RN ultrapassa 300 mortes por covid-19 e registra mais de 1.800 curados

Sesap apresenta novos números sobre a covid-19 (Foto: Demis Roussos)

O Governo do Rio Grande do Norte anunciou que foram confirmadas mais 37 mortes por covid-19, das quais 11 ocorreram nas últimas 24 horas. Com isso, o Estado chegou a 305 óbitos causados pela doença.

O Estado ainda registra 1.824 pacientes recuperados.

Foram notificados 14.172 considerados suspeitos (menos 734 em relação ao último boletim) e 7.402 casos confirmados (939 a mais do que os casos apresentados ontem).

Na entrevista coletiva concedida hoje na Escola de Governo, o secretário de Estado da Saúde Pública, Cipriano Maia, enfatizou a necessidade de a população se conscientizar e aderir ao isolamento social, para conter a curva do contágio pelo novo coronavírus. “As medidas de proteção são a maneira de proteger a vida e, com isso, fazer valer os decretos, perseguir a meta de redução do contágio e conseguir vislumbrar a retomada das atividades com segurança”, alertou o secretário.

A Subcoordenadora de Vigilância Epidemiológica da Sesap, Alessandra Lucchesi, que apresentou o boletim deste sábado, relatou que a maior incidência da doença está entre os jovens, que são potenciais transmissores para a faixa etária que tem ido a óbito, composta pelo idosos. Segundo ela, o processo de transmissão ainda está ocorrendo de forma acentuada no RN.  “Acreditamos que estamos apenas no início da subida da curva. Os números são cada vez mais preocupantes, mas também refletem a aceleração do diagnóstico do Lacen e da parceria com o Instituto de Medicina Tropical da UFRN, que se somam com os testes rápidos dos municípios”, explicou.

O secretário ressaltou o reconhecimento – pelo Estado – da importância dos trabalhadores da saúde no enfrentamento à pandemia e informou que o Governo pagou hoje a insalubridade no percentual máximo de 40% sobre o salário, retroativo a abril. “Outra ação importante nesse sentido é o programa Acolher Saúde, criado para proteger a saúde dos familiares dos profissionais da saúde que estão na linha de frente. Temos cerca de 30 profissionais hospedados no Hotel Barreira Roxa”, disse.

O titular da Sesap-RN também agradeceu ao programa de âmbito nacional, Todos pela Saúde, que tem protagonismo do Banco Itaú. O Governo fez a adesão e tem recebido apoio na implantação da gestão clínica nos hospitais, nos insumos, equipamentos, testes e EPIs (Equipamentos de Proteção Individual). As unidades que integram o programa são: Hospital Giselda Trigueiro, Hospital da Polícia, Hospital Regional Tarcísio Maia e os regionais de Pau dos Ferros e do Seridó.

Existem 548 pessoas internadas nas redes pública e privada do Rio Grande do Norte, sendo 260 em leitos de UTI e unidades semi-intensivas e 288 em leitos clínicos. A internação de pessoas em estado grave mostra a mudança no perfil da epidemia entre grupos e extratos sociais, pois têm mais pacientes internados de gravidade de 1 e 2 na rede pública, no caso 171, do que na rede privada (89).

A taxa de ocupação é de 97% em Natal e em Mossoró, de 75% em Pau dos Ferros e de 40% no Seridó. A fila da regulação tem 93 pessoas, sendo 31 para leitos críticos. “Hoje o hospital municipal de campanha vai abrir novos leitos, o que vai ajudar a reduzir a pressão da demanda. E também abriremos leitos nas demais regiões do Estado durante a semana”, afirmou Cipriano.

Ele finalizou sua participação na coletiva informando que a retomada da “normalidade” já está planejada pelo Governo do Estado, mas é necessário alcançar metas de ocupação de leitos abaixo de 70%, declínio de casos e de óbitos e redução da taxa de contágio. “Quem está em casa e usa máscara quando precisa sair está contribuindo para a retomada da vida normal. Por isso repito aqui o mantra: ‘fiquem em casa, usem máscara’ e encerro na perspectiva de que esse fim de semana seja bem utilizado para reflexão de toda a população sobre a necessidade do isolamento social”.

 

Compartilhe:

História de luta e superação de quem venceu o Covid-19

Ana Andreia no retorno para Mossoró após tratamento em Fortaleza – Foto: Cedida

“É algo muito divino. Eu não sei explicar. Não se explica Deus”. A frase é da funcionária pública, Ana Andreia, que é enfermeira do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e da Central de Regulação do Município. Ela, que conversou com o blog alguns dias atrás, foi uma das primeiras pacientes de Mossoró a apresentar quadro grave de Covid-19. Longe de ser uma razão para minimizar o isolamento social ou a gravidade da doença, a notícia traz a reflexão sobre histórias de luta.

Para chegar à classificação de ‘recuperados’, muitos pacientes enfrentaram um tratamento agressivo, solitário e que, mesmo sendo concluído, ainda impõe desafios.

Ana Andreia contou que os primeiros sintomas começaram no dia 15 de março. Dois dias depois o quadro foi se complicando. Como na época os casos de contágio eram mais entre pessoas que viajaram e ela não havia viajado, suspeitou que estivesse com H1N1. Em seis dias o quadro de saúde já havia se agravado e ao mostrar um raio-x a um amigo, ele orientou que ela realizasse uma tomografia. Na noite dessa mesma data, ela procurou um hospital. Lá, foi colocada no oxigênio e já foi informada de que ficaria em isolamento. A tomografia que realizou apontou uma pneumonia intensa, sugestiva para H1N1 e Covid-19.

A enfermeira contou que foi informada que teria que ir para um leito de UTI, mas como, na época, o hospital em que foi atendida ainda não tinha UTI, foi encaminhada para Fortaleza. A família não pôde acompanhá-la, mesmo que a irmã quisesse muito estar presente.

Na capital cearense, Ana Andreia passou dois dias na Unidade de Terapia Intensiva e depois foi para um apartamento, onde ficou isolada. Os resultados dos exames só chegaram até Andreia quando ela já estava internada. Ela não chegou a ser entubada, mas enfrentou a agressividade da doença.

“Foi doloroso, porque era eu sozinha. Até então, era muito incerto. Para a gente foi um boom, porque eu fui a primeira paciente muito grave”, relembrou.

O período foi marcado por reflexões, e medo. Mas a enfermeira conta que tentou trabalhar o psicológico. “Para mim, o maior trauma era a solidão, o isolamento. Mas que deu para trabalhar a parte espiritual, me voltar totalmente para Deus, pedir para me tirar daquilo e eu fui atendida”, disse.

 

Orações dos amigos e a fé ajudaram durante o tratamento

As orações dos amigos também ajudaram bastante e, durante o período sozinha no hospital Ana Andreia conta que ela, que não era uma pessoa muito religiosa, desenvolveu um vínculo com Deus. “Eu precisava me aproximar de Deus”, disse.

“Isso me fez me aproximar mais de Deus”, reforçou. “Hoje o meu alimento é procurar Deus”, acrescentou.

Durante o tempo de internação, ela também reviu prioridades e disse que está dando mais valor às pequenas coisas. “Eu estava vivendo em função do trabalho e esquecendo a minha vida, a minha saúde”, contou. “Isso fez com que eu reavaliasse tudo. Esse momento de isolamento no hospital eu reavaliei tudo. O perdão, a aproximação da família”, complementou.

Em 3 de abril, Ana Andreia teve sua alta anunciada, sob o compromisso de que daria continuidade à fisioterapia para melhorar a respiração. “É uma alegria imensa você chegar na sua cidade”, lembrou.

Ao chegar em Mossoró, um novo período de isolamento, cumprindo todas as recomendações médicas. Concluído esse período, Ana Andreia retomou o trabalho, mas em outra função, porque o tratamento exigiu muito do organismo. Para se ter uma ideia, 60 dias depois dos primeiros sintomas, quando conversou com o blog, Ana Andreia ainda sentia um pouco de cansaço.

Mas ela contou que, de volta à rotina, o que a deixava triste e com o emocional abalado era o medo que algumas pessoas sentiam de estar na sua presença. Para Ana Andreia, o vírus tanto une as pessoas quanto afasta.

Ana Andreia segue, valorizando os detalhes. “Eu estou tentando viver e curtir a minha casa, coisa que eu não curtia antes”, disse. “Hoje eu estou valorizando o estar dentro de casa e eu estou achando maravilhoso e estou valorizando mais a Deus”, acrescentou.

Isolamento social

A enfermeira também deixa o alerta para que as pessoas cumpram o isolamento social. “Estamos em momento ainda de guerra, meus colegas estão em frente de batalha”, diz ela.

Compartilhe:

A história enrolada do deputado que foi “curado” de covid-19 antes de pegar a doença

O deputado estadual Hermano Morais (PSB) anunciou nas redes sociais hoje que está internado com diagnóstico de covid-19. Como ele foi acometido pela doença em abril logo se conclui que ele estaria com a doença pela segunda vez.

Mas o deputado postou outra nota (ver abaixo) em que diz ter pego covid-19 pela primeira vez e que em abril era virose.

Nada contra o deputado, a quem tenho grande respeito, mas em abril ele mesmo gravou um vídeo dizendo que estava com covid-19 que reproduzimos abaixo:

No dia 23 daquele mesmo mês ele anunciou que estava curado com as seguintes palavras: “Hoje me encontro já curado, embora não descuidado. Tenho que continuar atento, até porque existem controvérsias sobre a questão da imunidade. De toda forma, recomendo a todos muito cuidado, já que estamos em fase de crescimento da curva. Por isso é importante tomarmos todas as medidas preventivas contra essa doença que tem alcançado pessoas no mundo inteiro. Então eu quero lembrar a todos da importância do distanciamento social, da higienização e do uso das máscaras”.

Segundo o Blog de Gustavo Negreiros entre a “cura” e a segunda confirmação teve um exame em que deu negativo. O problema é que ele não tornou público. Daí agora surgir o papo de que ele só pegou covid-19 agora (leia AQUI).

Depois ele não tocou mais no assunto. Agora surgiu essa enrolada. Resumindo: o deputado foi “curado” antes de pegar a doença.

Que ele fique logo bom para dar boas risadas dessa história que certamente estará no folclore político local.

Compartilhe:

Em um mês, Mossoró tem aumento de 822 casos de Covid-19 confirmados

Primeiro caso de Covid-19 na cidade foi confirmado em março (Imagem: Reprodução)

Mossoró tem 986 casos confirmados do novo coronavírus, segundo dados divulgados no boletim epidemiológico da Secretaria da Saúde Pública do Rio Grande do Norte (SESAP-RN) desta sexta-feira, 29. O número é cerca de seis vezes maior do que o registrado pelo Município há um mês, quando havia 164 confirmações.

48 óbitos com confirmação de Covid-19 foram registrados na cidade, segundo o boletim da Sesap. Os três últimos óbitos informados pela Secretaria se referem a um paciente de 36 anos, com comorbidade que faleceu na quarta-feira passada, 27, segundo informado ontem pela assessoria da Sesap, a um paciente de 69 anos de idade, com comorbidade, falecido ontem, e a uma paciente de 75 anos de idade, que faleceu no dia 25 de maio. Há um mês eram 13 óbitos confirmados.

Segundo os dados da Sesap, Mossoró tem 1.011 casos suspeitos e 815 casos descartados. 12 óbitos estão em investigação.

Compartilhe:

Deputado é diagnosticado com covid-19 pela segunda vez

Hermano Morais está  diagnosticado com covid-19 pela segunda vez (Foto: reprodução)

Por meio de comunicado oficial publicado nas redes sociais o deputado estadual Hermano Morais (PSB) informa que foi diagnosticado com a covid-19 pela segunda vez.

O texto informa que Hermano voltou a sentir sintomas e fez os exames que confirmaram a doença. O parlamentar encontra-se hospitalizado, com quadro estável e seguindo as recomendações médicas.

O deputado foi diagnosticado com quadro de covid-19 pela primeira vez no dia 16 de abril. Já no dia 29 do mesmo mês ele anunciou que estava recuperado.

Hermano é pré-candidato a prefeito de Natal.

Confira o post:

View this post on Instagram

Comunicado Oficial.

A post shared by Hermano Morais (@hermanomorais) on

Compartilhe:

Entidades discutem possibilidade de antecipar feriados em Mossoró

Objetivo dessa alternativa é aumentar índices de isolamento na cidade – Foto: Cedida

Representantes do Comitê de Crise para Enfrentamento do Coronavírus de Mossoró, Sindicato do Comércio Varejista (SINDVAREJO) e Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) discutem a possibilidade de antecipação dos feriados na cidade como alternativa para aumentar os índices de isolamento social. O debate sobre o tema foi iniciado na tarde de ontem, 28, durante uma reunião realizada por videoconferência.

De acordo com o Município, a reunião durou mais de duas horas  ainda não há uma definição sobre o assunto.

O presidente do Sindvarejo, Michelson Frota, afirma que, assim como tem ocorrido nos grandes centros, o Sindicato se propôs à antecipação, pensando em uma retomada mais rápida do comércio no segundo semestre. “Seria uma forma, realmente, de conter as pessoas em casa”, diz Michelson Frota.

Segundo ele, o Sindicato irá propor um planejamento à Prefeitura. A ideia era de que esse plano fosse apresentado ainda hoje, mas Michelson diz que não sabe se será possível. Para o representante do Sindvarejo, o objetivo é antecipar todos os feriados do segundo semestre em nível de Município e Estado e ver o que pode ser feito em relação aos feriados nacionais.

Já o presidente da CDL, Wellington Rodrigues, informou que a Câmara está em discussão sobre o assunto. Segundo ele, após a reunião com o Município houve uma reunião com representantes da CDL e houve divergência sobre a quantidade de feriados que seriam antecipados e qual o período para que isso ocorra.

De acordo com Wellington Rodrigues, CDL ainda não chegou a um consenso, mas sabe que pode ser uma possibilidade. Ele afirma que está vendo alternativa no sentido de apoiar, mas não com relação a todos os feriados para que não haja um prolongamento muito grande. Ainda hoje a entidade deve ter uma definição sobre o assunto. O presidente da CDL diz que, enquanto entidade, está vendo com preocupação o que está acontecendo, mas ao mesmo tempo vendo a situação dos lojistas.

Compartilhe:

Sesap atualiza dados sobre o coronavírus no RN; número de óbitos é 267

Secretário de Saúde do RN explica que novos casos confirmados são referentes a resultados de testes divulgados nos dois últimos dias (Imagem: Reprodução)

O Rio Grande do Norte registra 267 óbitos com confirmação do Covi-19. Dos doze óbitos informados nesta sexta-feira, 29, sete ocorreram nas últimas 24 horas, segundo informou o secretário de Saúde do Estado, Cipriano Maia, em coletiva de imprensa realizada em Natal.

Os doze óbitos informados pela Sesap hoje ocorreram nos municípios de Natal, Ceará-Mirim, Areia Branca, Mossoró, Touros, Baraúna, Extremoz, Ipanguaçu, Apodi. 60 óbitos estão em investigação.

O número de casos confirmados da doença em todo o Estado chegou a 6.463. Os 833 novos casos correspondem as confirmações de exames dos dois últimos dias, tendo em vista que ontem, 27, não houve liberação do boletim epidemiológico e os dados sobre casos confirmados não haviam sido informados na coletiva. De acordo com Cipriano Maia, os profissionais da Vigilância Epidemiológica passaram todo o dia de ontem e até a noite trabalhando para solucionar inconsistência na base de dados, seja em relação ao Ministério da Saúde, seja em relação à notificação dos municípios.

Em todo o Estado, são 14.905 pessoas com suspeitas de Covid-19 e 12.552 casos descartados, segundo informou o secretário de Saúde.

A taxa de ocupação de leitos críticos exclusivos para o tratamento de pacientes adultos com sintomas do novo coronavírus no Estado continua ultrapassando os 90% nas duas maiores regiões. De acordo com dados do RegulaRN, por volta das 13h07 desta sexta-feira, a taxa de ocupação na Região Metropolitana de Natal era de 96,3%, com todos os leitos do Hospital Municipal de Natal e Hospital Rio Grande ocupados, 96,9% de ocupação no Hospital Giselda Trigueiro, 93,3% no Hospital da Polícia, 92,9% no Hospital Luiz Antonio e 85,7% no Hospital de Campanha de Natal.

No Oeste, o índice médio dos leitos ocupados existentes nas cidades de Mossoró e Pau dos Ferros era de 93,9%. Em Mossoró, o Hospital São Luiz estava com ocupação de 100% dos leitos e o Hospital Regional Tarcísio Maia tinha 95,2% dos leitos ocupados. Já em Pau dos Ferros, o Hospital Regional Cleodon Carlos de Andrade tinha 75% de ocupação.

No Seridó, o índice de ocupação do Hospital Regional Telecila de Freitas Fontes era de 36,4%.

97 pessoas atendidas em unidades de diferentes municípios do Rio Grande do Norte estavam na fila de espera por um leito. Dessas, 36 aguardavam transferência para leitos críticos (quatro eram considerados ‘prioridade 1’ e 28 ‘prioridade 2’). 61 pacientes considerados ‘prioridade 3’ esperavam por um leito e quatro considerados prioridade quatro também aguardavam regulação.

Considerando todas as internações registradas no Estado, em hospitais públicos e privados, em leitos críticos ou clínicos, 530 pessoas estão internadas, segundo informou o secretário de Saúde.

O Índice de isolamento social continua baixo. Segundo registrado pelo Inloco ontem, 28, apenas 40,81% da população se manteve isolada.

 

Realidade da fila de espera às 13h07 desta sexta-feira, segundo RegulaRN (Fonte: RegulaRN – SESAP – LAIS)
Compartilhe:

Guarda Municipal é a 46ª vítima da covid-19 registrada em Mossoró

“Seu Neto” tinha 40 anos de Guarda Municipal (Foto: redes sociais)

Faleceu ontem vítima de covid-19 o guarda civil municipal Joaquim Estevão de Oliveira Neto, de 71 anos. Ele estava internado há um mês lutando contra a doença.

“Seu Neto”, como era conhecido, serviu como GCM por 40 anos sendo um dos servidores mais antigos da corporação. Era uma figura admirada pelo pelos colegas e daqueles que se recusava a se aposentar conforme relataram guardas municipais ao Blog do Barreto.

Ele foi enterrado hoje cedo em Ibicuitaba, distrito de Icapuí.

A Prefeitura de Mossoró divulgou nota de pesar lamentando a morte de “Seu Neto”:

Com cerca de 40 anos de serviços prestados ao Município, Seu Neto era reconhecido como servidor exemplar, com trajetória pautada pela ética, honestidade e bom relacionamento com os colegas de ofício.

 

Aos familiares, amigos e colegas de trabalho, as manifestações mais sinceras de solidariedade e condolências pela perda inestimável. Que Deus possa confortá-los nesse momento.

Levando em consideração a última atualização da Prefeitura de Mossoró, na quarta-feira, Joaquim é a 46ª pessoa a ser vítima de covid-19 na segunda maior cidade do Rio Grande do Norte.

Compartilhe:

Prefeito de Tibau desiste de lockdown e aposta no isolamento social com regras para entrada no município

Decreto – intensificação das barreiras sanitárias

O Prefeito de Tibau Naldinho (PSDB) desistiu de decretar lockdown (bloqueio total). No decreto publicado no Diário Oficial da Federação dos Municípios do Rio Grande do Norte (FEMURN) consta apenas isolamento social como medida de prevenção ao covid-19.

Na semana passada o prefeito Naldinho chegou a anunciar por meio de nota que decretaria o bloqueio total proibindo a circulação de pessoas na da de hoje, 29 de maio. O Blog do Barreto fez contato com a Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Tibau que disse não saber informar o motivo da mudança de ideia.

O prefeito tinha avisado há uma semana que antes de tomar qualquer decisão consultaria os comerciantes tibauenses.

O Município estabelece barreiras sanitárias em todos os seus acessos limitando a entrada de veículos na cidade aos casos em que os ocupantes estejam usando máscaras e portando álcool em gel 70%.

Além disso, o decreto proíbe aglomerações em ambientes públicos ou privados.

Está liberado o funcionamento do comércio de alimentos, produtos de limpeza e de higiene pessoal.

No último Boletim da Secretaria Estadual de Saúde Pública (SESAP) consta que Tibau tem 12 casos suspeitos e 16 confirmados de covid-19. Nenhum óbito foi registrado na cidade.

Confira o decreto AQUI.

Compartilhe:

Areia Branca tem maior taxa de mortalidade com confirmação de Covid-19 por grupo de 100 mil habitantes do RN

Sesap RN informa taxa de incidência de casos confirmados de Covid e de mortalidade por grupo de 100 mil habitantes (Imagem: Reprodução)

A incidência de casos do novo coronavírus em Areia Branca, no Rio Grande do Norte, continua preocupante. O Município, que tem menos de 28 mil habitantes, conforme estimativas do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) para 2019, tem a maior taxa de mortalidade por grupo de 100 mil habitantes do Estado, equivalente a 54, segundo dados do boletim epidemiológico da Secretaria da Saúde Pública (SESAP-RN), divulgado ontem, 27.

De acordo com o mesmo boletim, foram registrados 15 óbitos com confirmação de Covid na cidade. O número, que já assusta, é ainda maior segundo o boletim epidemiológico do Município, publicado nesta quinta-feira, 28, que informa que 19 mortes com confirmação da doença foram registradas.

Os números de casos confirmados também são elevados. Dados do Municípios, divulgados nesta quinta-feira, 28, no perfil da Prefeitura, informam que a cidade tem 264 casos confirmados. Desses, 118 estão em tratamento domiciliar, oito em tratamento hospitalar e 119 estão recuperados. O Município tem ainda 462 casos suspeitos e 193 descartados.

O boletim da Sesap com os números de confirmações, casos descartados, suspeitos e recuperados dos municípios ainda não foi divulgado. Os dados devem ser disponibilizado pela Sesap até o final do dia.

Mas em matéria anterior publicada pelo blog, um das funcionária do setor de epidemiologia explicou que a diferença nos números decorre do fato de que a Secretaria Municipal tem acesso mais rápido a resultados de exames do laboratório particular de Areia Branca e do laboratório do hospital e de algumas questões relacionadas ao modelo do sistema nacional.

 

Município de Areia Branca divulgou mais um boletim com números relacionados ao Covid (Imagem: Reprodução)
Compartilhe: