Voto útil do anti-rosalbista embala reta final da campanha de Tião

img_5910

Para os rosalbistas, a ex-governadora Rosalba Ciarlini (PP) é um ser mítico, infalível, quase uma divindidade. Inatacável, incapaz de realizar algo que seja contra o povo. A passagem negativa dela pelo governo é fruto de uma trama dos natalenses que odeiam Mossoró por inveja por não ter alguém tão perfeita para liderar os rumos da sociedade.

É uma visão fanática que provoca antipatia dos que possuem o mínimo de bom senso. A encheção de saco nas redes sociais de quem adota esse discurso provoca um efeito contrário. Cria o anti-rosalbismo que se reforça ainda mais quando temas como o Hospital da Mulher, as maquetes do Teatro Lauro Monte e Estádio Nogueirão e tantos outros assuntos vêm à tona.

O anti-rosalbismo com suas peculiaridades se assemelha ao anti-petismo. Alguns petistas, pelo discurso igualmente fanático, geram mais antipatia que simpatia por parte das pessoas de bom senso.

É nesse embalo que o candidato Tião Couto (PSDB) pode reforçar a votação dele. Muita gente propensa a tomar outros rumos nas urnas pode rever a decisão nas próximas 48 horas e votar no tucano com  o objetivo de derrotar a “Rosa de Mossoró”. Guardada as devidas proporções foi isso que aconteceu com Henrique Alves (PMDB) nas eleições para o Governo do Estado em 2014. Foi um sentimento “anti”que também levou as ruas milhões de pessoas para derrubar Dilma Rousseff.

Compartilhe: