A denúncia tardia de Robinson contra as oligarquias

O governador Robinson Faria (PSD) soltou o verbo numa entrevista a 96 FM de Natal. Revelou ter sido boicotado pelas oligarquias quando lutava pelo aporte de R$ 600 milhões do Governo Federal para pôr a folha de pagamento em dia.

Abre aspas para o governador:

“Os ex-governadores que quebraram o Rio Grande do Norte, e que agora estão unidos em torno de mais um Alves, estão com saudade de quebrar mais o Estado. Quando fui a Brasília tentar regularizar a folha, fiquei só. Consegui até uma medida provisória de R$ 600 milhões, mas era eu saindo de uma porta e eles entrando na outra para falar com os ministros do TCU para não liberar o dinheiro. Eu posso provar e vou mostrar quem foram eles. Eu tenho testemunha. Os próprios ministros disseram que ficaram indignados com os políticos que foram lá para não liberar o dinheiro para pagar o servidor. Era para a folha estar em dia há muito tempo, se eu não tivesse sido boicotado pelo acordão Alves, Maia e Rosado”

Aspas (extraídas do site Agora RN) fechadas segue a nossa análise. O que Robinson diz não é novidade alguma para quem conhece os bastidores da política estadual. Esse movimento foi muito comentado e só não se converteu numa notícia tão contundente na época porque o próprio pessedista se fez de rogado optando pelo silêncio. Tudo ficou enclausurado nos bastidores da política.

Num contexto em que Robinson não consegue avançar nas intenções de voto, apresenta maior rejeição e afoga-se na impopularidade essas palavras não geram qualquer efeito.

Vieram tarde.

Na cabeça dos servidores os salários continuam atrasados por culpa de Robinson que teve uma oportunidade ímpar de dar as mãos aos trabalhadores na pressão contra as oligarquias que atuavam como “forças ocultas”. O governador preferiu o silêncio conivente para ver se atraia algum apoio nestas eleições.

Ele até tentou (e muito) o apoio da prefeita de Mossoró Rosalba Ciarlini (PP). Não conseguiu e agora não pode mais reclamar.

Robinson chama de acordão a aliança oligárquica, mas já foi aliado de Alves, Rosados e Maias. Contribuiu com todas essas gestões que ele responsabiliza pelo atraso do Estado. Se ele estivesse preocupado com o que essa turma fez não estaria parceiro político de Geraldo Melo, ex-governador que todos os dias agradece a ele e Rosalba por fazerem a história absolve-lo da condição de pior governador que o RN já teve.

Robinson duela com os fatos mesmo quando tardiamente revela algo que deu náuseas de ouvir nos bastidores. A nossa classe política é mesquinha mesmo, mas é você quem os coloca lá.

Compartilhe:

Governo paga 87% dos salários no sábado

O Governo do Estado conclui até o próximo sábado (07) o pagamento de março de 98 mil dos 112 mil servidores do Estado, o que equivale a 87% da folha. Os 36 mil servidores da Educação, Saúde e órgãos indiretos que possuem arrecadação própria já receberam os salários de março em 28/03, dentro do mês trabalhado.

Recebem no próximo dia 07/04 os 22 mil servidores da segurança – SESED, SEJUC, PC, PM, CBM, ITEP e policiais do Gabinete Civil e da VICE-GOVERNADORIA (ativos, inativos e pensionistas, PM e CBM) e os 39 mil servidores das demais categorias que ganham até R$ 4 mil. O pagamento dos servidores que ganham acima de R$ 4 mil será divulgado em breve.

O décimo-terceiro salário será pago em 30/04 aos servidores que ganham entre R$ 2 mil e R$ 3 mil. O benefício dos servidores que ganham até R$ 2 mil já foi pago no último dia 29/03 e o décimo dos servidores da Educação e de órgãos indiretos com arrecadação própria já foi pago no final do ano passado. Em 30/04, o Governo do Estado terá pago o décimo a 58% dos servidores.

Compartilhe:

Governo Robinson recorrerá a empréstimo para pagar 13º salário e propõe abono para cobrir juros

Robinson Intertv

O governador Robinson Faria (PSD) encaminhou um projeto de lei para Assembleia Legislativa que prevê um abono salarial de até 12,42% nos salários dos servidores estaduais.

Não se trata de um “extra”, mas de um recurso para quitar os juros que o Governo deve pagar aos bancos onde os servidores fizerem o financiamento para receber a chamada “gratificação natalina” referente ao ano de 2017.

A proposição deve ser usada para viabilizar os empréstimos que seriam pagos em seis parcelas.

Compartilhe:

Associação de praças doa cestas básicas para inativos da saúde

Doação de cestas básicas

Um momento de solidariedade em meio à tensão trabalhador x trabalhador provocada pelo governador Robinson Faria (PSD). Associação de Praças da Polícia Militar de Mossoró e Região (APRAM) repassou ao Sindsaúde 50 cestas básicas que haviam sido entregues a entidade quando os policiais não tinham recebido os salários de dezembro.

As cestas serão distribuídas aos servidores inativos da saúde que ainda não receberam os salários de dezembro.

Nota do Blog: Um gesto de grandeza da parte do solado Tony Fernandes e seus companheiro da APRAM.

Compartilhe:

PM encara quadro de desmoralização junto à sociedade ao voltar a bater em servidores

assembleia

É consenso na sociedade que a Polícia Militar faz muito com o pouco com as precárias condições de trabalho historicamente lhe dada. Prova disso foi a mobilização de todos os potiguares em defesa dos policiais que cruzaram os braços por causa dos salários atrasados. Isso foi fundamental.

O problema é que existem outras categorias tão importantes quanto a PM como os professores da UERN e os servidores da saúde. Ambas são desprezadas pelo governador Robison Faria (PSD). Sobre esse assunto (ver AQUI) eu já escrevi.

A questão é o fato de essas duas categorias terem se solidarizado com a luta dos PMs que chegou a situações dramáticas. Estava na cara que esse apoio não seria retribuído.

Agora, por questões que vão além da própria vontade dos policiais (como a hierarquia, por exemplo), os agentes repressores do Estado voltaram a bater nos servidores. O triste episódio aconteceu hoje pela manhã quando manifestantes foram impedidos de entrarem na Assembleia Legislativa para, democraticamente, pressionarem os deputados estaduais a votarem contra o “pacote de maldades” que Robinson Faria apelidou de “RN Urgente”.

Os PMs que há uma semana diziam cruzar os braços por falta de estrutura de repente estavam lá com escudos, bombas de efeito moral e spray de pimenta. Este último uma marca registrada do atual governador. São as condições de trabalho sempre presentes na hora de bater em trabalhador.

Como era de se esperar a categoria que resolveu parte dos próprios problemas agora vai lutar contra as que não resolveram e sofrem com situações dramáticas também. Não adianta explicar que existe hierarquia que os obrigam a cumprir ordens porque é o que acontece na prática.

Robinson fez a sua escolha e com ela jogou trabalhador contra trabalhador. Nesse episódio o governador também perde também, mas puxa a PM junto com ele para a zona de rebaixamento do campeonato da moral.

Compartilhe: