Investigação contra Robinson começará em comissão presidida pelo “deputado da tornozeleira”

Deputado da tornozeleira

O processo de admissibilidade da investigação por crime de responsabilidade do governador Robinson Faria (PSD) começará pela Comissão de Constituição e Justiça cujo presidente é Disson Lisboa (PSD), conhecido também como “deputado da tornozeleira eletrônica”.

Aliado de longa data do chefe executivo estadual ele também é líder do governo no plenário. Caberá a ele conduzir as votações, indicar o relator e estabelecer o calendário de votação.

Os outros membros da CCJ são:

LARISSA ROSADO (PSDB) – Vice-presidente

MÁRCIA MAIA (PSDB)

ALBERT DICKSON (PROS)

NÉLTER QUEIROZ (MDB)

GEORGE SOARES (PR)

JOSÉ ADÉCIO (DEM)

Compartilhe:

Deputado da tornozeleira eletrônica preside comissão mais importante e expõe circo de horrores na Assembleia Legislativa

torno

O deputado estadual Disson Lisboa (PSD) é um constrangimento ambulante que perambula pelos corredores da Assembleia Legislativa.

Condenado por mau uso do dinheiro público nos tempos em que foi prefeito de Goianinha, Disson que chegou a ficar preso, exerce o mandato graças a uma tornozeleira eletrônica que serve para monitorar seus passos.

A presença dele na chamada “casa do povo” por si só já é um constrangimento à moralidade pública. A situação piora com ele ocupando a função de líder do governo na casa.

A Assembleia converte o que deveria ser um parlamento em um circo de horrores. Com tornozeleira eletrônica e tudo, o deputado Disson Lisboa vai comandar a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), a mais importante em qualquer casa legislativa.

É na CCJ que se verifica se os projetos estão em conformidade com a Constituição Federal. É onde se coloca o “carimbo” da legalidade das propostas.

Para o constrangimento ser maior só falta Disson ser reeleito e presidir a cada em 2019.

Compartilhe: