Confira os nomes mais lembrados para deputado estadual na pesquisa Band/Opine

O deputado estadual Getúlio Rego (DEM) foi o mais citado na corrida a Assembleia Legislativa na pesquisa Band/Opine.

Além dele também estão entre os mais lembrados Dr. Bernardo (Avante), Tomba Farias (PSDB) e “Souza” (PHS).

Por ser uma pesquisa muito aberta a pesquisa proporcional é bem mais imprecisa do que as realizadas para cargos majoritários.

A pesquisa Opine/Band foi realizada entre os dias  30 de setembro e 3 de outubro ouvindo 1.200 eleitores em  58 municípios em 10 pólos regionais do Rio Grande do Norte. A margem de erro é de 2,9 pontos percentuais para mais ou para menos com intervalo de confiança de 95%. A sondagem foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral, sob os protocolos BR-05479/2018 e RN-02315/2018.

Getúlio Rego – DEM: 2,9%

Dr. Bernardo – Avante: 2,4%

Tomba Farias – PSDB: 1,6%

Souza – PHS: 1,5%

Ivan Júnior – PSD: 1,3%

Goreti Silveira – MDB: 1,2%

Vivaldo Costa – PSD: 1,2%

Bispo Francisco – PRB: 1,1%

Terezinha Maia – PR: 1,1%

Nelter Queiroz – MDB: 1%

George Soares – PR: 0,9%

Márcia Maia – PSDB: 0,9%

José Dias – PSDB: 0,8%

Raimundo Fernandes – PSDB: 0,8%

Carlos Augusto Maia – PC do B: 0,8%

Ezequiel – PSDB: 0,8%

Francisco do PT – PT: 0,8%

Albert Dickson – PROS: 0,7%

Cristiane Dantas – PPL: 0,7%

Larissa Rosado – PSDB: 0,7%

Galeno – PSD: 0,5%

Kelps – Solidariedade: 0,5%

Kleber Rodrigues – Avante: 0,5%

Prof Luiz Carlos – PSOL: 0,5%

Ubaldo Fernandes – PTC: 0,5%

Elaine Neves – PRP: 0,4%

Gustavo Carvalho – PSDB: 0,4%

Gutemberg – PC do B: 0,4%

Hermano Morais – MDB: 0,4%

Jacó Jácome – PSD: 0,4%

Milklei Leite – PSOL: 0,4%

Nina Souza – PDT: 0,4%

Sandro Pimentel – PSOL: 0,4%

Outras 86 citações abaixo de 0,34%: 11,8%

Indeciso/NS: 39,5%

Nenhum: 19,9%

Compartilhe:

Conforme a pesquisa Consult quem seriam os deputados federais eleitos no RN? O blog mostra a lista

Com a ajuda de um especialista em coligações proporcionais o Blog do Barreto, seguindo as regras da Lei Eleitoral, mostra quem seriam os deputados federais eleitos pelas coligações proporcionais.

Primeiro vamos mostrar os oito federais que seriam eleitos conforme as intenções de votos válidas (excluindo brancos, nulos, nenhum e não sabe) para federal.

Foi levada em consideração o universo de votos válidos nas eleições de 2014 bem como a projeção de votos de legenda com base no pleito anterior.

É preciso considerar também que as pesquisas proporcionais possuem margem de erro superior as pesquisas majoritárias.

O levantamento vale para dar uma noção de como seria o quadro com base na pesquisa Consult divulgada pelo Blog do BG.

O Instituto Consult ouviu 1.700 pessoas (120 em Mossoró) entre os dias 26 e 29 de setembro. A margem de erro é 2,3 pontos percentuais para mais ou para menos e o intervalo de confiança de 95%. Os números estão registrados no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob os protocolos RN-06487/2018 e BR-05180/2018.

Confira a lista:

Confira as projeções do Blog AQUI

Compartilhe:

Pesquisa Consult para deputado federal: Benes lidera no RN. Mineiro em Mossoró

A pesquisa do Insituto Consult averiguou o desempenho dos candidatos na disputa proporcional. O quadro apontou que o ex-prefeito de Lajes Benes Leocádio (PTC) lidera as intenções de voto no Rio Grande do Norte.

Já o deputado estadual Fernando Mineiro (PT) foi o mais citado em Mossoró.

O Instituto Consult ouviu 1.700 pessoas (120 em Mossoró) entre os dias 26 e 29 de setembro. A margem de erro é 2,3 pontos percentuais para mais ou para menos e o intervalo de confiança de 95%. Os números estão registrados no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sob os protocolos RN-06487/2018 e BR-05180/2018.

Nota do Blog: pesquisas para eleições proporcionais são abertas e por isso com maior possibilidade de erros.

 

Mais citados no RN

Benes Leocádio (PTC): 3,12%

José Agripino (DEM): 2,71%

Fernando Mineiro (PT): 2,47%

Walter Alves (MDB): 2,41%

João Maia (PR): 2,24%

Fábio Faria (PSD): 1,71%

Beto Rosado (PP): 1,59%

Rafael Motta (PSB): 1,53%

Natália Bonavides (PT): 1,18

Carla Dickson (PROS) e Rogério Marinho (PSDB): 1%

 

Mais citados em Mossoró (com mais de 1%)

Fernando Mineiro: 7,5%

Beto Rosado (PP): 6,7%

Alex do Frango (PMB: 5,8%

José Agripino: 2,5%

Rafael Motta e Coronel Gomes (PSC): 1,7%

Compartilhe:

Projeção para deputado estadual: eleitor entregará Assembleia sem maioria para próximo governador (a)

Resultado de imagem para assembleia legislativa rn plenário vazio

Em uma semana o eleitor potiguar estará indo as urnas para escolher seus representantes. Três nomes são competitivos para o Governo do Rio Grande do Norte: Robinson Faria (PSD), Fátima Bezerra (PT) e Carlos Eduardo Alves (PDT). Se a petista não vencer no primeiro turno provavelmente enfrentará o ex-prefeito de Natal em uma nova etapa eleitoral.

Seja quem for o eleito não receberá maioria na Assembleia Legislativa. O Blog do Barreto faz as projeções de desempenho das coligações com base em consultas com membros das coligações e estudiosos da política local.

São 24 vagas em disputa.

A coligação Trabalho e Superação liderada pelo governador Robinson Faria deverá eleger entre 11 e 12 deputados estaduais. O grupo do governador se dividiu em dois grupos: um com candidatos dos partidos PROS, PR, PSDB, PSB e PSD e outro com Avante e PRB. Ainda tem uma terceira com nome de Avança RN que reúne PMB, PRP, PTC e PPS.

Já a coligação de Carlos Eduardo Alves, 100% RN, caminha para eleger entre 4 e 5 parlamentares.

O grupo de Fátima Bezerra, coligação do Lado Certo, deve eleger três deputados, com chances de fazer uma quarta cadeira.

A coligação Renova RN, de Breno Queiroga (SD), se dividiu em dois grupos: um com Solidariedade e PV e outro com Patriotas, PPL, PSL e Democracia Cristã. Há chances de eleger três parlamentares na Assembleia.

Em voo solo, mas organizado como nunca no Rio Grande do Norte, o PSOL tem pela primeira vez a chance de eleger um deputado no Rio Grande do Norte.

Em instantes a lista com os candidatos com maiores chances nessas coligações.

Compartilhe:

Projeção para Câmara Federal: 13 nomes disputam oito vagas no RN

O Blog do Barreto arrisca-se a fazer projeção para a Câmara Federal nas eleições deste ano. São 13 nomes disputando oito vagas.

Sobre a divisão para as coligações o cenário é muito claro: a coligação liderada pelo governador Robinson deverá fazer quatro ou cinco cadeiras. A coligação liderada pelo ex-prefeito Carlos Eduardo (PDT) deverá fazer dois ou três nomes. A coligação da senadora Fátima Bezerra (PT) fará um deputado federal.

Quem tem chances em cada coligação?

Coligação de Robinson Faria (Trabalho e Superação I)

Projeção: quatro ou cinco vagas

Favoritos

Fábio Faria (PSD)

Rafael Motta (PSB)

João Maia (PR)

Karla Dickson (PROS)

Karla Veruska (AVANTE)

Rogério Marinho (PSDB)

Benes Leocádio (PTC)

Abraão Lincoln (PRB)

Coligação de Carlos Eduardo (100% RN I)

Projeção: dois ou três vagas

Favoritos

José Agripino (DEM)

Walter Alves (MDB)

Beto Rosado (PP)

Coligação de Fátima Bezerra (Do Lado Certo)

Projeção: elege um candidato

Favoritos

Fernando Mineiro (PT)

Natália Bonavides (PT)

Corre por fora: a Coligação Renova RN I ligada ao candidato Brenno Queiroga (SD) tem chances de fazer um federal, mas depende de uma improvável combinação de resultados para ter uma sobra sem necessariamente atingir o quociente eleitoral conforme as novas regras. Nesta chapa os nomes mais fortes são: Bertonne Marinho (PV) e  Lawrence Amorim (SD).

Compartilhe:

Mossoró poderá ter mais de 20 candidatos a deputado estadual e federal. Confira os nomes

A vereadora Sandra Rosado (PSDB) ainda não oficializou a desistência da candidatura a deputado federal. Mas a saída dela da disputa não deixará Mossoró necessariamente sem opções para o pleito.

O Blog do Barreto fez um levantamento e identificou que existem 24 nomes com origem e base política em Mossoró se colocando como opção no pleito proporcional. São 10 (contando ainda com Sandra) candidatos a deputado federal e 14 candidatos a deputado estadual.

O quadro apresenta um elevando número de nomes novos e nunca avaliados pelo eleitorado mossoroense. Outro dado com ares de novidade é a ausência da polarização entre as duas principais alas da família Rosado que fazia as eleições para escolha de deputados uma disputa com ares de majoritária como se a capital do Oeste fosse um distrito. Desta vez o quantitativo de nomes apresenta pulverização.

Da Câmara Municipal temos, além de Sandra, mais quatro vereadores estão colocando o nome à disposição dos eleitores. Alex do Frango (PMB) já teve o nome aprovado pelo partido em convenção. Tenta vaga de deputado federal.

Para deputado estadual são candidatos: Flávio Tácito (PPL), Isolda Dantas (PT) e Genilson Alves (PMN).

Tentam a reeleição o deputado federal Beto Rosado (PP) e a deputada estadual Larissa Rosado (PSDB).

Há também nomes que voltam a política como Renato Farnandes (PSC) que está sem disputar eleições há dez anos. Ele é candidato a deputado federal.

Mas existem nomes nunca testados nas urnas do meio militar, sindical, da educação, empresários e profissionais liberais.

Confira a lista de candidatos:

Deputado federal

Candidato Ocupação
Renato Fernandes (PSC) Empresário
Sandra Rosado (PSDB) Vereadora
Beto Rosado (PP) Deputado federal
Alex do Frango (PMB) Vereador
Giordano Barreto (Novo) Engenheiro
Marcos da Prest (PROS) Empresário
Luzia Bessa (PC do B) Enfermeira
Audiclésio Maia (PSOL) Enfermeiro
Lawrence Amorim (SD) Empresário
Cel. Gomes (PSC) Policial Militar

 

Deputado estadual

 

 

Deputado estadual

 

Candidato Ocupação
Larissa Rosado (PSDB) Deputada estadual
Genilson Alves (PMN) Vereador
Fred Escóssia (PMB) Assessor Institucional e Ambiental
Isolda Dantas (PT) Vereador
Gutemberg Dias (PC do B) Professor/Empresário
Professor Zacarias (PSOL) Empresário
Cinquentinha (DC) Servidor Público
Allison Bezerra (SD) Servidor Público
Professor Barreto (DC) Professor
Professor Hideraldo (PC do B) Professor
Micael Melo (Avante) Advogado
Daniel Sampaio (PSL) Médico
Flávio Tácito (PPL) Vereador
Jorge do Rosário (PR) Empresário
Compartilhe:

Chapa proporcional vira “nó” para principais candidatos ao Governo

WhatsApp Image 2018-06-24 at 13.47.31

Os pré-candidatos ao Governo do Estado e ao Senado Federal estão também preocupados com as chapas proporcionais que serão decisivas para atraírem as melhores alianças majoritárias. O famoso quociente eleitoral é o fator decisivo para cada deputado, seja estadual ou federal. Uma coligação ou partido terá que ter cerca de 70 mil votos para eleger a primeira vaga na Assembleia Legislativa. Já para a deputado federal o cálculo é estimado em 200 mil votos para cada uma das oito vagas em questão.

Lembrando que esse ano tem um fator novo. As sobras eleitorais beneficiarão partidos que não atingiram o quociente eleitoral. A medida, neste caso, beneficia pequenos partidos.

Somando a votação de todos os candidatos por coligação, aí gera quanto cada aliança fará para a Assembleia Legislativa e a Câmara dos Deputados. A Justiça Eleitoral não considera eleito para deputado, quem tem mais votos, mas sim a soma dos votos de todos os candidatos por coligação. Em 2014, por exemplo, Vivaldo Costa, Larissa Rosado, Adan Eridan, Major Fernandes, Bispo Francisco de Assis, Amazan e Leonardo Nogueira tiveram mais votos que os deputados Souza Neto (PHS) e Carlos Augusto Maia (PCdoB), que conseguiram pouco mais de 20 mil votos em alianças menores.

A “chapa fechada” Carlos Eduardo (Governo), Garibaldi Filho e José Agripino (Senado) estão enfrentando problemas na questão das nominatas do PDT, MDB e DEM. É que baseados em pesquisas e comparando o resultado de 2014, só tem medalhões para concorrer a Assembleia Legislativa: Hermano Morais, Adjuto Dias e Nelter Queiroz pelo MDB, além do deputado Getúlio Rego no DEM, que almejam mais de 50 mil votos. Álvaro Dias foi o menos votado do MDB com 34 mil votos, mas quando assumiu a Prefeitura do Natal em abril decidiu lançar o filho, Adjuto Dias, que tem perspectiva, graças a máquina pública municipal, para sair somente da capital com 20 mil votos, segundo analistas eleitorais. O PDT de Carlos Eduardo só tem a vereadora Nina Souza como postulante a Assembleia Legislativa.

O PSB do vice-governador Fábio Dantas só tem o deputado Ricardo Motta e analisa lançar a ex-prefeita de Mossoró, Fafá Rosado. Alguns nomes menores foram incentivados como o jovem empresário Artur Maynard, de Caicó e o vereador Franklin Capistrano em Natal, mas juntos não conseguem 20 mil votos em todo Estado. Existe a possibilidade de lançar Fábio Dantas a estadual e tentar emplacar a deputada Cristiane Dantas do PPL como vice-governadora na chapa de Fátima Bezerra, do PT. Falta só convencer o PT aceitar uma aliança do PSB de Ricardo Motta, com o PHS de Souza Neto e o PCdoB de Carlos Augusto Maia.

O PT da senadora Fátima Bezerra tem nominata própria, mas não aceita aliança com o PHS do deputado Souza Neto e talvez faça com o PCdoB do deputado Carlos Augusto Maia. Os nomes do ex-prefeito de Parelhas, Francisco Medeiros, da vereadora Isolda Dantas (Mossoró), do vereador de São Gonçalo, Eraldo Paiva, da jovem Mada Maia, filha da deputada federal Zenaide Maia, além do vereador de São Paulo do Potengi, João Cabral, entre outros estão sendo mobilizados em cada região do Estado.

Já o PSD do governador Robinson Faria, tem uma chapa reforçada na proporcional. Os deputados Galeno Torquato, que atua no Alto Oeste, Vivaldo Costa no Seridó, Dison Lisboa no Agreste Potiguar e  Jacó Jácome em Natal e no segmento evangélico são postulantes à reeleição. Ederlinda Dias que parte com o apoio do prefeito de Macaíba, Fernando Cunha, e os ex-prefeitos Ivan Júnior (Assu) e Wellinson Ribeiro (Canguaretama), além de Raimundo Costa, ex-secretário estadual de Assuntos Fundiários e Reforma Agrária, também serão postulantes.

O PSB de Fábio Dantas, o PDT de Carlos Eduardo e o PSD de Robinson Faria devem ter a melhor chapa proporcional para desembarcar o PSDB que tem nove deputados, o PR de João Maia e o PP de Rosalba Ciarlini, que prioriza a reeleição do deputado federal Beto Rosado e a candidatura do publicitário Kadu Ciarlini a estadual.

Compartilhe: