Robinson garante ter restabelecido a ordem pública

Operação Potiguar II foto Demis Roussos (1)

O governador Robinson Faria avaliou hoje, 6, a Operação Potiguar II, realizada pelas Forças Armadas em conjunto com as polícias militar e civil do Estado no período de 20 de janeiro a 04 de fevereiro para conter os crimes praticados por organizações criminosas. A conclusão do governador foi de que a ação alcançou seu objetivo, restabelecendo a ordem e o respeito à legislação.

“A missão foi cumprida. Restabelecemos a ordem pública e vamos continuar atuando para combater a violência. O Estado não vai recuar, estamos trabalhando e vamos vencer a crise. Trabalhamos com inteligência, vamos construir presídios, vamos corrigir as falhas do sistema prisional, que não acontecem apenas no Rio Grande do Norte”, afirmou o Governador, em entrevista coletiva concedida na sede da 7ª Brigada de Infantaria Motorizada, em Natal. Ele ressaltou que durante a crise as forças policiais do Estado agiram com competência e técnica que evitaram mais mortes.

O ministro da Defesa, Raul Jungmann, presente à avaliação da Operação Potiguar II, destacou: “As Forças Armadas, em conjunto com as polícias do Rio Grande do Norte, restabeleceram a ordem e devolveram ao Estado a normalidade que estava ameaçada com incêndios a veículos e ataques a prédios públicos”, disse o ministro acrescentando que as tropas nacionais estarão sempre prontas a dar respostas rápidas e efetivas a qualquer ameaça à ordem constitucional”.

Na avaliação da atuação dos militares do Exército, Marinha e Aeronáutica no reforço ao combate ao crime organizado, o comandante da 7ª Brigada de Infantaria Motorizada e da Operação Potiguar II, general Jaime Octávio de Alexandre Queiroz, explicou que 1.887 militares das três forças foram mobilizados em 72 horas e começaram a atuar 24 horas por dia com efetivos em três turnos. Foram realizadas 3.879 ações de policiamento motorizado, a pé e fluviais que resultaram na apreensão de drogas, munições, armas, explosivos e pessoas. “A ordem pública foi preservada, a segurança restabelecida e a população volta à normalidade”, avaliou.

FOTO: DemisRoussos

Compartilhe:

Cientista político acusa classe política de Mossoró de fazer conta burra e oportunista em luta contra novo presídio

Abaixo um artigo do cientista político Daniel Menezes em que ele acusa a classe política de Mossoró de fazer uma conta burra e agir de maneira oportunidade em relação a proposta de novo presídio na cidade.

Sobre a conta burra feita por lideranças oportunistas de Mossoró contra mais um presídio na região
Daniel Menezes

Foi feito um movimento contra a possível instalação de um presídio no município de Mossoró. A ação aparentemente ocorre em defesa da cidade e serve para legitimar velhas figuras da política local. O argumento é o de que mais um equipamento com o viés citado tornaria a região mais perigosa.

Ledo engano. Normalmente, os presos são encarcerados próximos aos seus familiares, uma forma de melhorar a ressocialização. A exceção feita apenas para os condenados de alta periculosidade. É pouco realista supor que ninguém mais será preso nos próximos anos em Mossoró. Pelo contrário.

Com isso, ao invés de ajudar a cidade a retórica populista contra mais presídios contribuirá, na verdade, para abarrotar os centros prisionais do alto-oeste já lotados.

Conforme todos os especialistas que li nessas últimas semanas, a super lotação é ingrediente de consenso para o fortalecimento das facções nas prisões e incremento de uma bomba que, quando estourada, gera rebeliões e até ações externas, tal como aconteceu em Natal.

O movimento irrefletido parte de um senso comum para alegar que defende Mossoró. Um jogo pra torcida. Na prática, na medida em que não equaciona mais vagas para a devida instalação dos apenados, apaga incêndio com gasolina.

Eles, portanto, não defendem os interesses de Mossoró. Apenas se utilizam de uma lógica imediatista para se legitimarem social e politicamente.

Mossoró pagará lá na frente por mais esta irresponsabilidade de suas elites dirigentes.

Ficará aqui registrado para esfregar na cara de quem de direito no momento devido.

Nota do Blog: a única liderança política de Mossoró a se manifestar de forma contundente contra o presídio foi a presidente da Câmara Municipal Izabel Montenegro (PMDB). A prefeita Rosalba Ciarlini (PP) deu tímida declaração no programa Conversa de Alpendre exibido na semana passada e o deputado federal Beto Rosado (PP) fez uma ação tardia contra a proposta.

Compartilhe:

Mossoró corre o risco de receber 112 detentos de Alcaçuz

Bandidos no comando

Um assunto que preocupa a cúpula da segurança pública em Mossoró é a possibilidade de a cidade receber a transferência de 112 detentos de Alcaçuz. E não seria para a o presídio federal não. O destino seria a Penitenciária Mário Negócio segundo revelou ao Blog do Barreto uma fonte credenciada.

O assunto preocupa ainda mais quando sabemos que em meio a crise em Alcaçuz, Mossoró conseguiu conter qualquer ação dos bandidos custodiados na segunda maior cidade do Rio Grande do Norte.

Mas com a presença de mais 112 “anjinhos” a situação é mais complicada.

Nota do Blog: mais uma hora para Mossoró se mobilizar e o Governo do Estado descartar dizendo que “nunca” cogitou essa possibilidade.

Compartilhe:

Levantamento aponta que RN investiu menos de 50% de recursos do sistema penitenciário

Fernando Mineiro

A crise no sistema penitenciário no estado e no país não é de hoje, e é preciso analisar o que levou à atual situação caótica dos presídios. Falta de políticas públicas, a própria concepção de encarceramento, a estrutura precária das penitenciárias, a incapacidade do Estado em aplicar os recursos como deveria etc. Dados do Portal da Transparência do RN mostram a gravidade do problema: em cinco anos, menos da metade dos recursos previstos para o sistema penitenciário foram utilizados.

O Fundo Penitenciário do RN, criado em 2005, é destinado à construção, reforma, ampliação e aprimoramento de prisões. De 2012 a 2016, segundo os dados do Portal da Transparência levantados pelo mandato do deputado estadual Fernando Mineiro (PT), foram orçados cerca de R$ 351 milhões para o Fundo, mas somente foram gastos R$ 155 milhões. Em 2014, último ano da gestão Rosalba Ciarlini (na época no DEM), observa-se o menor investimento, apenas cerca de 32% do total orçado.

No ano passado, foram gastos mais de 90% dos recursos previstos, mas a explicação é que houve queda drástica no valor orçado de 2015 para 2016 (R$ 106 milhões para 47 milhões). Os dados mostram claramente que o dinheiro que poderia resultar na abertura de novas vagas no sistema prisional e na melhoria de infraestrutura e de pessoal não está sendo utilizado a contento, por falha na gestão desses recursos.

Mineiro propôs, durante a sessão plenária desta terça-feira (24), convocada em caráter extraordinário para votar projetos da área da segurança, que a fiscalização da execução orçamentária seja, de fato, uma prioridade na Casa. “É preciso que estejamos atentos ao uso desses recursos. Trata-se de uma verba para minimizar os problemas na área penitenciária no nosso estado”, alertou.

Compartilhe:

Beto Rosado explica que audiência com secretário coincidiu com anuncio do governador

beto-rosado

O deputado federal Beto Rosado (PP) faz contato com o Blog do Barreto para explicar que não teve a intenção de se apropriar da desistência do governador Robinson Faria (PSD) de construir um novo presídio em Mossoró (ver AQUI). Ele relatou que no momento em que estava reunido com o secretário estadual de justiça e cidadania Walber Virgolini, o chefe do executivo estadual estava usando as redes sociais para comunicar a decisão.

Para Beto, não há “pai” nessa decisão. “A exclusão do presídio é fruto da mobilização do povo de Mossoró que mais uma vez mostrou o quanto é politizado”, avaliou.

Compartilhe:

Deputado tenta assumir “paternidade” em decisão do governador

WhatsApp Image 2017-02-01 at 19.37.35

Logo após o governador Robinson Faria (PSD) anunciar que não vai ter novo presídio em Mossoró, o deputado federal Beto Rosado (PP) que nada falou contra a iniciativa tentou a “paternidade” da iniciativa.

Beto Rosado colocou na página no Facebook e no site pessoal que fez a solicitação ao secretário estadual de justiça e cidadania Walber Virgolino.

WhatsApp Image 2017-02-01 at 19.37.35 (1)

Nota do Blog: o secretário Walber Virgolino falou no dia 11 de janeiro que estava estudando um local para construir um novo presídio em Mossoró. O Governo do Estado anunciou em 25 de janeiro que após construir a unidade prisional na segunda maior cidade do Estado e em mais outros dois municípios fecharia o que restou da penitenciária de Alcaçuz. Somente hoje, após a decisão ser anunciada, que o deputado quis tratar do assunto? Ou o parlamentar chegou atrasado ou não teve qualquer influência na decisão do governador.

Compartilhe:

Em Vídeo secretário revela planos de presídio em Mossoró descartado pelo governador

Por meio da nota abaixo o Governo do Estado descartou a possibilidade de se construir um novo presídio em Mossoró.

“O Governo do Rio Grande do Norte esclarece que Mossoró não está incluída entre os possíveis locais para a construção do terceiro presídio do estado, cujos recursos foram assegurados pelo Fundo Penitenciário (FUNPEN) do Ministério da Justiça.

O governador Robinson Faria já afirmou em outras ocasiões e reitera que não considera a cidade de Mossoró para abrigar o referido presídio. “O novo presídio não será construído em Mossoró”, confirmou o governador”.

No Twitter o governador disse: “Esclareço aos mossoroenses que não considero em hipótese nenhuma construir um presídio estadual na cidade”.

Mas a ideia não surgiu do nada nem foi um boato. O Blog do Barreto resgata um vídeo (gravado em 11 de janeiro) do secretário estadual de Justiça Walber Virgolino gravado em conversa com o editor desta página em que ele declara que está estudando um local para construir um novo presídio em Mossoró. Ressalve-se aí que ele explica ser do governador a última palavra para a decisão. Confira o vídeo abaixo:

Vale lembrar ainda que em 25 de janeiro o Governo do Estado divulgou material para os jornalistas (nas redações chamamos de “relise”) anunciando que o fechamento da Penitenciária de Alcaçuz ocorreria a após a construção de três novos presídios, incluindo o de Mossoró. “Durante reunião do Gabinete de Gestão Integrada (GGI) na Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Defesa Social, realizada na noite desta quarta-feira (25), o governador Robinson Faria destacou que o presídio estadual de Alcaçuz será desativado em breve. O fim das operações na detenção ocorrerá tão logo as prisões de Ceará-Mirim, Afonso Bezerra e Mossoró estejam prontas, medidas que serão de médio/longo prazo. Juntas, as unidades prisionais terão capacidade para concentrar cerca de 2.200 apenados, número que reduz o déficit de vagas no regime”, afirma o primeiro parágrafo.

Nota do Blog: o Blog do Barreto e o Meio-Dia Mossoró da 95 FM alertaram a cidade dessa possibilidade. Acerta o governador em ouvir os anseios de um povo que não aceitaria morar na “capital prisional do Brasil”. Ao dar a última palavra ele marcou um gol de placa para a segunda cidade do Rio Grande do Norte.

Compartilhe:

Governador afirma que não vai construir presídio em Mossoró

O Blog do Barreto acabou de receber do governador Robinson Faria (PSD) a informação de que não vai mais construir um presídio em Mossoró como anunciou no mês passado o secretário estadual de justiça e cidadania Walber Virgolino.

Mais informações em instantes.

Nota do Blog: grande notícia. Enquanto 99,9% da classe política ficou calada o Meio-Dia Mossoró e este blog mobilizamos a sociedade contra essa ideia.

Compartilhe:

Izabel rompe silêncio da classe política sobre construção de novo presídio em Mossoró

WhatsApp Image 2017-02-01 at 10.30.25

Coube a presidente da Câmara Municipal Izabel Montenegro (PMDB) romper o silêncio da classe política em relação a proposta de construção de um novo presídio em Mossoró feita pelo Governo do Estado.

Ela fez uma manifestação no Facebook externando que o mais importante para a cidade é a atração de novas empresas para a cidade:

“Quero aqui externar minha opinião sobre a vinda de mais uma unidade prisional para Mossoró: Sou totalmente contra, como fui quando a Governadora Vilma de Faria trouxe o Presidio Federal, de segurança máxima, para o nosso Municipío, fiz pronunciamento na Tribuna da Câmara e dei entrevistas mostrando que iria trazer mais violência. Estaremos de braços dados com a população para coibir esse absurdo! Queremos para Mossoró mais empregos, que seja reativada a Porcelanatti, a Fábrica de Tintas Cruz Color, a fábrica de Tecidos Líder, a Aficel e as dezenas de empresas prestadoras de serviços a Petrobrás! #nãoqueremosmaispresidios“.

A discussão sobre a desnecessidade de um presídio em Mossoró foi levantada pelo Blog do Barreto (ver AQUI) e Meio-Dia Mossoró da 95 FM.

Nota do Blog: os demais políticos da cidade seguem num silêncio ensurdecedor que mostram o quanto Mossoró é representada por uma classe política distante dos interesses da sociedade.

Compartilhe:

RN gastará R$ 45 milhões em construção de presídios

Alcaçuz facão 2

O governador Robinson Faria esteve na manhã desta terça-feira (31), em Brasília, onde discutiu e definiu com o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, ações para a crise no sistema prisional. O chefe do Executivo estadual conseguiu que os R$ 45 milhões do Fundo Penitenciário (FUNPEN) já repassados ao Estado sejam totalmente empregados na construção emergencial de presídios modulares. “Esses recursos são muito importantes para investir em novas unidades prisionais”, afirmou Robinson Faria.

Na audiência, o ministro Alexandre de Moraes assegurou uma destinação exclusiva do montante. “Diante da necessidade, vamos autorizar o uso de R$ 12 milhões que eram para compra de equipamentos em investimento para a construção e recuperação de presídios”, esclareceu.

O pleito foi definido em reunião ocorrida antes da audiência, entre o governador e a bancada federal potiguar, o presidente do Tribunal de Justiça do RN, Expedito Ferreira, o procurador-geral de Justiça, Rinaldo Reis e o representante da Assembleia Legislativa/RN, deputado Galeno Torquato.

O ministro também atendeu outro pleito: garantiu a permanência dos agentes penitenciários federais por 60 dias no Rio Grande do Norte. “Precisamos do reforço desses agentes para dar tranquilidade à população e qualificar nossos profissionais que atuam no sistema prisional”, declarou o governador, acrescentando que “este é momento de união e esforços em prol do Rio Grande do Norte”. Alexandre de Moraes deu seu apoio à decisão do governador de desativar Alcaçuz e construir penitenciárias modulares, de rápida execução.

O deputado federal Fábio Faria, que também participou da audiência com o ministro, afirmou que “nesse encontro, fica evidente o forte envolvimento de todos os poderes com as bancadas federal e estadual no enfrentamento a essa crise vivida pelo Rio Grande no Norte. Juntos, vamos buscar mais apoio do governo federal para avançarmos nas ações efetivas a curto, médio e longo prazo”.

Participaram também os senadores Agripino Maia e Fátima Bezerra, os deputados federais Felipe Maia e Rogério Marinho, e o deputado estadual Galeno Torquato.

Nota do Blog: já pensou se metade desse valor tivesse sido investido em educação em tempo integral há dez anos?

Compartilhe: