12 meses

– 4%

0,1%

– 5,1%

– 1,1%

Fonte: IBGE, Pesquisa Mensal do Comércio

Compartilhe:

RN concentra comércio de vestuário, móveis e eletrônicos em 31 cidades

O comércio de vestuário, calçados, móveis, eletrodomésticos, aparelhos eletrônicos e de informática está concentrado em 31 municípios potiguares. O dado foi divulgado pelo IBGE nesta semana e faz parte da pesquisa “Regiões de Influência das Cidades (Regic) 2018 – Informações de deslocamento para o comércio”. A média de deslocamento de moradores do Rio Grande do Norte para esse tipo de compras era de 50 quilômetros no período pesquisado.