Sesap atualiza dados sobre o coronavírus no RN; número de óbitos é 267

Secretário de Saúde do RN explica que novos casos confirmados são referentes a resultados de testes divulgados nos dois últimos dias (Imagem: Reprodução)

O Rio Grande do Norte registra 267 óbitos com confirmação do Covi-19. Dos doze óbitos informados nesta sexta-feira, 29, sete ocorreram nas últimas 24 horas, segundo informou o secretário de Saúde do Estado, Cipriano Maia, em coletiva de imprensa realizada em Natal.

Os doze óbitos informados pela Sesap hoje ocorreram nos municípios de Natal, Ceará-Mirim, Areia Branca, Mossoró, Touros, Baraúna, Extremoz, Ipanguaçu, Apodi. 60 óbitos estão em investigação.

O número de casos confirmados da doença em todo o Estado chegou a 6.463. Os 833 novos casos correspondem as confirmações de exames dos dois últimos dias, tendo em vista que ontem, 27, não houve liberação do boletim epidemiológico e os dados sobre casos confirmados não haviam sido informados na coletiva. De acordo com Cipriano Maia, os profissionais da Vigilância Epidemiológica passaram todo o dia de ontem e até a noite trabalhando para solucionar inconsistência na base de dados, seja em relação ao Ministério da Saúde, seja em relação à notificação dos municípios.

Em todo o Estado, são 14.905 pessoas com suspeitas de Covid-19 e 12.552 casos descartados, segundo informou o secretário de Saúde.

A taxa de ocupação de leitos críticos exclusivos para o tratamento de pacientes adultos com sintomas do novo coronavírus no Estado continua ultrapassando os 90% nas duas maiores regiões. De acordo com dados do RegulaRN, por volta das 13h07 desta sexta-feira, a taxa de ocupação na Região Metropolitana de Natal era de 96,3%, com todos os leitos do Hospital Municipal de Natal e Hospital Rio Grande ocupados, 96,9% de ocupação no Hospital Giselda Trigueiro, 93,3% no Hospital da Polícia, 92,9% no Hospital Luiz Antonio e 85,7% no Hospital de Campanha de Natal.

No Oeste, o índice médio dos leitos ocupados existentes nas cidades de Mossoró e Pau dos Ferros era de 93,9%. Em Mossoró, o Hospital São Luiz estava com ocupação de 100% dos leitos e o Hospital Regional Tarcísio Maia tinha 95,2% dos leitos ocupados. Já em Pau dos Ferros, o Hospital Regional Cleodon Carlos de Andrade tinha 75% de ocupação.

No Seridó, o índice de ocupação do Hospital Regional Telecila de Freitas Fontes era de 36,4%.

97 pessoas atendidas em unidades de diferentes municípios do Rio Grande do Norte estavam na fila de espera por um leito. Dessas, 36 aguardavam transferência para leitos críticos (quatro eram considerados ‘prioridade 1’ e 28 ‘prioridade 2’). 61 pacientes considerados ‘prioridade 3’ esperavam por um leito e quatro considerados prioridade quatro também aguardavam regulação.

Considerando todas as internações registradas no Estado, em hospitais públicos e privados, em leitos críticos ou clínicos, 530 pessoas estão internadas, segundo informou o secretário de Saúde.

O Índice de isolamento social continua baixo. Segundo registrado pelo Inloco ontem, 28, apenas 40,81% da população se manteve isolada.

 

Realidade da fila de espera às 13h07 desta sexta-feira, segundo RegulaRN (Fonte: RegulaRN – SESAP – LAIS)
Compartilhe:

Rio Grande do Norte tem 255 óbitos por Covid-19

Secretário de Saúde do RN, Cipriano Maia, reforça convite à população: “Um pacto em defesa da vida, em busca de aumentar o isolamento, diminuir a transmissão” (Imagem: Reprodução)

O número de óbitos com confirmação do novo coronavírus no Rio Grande do Norte chegou a 255, segundo informou o secretário de Saúde, Cipriano Maia, em coletiva de imprensa realizada nesta quinta-feira, 28, em Natal. Os dados atualizados sobre casos confirmados, suspeitos, descartados e o número de pessoas recuperadas serão informados no boletim epidemiológico, que será divulgado ainda hoje.

Os 13 óbitos registrados pela Sesap de ontem para hoje se referem a mortes que ocorreram no período de 16 a 27 de maio, nos municípios de Mossoró, Natal, Parnamirim, São Gonçalo do Amarante, Monte Alegre e Touros.

No início da coletiva, Cipriano Maia reiterou o chamamento a todos os poderes, organismos públicos e à sociedade em geral, para fortalecer iniciativas voltadas à melhoria do isolamento social. “Os números que temos apresentado aqui a cada dia mostram que estamos, realmente, chegando na situação mais crítica, mais preocupante”, disse o secretário.

Ao longo da entrevista, Cipriano Maia convidou a população para reafirmar o compromisso. “Um pacto em defesa da vida, em busca de aumentar o isolamento, diminuir a transmissão”, disse.

Ontem, 27, segundo os dados mais recentes disponibilizados pelo Inloco, apenas 40,35% da população do RN estava isolada.

O aumento dos níveis de isolamento se torna cada vez mais necessário, diante da taxa de ocupação dos leitos hospitalares e da fila de espera por leitos voltados ao tratamento de pacientes com sintomas de Covid-19.

Gráfico mostra tensionamento enfrentado nos hospitais do Estado (Fonte: RegulaRN – SESAP – LAIS)

Segundo observado no RegulaRN, às 14h15 desta quinta-feira, 28, a taxa de ocupação leitos críticos voltados ao tratamento de pessoas com sintomas do novo coronavírus era de 99%, na Região Metropolitana, com ocupação de 100% dos leitos do Hospital Central Coronel Pedro Germano (Hospital da PM), Hospital de Campanha de Natal, Hospital Luiz Antonio (anexo à Liga Norte Riograndense de Combate ao Câncer), Hospital Giselda Trigueiro e Hospital Rio Grande. O Hospital Municipal de Natal tinha taxa de ocupação de 96,7%, com um leito de UCI disponível.

No Oeste, a taxa de ocupação era de 95,9%. Sendo que em Mossoró a ocupação continuava em 100% com todos os leitos do Hospital Regional Tarcísio Maia e do Hospital São Luiz ocupados. Em Pau dos Ferros, a taxa de ocupação do Hospital Regional Cleodon Carlos de Andrade era de 75%, com dois leitos de UCI disponíveis.

Com a ampliação dos leitos do Hospital Regional Telecila Freitas Fontes, ocorrida ontem, 27, passando de 17 para 22 leitos de UTI, a taxa de ocupação no Seridó era de 40,9%, com 13 leitos de UTI disponíveis.

Às 14h16, 82 pacientes aguardavam em unidades de diferentes municípios, a regulação para um dos hospitais estruturados para o tratamento de pacientes com sintomas de Covid—19. Do total de pacientes 31aguardavam para serem transferidos para leitos críticos – 7 classificados como ‘prioridade 1’ e  24 classificados como ‘prioridade 2’. 49 pacientes considerados ‘prioridade 3’ e 2 considerados ‘prioridade 4’ também esperavam para serem transferidos.

Cipriano Maia afirmou que, em conjunto com Natal e outros municípios, a Sesap está buscando enfrentar o problema da demora no transporte sanitário. “Há uma sobrecarga do Samu em fazer isso e nós estamos buscando alternativas de diminuir esse tempo de transferência que está sendo crítico e que pode trazer riscos aos pacientes”, afirmou.

Cipriano Maia não informou a média de tempo que a transferência do paciente leva, mas disse que em alguns casos, esse tempo de transferência chega a 12h.

Segundo ele, em caso de paciente entubado, a transferência deve ser feita por uma Unidade de suporte avançado, que conduza um respirador e demais implementos e, geralmente, esse transporte é realizado pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) de Natal, Mossoró e do RN, ou alguma empresa especializada. Além de atender a esses casos, no entanto, o Samu continua atendendo as demandas que já existiam antes da pandemia.

“Nós vamos discutir possibilidade de estar ampliando essa frota, com a contratação de serviço especializado, para diminuir esse tempo de transporte.

Abertura de novos leitos

De acordo com o secretário de Saúde, nesta quinta-feira, a perspectiva é abrir 20 leitos de assistência ventilatória no Hospital de Campanha de Natal. Segundo ele, desde o final de semana que a Sesap tem apoiado tanto o Hospital Municipal de Natal como o Hospital de Campanha para abertura desses leitos e aportou 40 monitores, onze ventiladores e 40 bombas de infusão.

Ainda com relação à Região Metropolitana de Natal, Cipriano Maia afirmou que a expectativa é de, até o final do dia, abrir mais seis leitos no Hospital Luiz Antonio.

O secretário afirmou que a Sesap está trabalhando para ativar leitos em outras regiões. Até o final de semana, a Secretaria espera abrir os primeiros leitos de estabilização em Assú.

Na parceria com os municípios, a cidade de Guamaré também está com as condições de instalações adequadas para abrir leitos para atender população da região Centro-Norte do Estado. Também foi firmada parceria para cessão de respiradores ao município de Santa Cruz. Além de ações que vem sendo trabalhadas com outros municípios.

Porém, como advertiu o secretário, os esforços podem não ser suficientes se a transmissão não for contida e se o pacto em defesa da vida não for cumprido.

Compartilhe:

Covid-19: Dados informados por alguns municípios podem indicar maior número de casos no RN

Boletim de Parnamirim referente ao dia 26 de maio (Imagem: Reprodução)

Mesmo sem considerar a subnotificação, decorrente da ausência de testagem em massa em todo o Brasil, os números relacionados ao Covid-19 no Rio Grande do Norte apresentados pelos municípios podem apresentar diferenças em relação aos dados gerais oficiais do Estado.

Em alguns casos, as informações fornecidas em boletins epidemiológicos publicados pelas Secretarias de Saúde nas redes sociais das prefeituras apresentam algumas diferenças em comparação aos dados dos boletins epidemiológicos da Secretaria da Saúde Pública do Rio Grande do Norte (SESAP-RN). Essas diferenças podem incluir dados sobre óbitos, confirmações de casos e pacientes recuperados, podendo elevar os números.

O blog observou dados disponibilizados em sites e redes sociais de alguns municípios onde já foram registradas mortes com confirmação da doença e verificou também os números do boletim da Sesap em relação a essas mesmas localidades. Essa observação levou em consideração informações disponibilizadas pelas prefeituras na terça-feira passada, 26, e pela Sesap no boletim dessa quarta-feira, 27, já que ele é produzido com base nos dados do dia anterior, ou seja, 26.

Na capital do Estado, de acordo com dados da Secretaria Municipal de Saúde de Natal, disponibilizados na página criada pela Prefeitura para informação sobre os casos de coronavírus, a cidade registrava 78 óbitos com confirmação do novo coronavírus; os dados informavam ainda 2.164 casos confirmador, 5.877 casos suspeitos e 3.659 casos descartados. Já o boletim epidemiológico divulgado pela Sesap informava que o número de óbitos na capital do Estado é 76. Os demais números também divergem. Segundo a Sesap, Natal tem 2.221 casos confirmados, 6.735 suspeitos e 4.329 descartados.

Em Areia Branca, município que vem apresentando uma realidade bastante preocupante pelo número elevado de óbitos e confirmações do Covid, boletim epidemiológico divulgado pelo Município informava que a cidade tinha 19 óbitos com confirmação de Covid-19, 219 casos confirmados, 421 casos suspeitos e 170 descartados; 105 pessoas estão recuperadas. Os números são mais altos que os que constam no boletim epidemiológico da Sesap, que informou que havia 15 óbitos com confirmação do coronavírus, 146 casos confirmados e 554 casos suspeitos; o número de recuperados, segundo a Sesap é 57.

Dados divulgados pela Prefeitura de Apodi em seu perfil do Instagram afirmavam que o município tinha 245 casos confirmados, entre eles, cinco óbitos; havia 29 casos suspeitos e 642 descartados; 162 pacientes estão recuperados. Já o boletim da Sesap de ontem informava que ocorreram quatro óbitos e que o Município tinha 198 casos confirmados, 93 suspeitos, 487 descartados e 130 pacientes estão recuperados.

Segundo boletim da Prefeitura de Parnamirim publicado na terça-feira, o Município registrava 13 óbitos; havia 552 casos confirmados, 709 suspeitos o e 1011 descartados. 191 pessoas estão recuperadas.  No boletim da Secretaria Estadual dessa quarta-feira, constavam nove óbitos, 491 casos confirmados, 1.230 suspeitos, e 1.013 descartados; a Secretaria Estadual informava 167 pessoas recuperadas.

Em seu site, o município de Senador Georgino Avelino também tem números diferentes. Terça, o Município informava que foram registrados dois óbitos, três casos confirmados, dois descartados e dois suspeitos. Segundo o boletim da Sesap, havia um óbito, dois casos confirmados e quatro casos suspeitos.

A assessoria de comunicação da Sesap afirma que isso ocorre porque nos casos confirmados por meio de testes rápidos e com relação aos óbitos, a responsabilidade de encaminhamento dos dados é dos municípios. Por isso ainda ocorrem algumas diferenças. Porém, a assessoria afirma que isso será corrigido com a implementação de um novo sistema, que possibilitará algumas melhorias no gerenciamento e na qualificação das informações. Ainda não há previsão exata para essa implementação, mas ela deve ocorrer nas próximas semanas.

A assessoria disse ainda que os municípios precisam alimentar suas planilhas e encaminharem os dados à Secretaria Estadual, no máximo em 24 horas após o óbito, para que a Sesap tenha uma informação alinhada com os mesmos. De acordo com a assessoria, quando a Secretaria recebe informações sobre os óbitos precisa fazer o alinhamento das informações repassadas pelas cidades com as informações que a Sesap possui, por isso também alguns dados divulgados pelos municípios não constam nos dados da Sesap.

Os dados que os municípios preenchem são incluídos em um sistema do Ministério da Saúde, o E-SUS.

Essa diferença já foi comentada pela própria Sesap em coletivas de imprensa para atualização dos dados relacionados à Covid-19 e por alguns municípios, que se referiram ao tempo de atualização dos dados.

Compartilhe:

Taxa de ocupação dos leitos críticos para Covid-19 supera os 90% nas duas maiores cidades do RN

Dados do RegulaRN revela situação dos hospitais quando ao preenchimentos dos leitos (Fonte: RegulaRN – SESAP – LAIS)

A taxa de ocupação dos leitos críticos destinados ao tratamento de pacientes com sintomas do novo coronavírus no Rio Grande do Norte atingiu a lotação máxima na maior parte dos hospitais que contam com esse tipo de leito na tarde desta quarta-feira, 26. Em Mossoró, 100% dos leitos UTI estão ocupados, segundo o RegulaRN.

De acordo com dados observados no portal por volta das 15h50, os 20 leitos de UTI e o leito de UCI existentes no Hospital Regional Tarcísio Maia estavam ocupados, a mesma realidade do Hospital São Luiz, onde os 20 leitos de UTI contavam com internamentos.

Na Região Metropolitana de Natal, a taxa de ocupação geral dos leitos é de 94,5%. Com relação à situação de cada unidade, o Hospital Dr. Luiz Antonio, que conta com 14 leitos de UTI, está com taxa de ocupação de 100%. O Hospital Central Coronel Pedro Germano (Hospital da Polícia) tem seus dez leitos de UTI lotados e nove dos dez leitos de UCI estão ocupados, resultando em uma taxa de ocupação de 95%; cinco leitos de UCI da unidade estão bloqueados há dois dias, sendo dois por risco de contaminação e três por manutenção. No Hospital Municipal de Natal, nove leitos de UTI e 20 de UCI estão ocupados; há cinco leitos de UCI disponíveis e quatro bloqueados, sendo dois por manutenção e dois por falta de monitores. Os nove leitos de UTI do Hospital Rio Grande estão ocupados. O Giselda Trigueiro, que é referência no tratamento de Covid-19 está com os 31 leitos de UCI lotados e dois leitos de UCI estão bloqueados por manutenção. Os dois leitos de UCI do Hospital de Campanha também estão ocupadas.

A taxa de ocupação é de 82,4% na Região do Seridó, 14 dos 17 leitos de UTI do Hospital Regional Telecila Freitas Fontes estão ocupados.

Em Pau dos Ferros, o índice é de 62,5%, com ocupação de quatro leitos de UTI e um de UCI do Hospital Regional Cleodon Carlos de Andrade; três leitos de UCI estão disponíveis.

Fila de espera

A demanda por leitos é grande. Nesta quarta-feira, 27, 79 pacientes atendidos em unidades hospitalares de municípios do RN aguardavam transferência para leitos especializados no tratamento de pacientes com sintomas do coronavírus.

Do total, 25 esperavam por leitos críticos, sendo oito considerados ‘prioridade 1’ e 17 classificados como ‘prioridade 2’.

Outros 54 pacientes com classificação de ‘prioridade 3’ esperavam para serem transferidos.

Mesmo com a abertura de leitos, número de pessoas que espera por transferência para unidades especializadas é grande (Fonte: RegulaRN – SESAP – LAIS)

Nota do blog: Conforme a regulação é realizada, os números vão sendo atualizados no RegulaRN.

Compartilhe:

242 óbitos com confirmação de Covid-19 já foram registrados no RN e número de casos confirmados chega a 5.630

Dados foram apresentados pela subcoordenadora de Vigilância Eidemiológica do RN, Alessandra Luchesi (Imagem: Reprodução)

O número de óbitos com confirmação do novo coronavírus no Rio Grande do Norte chegou a 242 e 5.630 pessoas testaram positivo para o novo coronavírus, segundo informado pela subcoordenadora de Vigilância Epidemiológica da Secretaria da Saúde Pública (SESAP-RN), Alessandra Luchesi, durante a coletiva de imprensa realizada hoje, 27, em Natal. Há um mês, o Estado registrava 45 óbitos e havia confirmado 857 casos de Covid-19.

Os 22 óbitos confirmados pela Sesap de ontem para hoje se referem a mortes ocorridas desde o dia 17 de maio. De acordo com Alessandra Luchesi, os casos confirmados e descartados também não se referem a pessoas que manifestaram.  sintomas de ontem para hoje

No RN, há 14.035 pessoas com suspeita da doença e 11.207 casos descartados.

O secretário de Saúde do Estado, Cipriano Maia, que também participou da coletiva, lamentou as 242 vidas perdidas ao longo da pandemia e se direcionou aos profissionais da saúde, que estão atuando no combate à pandemia, inclusive, arriscando as próprias vidas.

Ele falou sobre a necessidade de união e de que cada um faça a sua parte e ao se referir à parceria com os municípios, ele lembrou que essa é uma luta coletiva. “Essa pandemia tem mostrado que ou nós atuamos de forma solidária, pensando no bem comum, no interesse público ou nós sairemos derrotados”, disse Cipriano Maia.

Segundo ele, o Estado, através da parceria com os municípios, realizou a expansão de 189 leitos. Diante do crescimento do número de casos, no entanto, o número pode não ser suficiente.

Cipriano também falou sobre as dificuldades de abertura de leitos de terapia intensiva, que exigem além de profissionais especializados, equipamentos sofisticados, insumos, material médico, EPIs para os profissionais, serviços laboratoriais de apoio e rede de gases.

“É esse cenário que a gente enfrenta. Realmente, hoje nós continuamos em situação de superlotação, principalmente na região de Natal e Mossoró, visto que todos os leitos disponíveis para adultos, aqueles que chegam das UPAs, nos pronto-atendimentos de urgência e emergência, esses leitos estão ocupados”, disse Cipriano Maia. “Temos fila de espera para internação na regulação”, acrescentou.

“Esperamos que nos próximos dias, com a expansão de leitos tanto no Hospital Municipal de Natal, como no Hospital de Campanha como no Hospital da Polícia, no Giselda Trigueiro e na própria Liga, que está ativando os leitos, nós possamos ter algum alívio. Mas, se o nível de contágio continuar aumentando, o que pressupõe também mais casos graves, mais casos críticos, essa situação também não será equacionada”, advertiu.

Cipriano também falou sobre a distribuição dos respiradores adquiridos pelo Estado e recebidos pelo Ministério da Saúde e sobre o compartilhamento dos equipamentos para os municípios que têm condições de operar os ventiladores mecânicos. Os hospitais regionais, segundo ele, também receberão ventiladores de transporte, para garantir um transporte seguro do paciente até chegar a um leito de UTI.

Segundo o secretário, ao longo dos próximos dias a Sesap vai trabalhar com a expansão de leitos já previstos tanto com leitos de estabilização como de assistência.

“Não podemos nos iludir que ter mais leitos vai garantir que todo mundo vá ter acesso. Porque se continuarmos com o índice de transmissão alto, significa que vai ter mais gente infectada, mais pessoas graves. Daí porque o mantra de sempre que repetimos aqui. Ficar em casa é o melhor remédio para a gente evitar que tenhamos mais transmissão e mais contaminação. O isolamento social é um mantra por quê? Porque não temos até hoje nenhuma segurança de tratamento nem vacina que garanta que o vírus não esteja se propagando e mantermos um patamar de transmissão baixa é a segurança de que não teremos uma velocidade grande de ocupação e de demanda por serviços”, reforçou.

O secretário também mencionou que o número de óbitos notificados de ontem para hoje, com acúmulo de 22 novos óbitos, mostra que Estado ainda está em uma curva ascendente do número de casos acumulados.

Testes para diagnóstico do Covid-19

Durante a coletiva de imprensa, a subcoordenadora de Vigilância Epidemiológica, Alessandra Luchesi, afirmou que, no contexto atual, o Estado segue com estoque favorável de RTPCR, que é o teste considerado padrão ouro. Segundo ela, diferente das recomendações de outros estados, o RN segue testando pessoas além dos casos que estão internados.

“Hoje o isolamento viral, o RTPC no Estado do Rio Grande do Norte também é destinado a pessoas acima de 60 anos, a pessoas que apresentem comorbidades, que façam parte do grupo de risco ou até mesmo profissionais de saúde. As pessoas que se enquadram dentro desse grupo têm indicação de realização deste exame até os sete dias de início dos sintomas”, informou.

De acordo com Alessandra, passados esses sete dias, há outra indicação, que é o teste rápido. “O teste rápido a pessoa, pelo menos, tem que ter manifestado os sintomas nos últimos sete dias e estar sem sintomas há, pelo menos, 72 horas”, explica.

No RN, o teste rápido é indicado a profissionais de saúde e da segurança, pessoas acima de 60 anos, pessoas que residem no mesmo município de profissionais de saúde, pessoas em situação de rua, cuidadores envolvidos em instituições de longa permanência de idosos e pessoas com comorbidades.

Ema informa que 53.520 testes rápidos foram distribuídos aos municípios e hospitais de referência do Estado. E essas cidades ainda apresentam em estoque cerca de 44 mil testes.

Alessandra também falou reforçou a importância do isolamento social e a adoção de medidas de segurança para proteção da população, sobretudo, dos idosos.

Isolamento social

Após registrar índice de isolamento social de 52,6% no domingo passado, 24, os níveis de pessoas isoladas no Estado voltaram a  cair. Ontem, 26, segundo dados do Inloco, apenas 40,9% das pessoas estavam em isolamento no RN.

Compartilhe:

Policiais penais e internos do sistema penitenciário do Oeste do RN testam positivo para Covid-19

Após identificação de sintomas gripais, policiais penais e apenados foram encaminhados para realização de testes rápidos – Foto: Web/ Autor não identificado

Dois policiais penais e sete internos da Cadeia Pública de Caraúbas, além de dois internos da Cadeia Pública de Mossoró, testaram positivo para o novo coronavírus, segundo a assessoria de comunicação da Secretaria da Administração Penitenciária do Rio Grande do Norte (SEAP-RN). De acordo com as informações, a testagem foi realizada ontem, 26, e todos apresentam sintomas leves do Covid-19.

A assessoria de comunicação da Seap afirma que, ao identificar sintomas gripais nos apenados e na equipe, a Secretaria encaminhou os casos suspeitos para realização de testes rápidos e, a partir do resultado positivo, afastou os servidores dos serviços e comunicou os familiares dos internos sobre a situação e os procedimentos adotados. Segundo o texto, os internos estão isolados, a Justiça Estadual também foi acionada e os casos são acompanhados pela equipe de saúde prisional das unidades e dos municípios.

Hoje, 27, o subcoordenador de Gestão das Unidades Prisionais da Seap, Albertino Kennedy, estará em Caraúbas para acompanhar o caso. “Todos os policiais penais e internos de Caraúbas e de Mossoró tem à disposição EPIs. As unidades são desinfectadas diariamente com saneantes, seguindo recomendação do Comitê de Enfrentamento ao Covid-19 da Seap”, informa a comunicação da Seap.

Ainda segundo a assessoria, a Cadeia Pública de Mossoró funciona como um centro de triagem e recebimento de novos internos do sistema para toda Região do Alto Oeste potiguar. Os internos de Caraúbas identificados com a Covid cumpriram quarentena em Mossoró e foram transferidos no dia 15 de maio.

 

Com informações da assessoria de comunicação da SEAP/RN

Compartilhe:

RN confirma 698 novos casos de Covid-19 e chega a 5.472

“Toda a sociedade precisa trabalhar para que a gente não tenha um quadro de colapso nos próximos dias”, afirmou o secretário adjunto de Saúde do RN, Petrônio Spinelli (Imagem: Reprodução)

Dados parciais sobre a pandemia do novo coronavírus no Rio Grande do Norte divulgados nesta terça-feira, 26, revelam que o Estado tem 698 novos casos de coronavírus, chegando a 5.472 pessoas que testaram positivo para o Covid-19. O número de óbitos com confirmação da doença chegou a 220 e 39 mortes estão em investigação, conforme informado pelo secretário adjunto de Saúde, Petrônio Spinelli, em coletiva de imprensa realizada na manhã desta terça-feira, 26, em Natal.

O total de casos confirmados é mais do que o dobro das confirmações informadas no boletim epidemiológico da Secretaria da Saúde Pública do Rio Grande do Norte (SESAP RN) de 12 de maio, quando havia 2.537 pessoas com confirmação de Covid-19 no Estado.

O RN tem 13.146 casos suspeitos e 10.670 casos descartados, segundo informou a assessoria de comunicação da Sesap.

O boletim que será divulgado ainda nesta terça-feira pode conter números diferentes, dos dados parciais, segundo a assessoria.

Durante a coletiva, o secretário adjunto de Saúde, Petrônio Spinelli, anunciou a quantidade de pacientes atendidos em unidades hospitalares, que aguardam transferência para leitos especializados no tratamento do novo coronavírus.

Dados ainda mais atualizados, observados às 14h45 no RegulaRN, mostram que 98 pacientes aguardavam transferência. Do total, 42 aguardavam por leitos críticos –  sendo 11 pessoas consideradas como ‘prioridade 1’ e 31 pacientes classificados como ‘prioridade 2’. Pacientes classificados como ‘prioridade 3’ que aguardavam regulação totalizam 53 pessoas e três considerados ‘prioridade 4’ esperavam a transferência.

Mossoró chega a ter 100% de ocupação de leitos críticos do Tarcísio Maia e São Luiz

Já a taxa de ocupação dos leitos adultos específicos para o tratamento de pacientes com sintomas do novo coronavírus, conforme observado no RegulaRN, às 14h45 mostram que 93,9% dos leitos da região Oeste estavam ocupados.

Observando a situação dos municípios que concentram os leitos individualmente, em Mossoró, a taxa de ocupação era de 100% no Hospital Regional Tarcísio Maia e no Hospital São Luiz. Em Pau dos Ferros, a ocupação do Hospital Regional Cleodon Carlos de Andrade era de 62,5%.

Na Região Metropolitana, a taxa de ocupação chegou a 96,9%, com ocupação total de todos os leitos no Hospital da Polícia Militar, Hospital de Campanha de Natal, Hospital Giselda Trigueiro, Hospital Municipal de Natal e Hospital Rio Grande. No Hospital Luiz Antonio, a taxa de ocupação no horário era de 75%.

E o Hospital Regional Telecila Freitas Fontes, localizada em Caicó, chegou a 64,7%.

Mesmo com a abertura de novos leitos, taxa de ocupação chega a alcançar o máximo em vários hospitais (Fonte, RegulaRN – Sesap – LAIS)

Respiradores e previsão de novos leitos

Durante a coletiva, o secretário adjunto de Saúde falou sobre os respiradores que estão chegando e reafirmou que se o isolamento social desejado tivesse sido alcançado a chegada dos respiradores poderia ser vista de forma mais positiva.

“Nesse momento, nós temos uma abertura significativa do número de leitos e, mesmo assim, a ocupação continua muito alta e a fila também continua muito alta”, afirmou Petrônio Spinelli.

“Queremos dizer que nós precisamos muito que os leitos sejam abertos. Não só do Estado, mas todos os leitos possíveis, pelos municípios que têm hospital de campanha, que têm capacidade de responder e estamos, mais uma vez, reafirmando a parceria do Estado, para que a gente possa dotar os municípios, na medidas das nossas limitações, de capacidade de abrir leitos, em particular, leitos em Natal”.

Com relação aos 80 respiradores que o Estado deve totalizar ao fim da entrega por parte do Governo Federal (até agora o RN recebeu 40 e a previsão é que receba outros 40, conforme compromisso do Governo Federal) por mais que essa possa parecer uma quantidade suficiente, essa não é a realidade.

“Se você analisar os leitos que já estão em perspectiva de abertura, esses respiradores ainda são insuficientes’, afirmou o secretário adjunto.

Ele lembrou também que o total de respiradores se divide em dois tipos equipamentos, conforme a complexidade. “Nós temos respiradores que são os respiradores de UTI, esses são respiradores de ficar com o paciente durante todo o período da sua internação. E nós temos metade deles que são respiradores de uma complexidade menor, significa que ele não consegue segurar toda a internação de um paciente. Ele serve muito para estabilização, para os primeiros dias quando o paciente chega em uma unidade que ainda não foi deslocado para um respirador melhor e ele serve também para transporte. Então, essa é a característica de metade dos respiradores. Esses podem e devem ser direcionados para as unidades de estabilização, unidades de primeiro atendimento, como UPAs, como hospitais regionais, como hospitais de referência, salas vermelhas”, explicou.

Petrônio Spinelli falou novamente sobre o destino de parte dos respiradores e a perspectiva de abertura de leitos no Estado. Segundo ele, será necessário abrir, nos próximos dias, dez leitos de UTI no Hospital São Luiz, em Mossoró.

“Nós estamos abrindo doze leitos no Hospital do Seridó”, acrescentou. “Nós estamos aumentando três leitos em Pau dos Ferros, para chegar a oito leitos com respiradores”, acrescentou.

Já com relação à Região Metropolitana, ele informou que a Sesap está trabalhando para viabilizar a ampliação de leitos de estabilização clínicos no Hospital João Machado e tentar abrir vagas no Hospital de Macaíba.

“Parte dos respiradores foram para a Liga para viabilizar a abertura de mais dez leitos de UTI na Liga”, informou, acrescentando que já foram abertos dez leitos na Liga, que já estão preenchidos, e a expectativa é que sejam abertos outros dez leitos com a chegada dos respiradores.

 

Quantidade de profissionais também é desafio

A abertura de leitos, no entanto, não depende apenas de espaços físicos, respiradores e outros equipamentos. O número insuficiente de profissionais também é um desafio. “É importante a gente lembrar a dificuldade de equipes para fazer esses respiradores funcionarem. A gente tem relatado isso. Mossoró, o Oeste, o São Luiz, está com uma dificuldade grande de conseguir médicos”, ressaltou Spinelli

“Nós precisamos do isolamento, porque pode acontecer de a gente ter os equipamentos e não ter os profissionais para efetivamente fazer esses equipamentos funcionarem”, complementou.

“Toda a sociedade precisa trabalhar para que a gente não tenha um quadro de colapso nos próximos dias”, concluiu.

Compartilhe:

Profissionais de saúde do RN receberão adicional de insalubridade retroativo a abril

Pagamento será realizado no dia 31 deste mês (Foto: Reprodução)

No próximo dia 31, os profissionais de saúde do Rio Grande do Norte que atuam no combate ao novo coronavírus receberão o adicional de insalubridade. O pagamento será retroativo ao mês de abril e terá vigência durante o período da emergência causada pelo Covid-19, segundo informou a assessoria de comunicação do Governo do Estado.
O adicional corresponderá a 40% sobre o salário base dos profissionais que estão na linha de frente, contemplando servidores da área da assistência, de unidades hospitalares da rede pública de saúde do Estado do RN, Serviço de Atendimento Médico de Urgência (SAMU), Núcleo de Vigilância Sanitária e Epidemiológica (NUVISA) e Serviço de Verificação de Óbito (SVO).
Já para os que desenvolvem atividades administrativas, o adicional será de 20% sobre o salário base, incluindo todos os servidores das unidades hospitalares da rede pública de saúde do Estado do RN, conforme a assessoria.
O pagamento é resultado de um acordo com o Ministério Público do Trabalho. Segundo esse acordo, servidores lotados em unidades hospitalares que, por motivo de enquadramento no grupo de risco, forem transferidos para outro local de trabalho, no setor administrativo ou no setor de regulação, em atividade presencial, mantêm o direito ao pagamento do adicional de insalubridade conforme sua lotação de origem.
Através da assessoria de comunicação, a secretária de Estado da Administração (SEAD) do Estado, Virgínia Ferreira, informa que todos os cálculos estão feitos e no próximo dia 31 será efetivado o pagamento retroativo ao mês de abril, bem como o pagamento de maio.
“O montante mensal é no valor de R$ 4.487.415,59. Os cálculos da SEAD até dezembro projetam o pagamento de R$ 43.705.237,23 a 8.396 profissionais”, informa a assessoria.

Compartilhe:

RN ultrapassa 200 mortes por Covid-19

Secretário adjunto de Saúde do RN, Petrônio Spinelli, atualizou informações sobre situação do Estado com a pandemia (Imagem: Reprodução)

O Rio Grande do Norte registra 212 mortes com confirmação de Covid-19 e tem 40 óbitos em investigação, segundo informou o secretário adjunto de Saúde, Petrônio Spinelli, em entrevista coletiva realizada nesta segunda-feira, 25, em Natal.

São 64 óbitos a mais do que o informado na segunda-feira passada, 18, quando as mortes com confirmação da doença chegavam a 148 mortes e é mais do que o dobro das mortes confirmadas há duas semanas; no dia 11 de maio a Sesap informava que o Estado totalizada 90 óbitos com confirmação de Covid-19.

O número de casos confirmados do novo coronavírus é de 4.774. São 12.856 casos suspeitos e 10.276 casos descartados.

O secretário adjunto de comunicação chamou a atenção para o maior crescimento do número de casos confirmados, em comparação com o número de descartados. “Significa que as pessoas que estão sendo testadas agora estão dando muito mais positivo do que dava antes, o que mostra o avanço da epidemia”, explicou.

467 pessoas estão internadas em hospitais públicos ou privados do Estado, em leitos críticos ou clínicos.

De acordo com o secretário adjunto de saúde, ao longo desse processo foram criados 285 leitos, mesmo assim, situação é complicada. “Apesar da criação de leitos, nós continuamos com uma taxa de preocupação terrivelmente preocupante”, mencionou.

Petrônio Spinelli afirmou que houve diminuição de pacientes na espera por leitos destinados a pacientes classificados como ‘prioridade 1’, segundo ele, isso decorre da abertura de leitos realizada nas últimas horas.

Nesta segunda-feira, 86 pessoas atendidas em unidades hospitalares aguardavam por transferência para leitos específicos para tratamento de pacientes com sintomas do novo coronavírus. 33 delas com necessidade de leitos críticos (três delas estavam classificadas como ‘prioridade 1’ e 30 como ‘prioridade 2’). 49 pessoas eram consideradas prioridade 3 e 4 pessoas eram prioridade 4, segundo dados do RegulaRN, observados às 13h33.

A taxa de ocupação dos leitos chegava a 98,9% na Região Metropolitana de Natal, com ocupação de 100% no Hospital Luiz Antonio, Hospital Giselda Trigueiro, Hospital Municipal de Natal e Hospital Rio Grande. No Hospital da Polícia Militar 94,4% dos leitos estavam ocupados.

Na região Oeste, a média de ocupação dos leitos era de 93,5%. Sendo que em Mossoró 100% dos leitos do Hospital São Luiz estavam ocupados e 95,5% dos leitos do Hospital Regional Tarcísio Maia contavam com internamentos. Em Pau dos Ferros, a ocupação do Hospital Regional Cleodon Carlos de Andrade era de 60%.

Na região do Seridó. 70,6% dos leitos hospitalares do Hospital Regional Telecila Freitas Fontes estavam ocupados.

Respiradores

Além dos 14 respiradores adquiridos pelo Consórcio Nordeste com financiamento do Banco Mundial, o Estado recebeu, de sábado para domingo, 40 respiradores, sendo 20 equipamentos complexos e 20 respiradores mais simples. De acordo com Petrônio Spinelli, o Município de Natal recebeu a mesma quantidade de aparelhos.

“Todos eles em condições de serem usados paira tratamento de pacientes Covid, seja em estabilização, seja em tratamento de leitos de UTI”, afirmou Petrônio Spinelli.

Segundo o secretário adjunto de Saúde, os 20 respiradores mais complexos recebidos pelo Estado serão distribuídos da seguinte forma: quatro serão enviados ao Hospital João Machado, seis paira a Liga Norte Riograndense de Combate ao Câncer, cinco para Mossoró e cinco para a região do Seridó.

Até a semana passada o Rio Grande do Norte só havia recebido dez respiradores, apesar da reivindicação de um número maior de respiradores, dentro do plano de contingência. “Recentemente, nós tínhamos feito um redesenho, uma readequação da quantidade de respiradores necessários. Identificamos naquele momento que nós precisávamos de, pelo menos, 80 respiradores para poder dar conta do plano de expansão de leitos críticos no Rio Grande do Norte, seja nas regiões de tratamento, seja nas regiões de estabilização em todo o Estado, de forma regionalizada”, disse Spinelli.

Segundo ele, por meio da ação do Governo, houve um compromisso do Governo Federal, através do general Ramos, ministro da Secretaria de Governo, de que o restante dos respiradores serão liberados e devem chegar ainda esta semana.

“É importante lembrar que os respiradores por si só não resolvem. É um gargalo a mais superado, Isso vai ser muito importante para avançar, mas nós precisamos de pessoas. Nós precisamos de profissionais para que isso aconteça”.

Segundo ele, o Governo tem atuado nessas medidas e lançou editais para contratação de temporários e lançará outro edital para ampliar oferta de profissionais paira os hospitais, principalmente os do interior onde serão montados pontos de estabilização.

Insalubridade

De acordo com Petrônio Spinelli, até o final do mês o Governo do Estado vai pagar o auxílio insalubridade de 40% acrescentada aos servidores envolvidos nesse momento de pandemia com retroativo para o mês de abril.

Compartilhe:

Governo do RN regulamenta funcionamento de espaços religiosos

Algumas Igrejas já haviam adotado medidas para evitar aglomerações – Foto – Reprodução Yandex

Através de uma portaria publicada na edição deste sábado, 23, do Diário Oficial do Estado (DOE), o Governo do Rio Grande do Norte regulamentou o funcionamento de igrejas, templos, espaços religiosos e estabelecimentos similares.

Segundo a publicação, a Portaria nº 004/2020 estabelece as recomendações sanitárias referentes ao Decreto Estadual nº 29.583, de 1º de abril de 2020, para o funcionamento de espaços religiosos.

De acordo com a Portaria, a abertura desses espaços para orações individuais e atividades religiosas está condicionada ao cumprimento de medidas sanitárias como distanciamento mínimo de um metro e meio entre os frequentadores, evitando aglomeração e contatos proximais; organização das filas, dentro e fora do estabelecimento, observando a distância um metro e meio; limitação de uma pessoa para cada cinco metros quadrados; frequência simultânea não superior a 20 pessoas e manutenção de higienização regular dos ambientes e dos equipamentos de contato.

A Portaria orienta ainda disponibilização alternada de assentos entre as fileiras de bancos, disponibilização ininterrupta e suficiente de álcool gel 70%, em locais fixos de fácil visualização e acesso e uso de máscaras de proteção por todos os presentes nos locais, entre outras medidas.

O documento cita ainda medidas relacionadas às pessoas inseridas em grupo de risco e afirma que a competência acerca do cumprimento dos termos da portaria, bem como a orientação sobre os riscos de contaminação pelo novo coronavírus competem ao dirigente do estabelecimento religioso, sob pena de responsabilização pessoal. Já a fiscalização dos locais fica a cargo das equipes de vigilância sanitária e de segurança pública.

Quadro no RN

O primeiro caso de Covid-19 no Rio Grande do Norte foi confirmado no dia 12 de março. Apenas dois meses e onze dias depois o Estado já totaliza 4.599 casos confirmados da doença e 184 mortes, segundo dados parciais informados pela assessoria de comunicação da Secretaria da Saúde Pública (SESAP-RN). Há mais de 14 mil casos suspeitos e, do mesmo modo que no restante do Brasil, não há testagem em massa para maior precisão do número de casos confirmados.

O percentual de isolamento social recomendado pelas autoridades sanitárias está longe de ser alcançado no RN. Ontem, 21, segundo dados do Inoloco, apenas 40,62% das pessoas estavam isoladas, o menor índice do Nordeste para essa sexta-feira. Além disso, a pressão por internamentos é grande e, mesmo com a abertura de leitos que vem sendo realizada, o número de pacientes atendidos em prontos-socorros que aguardam por regulação para leitos específicos para o tratamento de Covid-19 é crescente. Nesse cenário, os profissionais de saúde têm enfrentado dias desafiadores, não só pelas condições do sistema, mas pelos próprios limites emocionais. Sem vacinas ou medicamentos com eficácia comprovada para o tratamento da doença em nível mundial, a única medida efetiva é o isolamento social.  O momento exige medidas duras e não amolecimento.

Nota do Blog: o Governo do RN diz que não flexibilizou a abertura de igrejas, mas na prática o fez. Abrir para orações individualizadas vai dar mais um motivo para as pessoas saírem de casa. O momento exige medidas duras e não amolecimento.

 

 

Compartilhe: