Fafá e o tempo que passou

A última gestão à frente da Prefeitura de Mossoró que pode se orgulhar de ao menos ser razoável foi a de Fafá Rosado. Mas ela não formou grupo, não deixou legado no imaginário popular e foi punida com o esquecimento.

Tem gente que deixa a política. Tem gente que a política deixa. Fafá Rosado foi deixada pela política e a cada eleição dá mostras de que não percebe isso.

Em 2014 recebeu uma fraca votação para deputado federal, em 2016 não conseguiu se viabilizar como vice de Rosalba Ciarlini e agora teve candidatura aprovada para deputado estadual, mas sequer colocará o bloco na rua.

Em 2018, seis anos após o último mandato de prefeita, Fafá será apenas uma apoiadora nas eleições deste ano. Segundo o jornalista Carlos Santos ela retirou o nome do pleito para apoiar Jorge do Rosário.

A política abandonou Fafá.

Compartilhe:

Robinson é rejeitado pela classe política em Mossoró

Robinson apostou tudo em  Rosalba
Robinson apostou tudo em Rosalba

O governador Robinson Faria (PSD) segue com uma situação difícil em Mossoró. A começar com a relação com a elite política da cidade. Ele não consegue juntar em torno de si nem mesmo as forças mais enfraquecidas (e quase esquecidas) da cidade.

O governador deu de ombros ao ocaso do então prefeito Francisco José Junior na aventura da reeleição em 2016. Apostou todas as fichas numa parceria improvável com a hoje prefeita Rosalba Ciarlini (PP).

Não recebeu a atenção esperada. Pelo contrário, levou até uma “chamada” dela em um evento público no Santo Antônio durante lançamento do Ronda Cidadã (ver vídeo abaixo) em março do ano passado.

O passo seguinte foi uma tentativa de aproximação com o enfraquecido grupo da vereadora Sandra Rosado (PSDB). As tratativas não avançaram mesmo com o histórico de amizade pessoal com a deputada estadual Larissa Rosado (PSDB).

A última trincheira que Robinson tentou montar em Mossoró foi com a ex-prefeita Fafá Rosado, um nome pouco comentado nas rodas políticas da cidade e que está no ostracismo desde 2014 quando tentou sem sucesso se eleger deputada federal. Fafá escolheu o esvaziado PSB que está politicamente alinhado com o PSDB do arqui-inimigo sandrismo.

Hoje o principal apoio de Robinson em Mossoró é o vereador João Gentil que está deixando o PV.

O governador terá muitas dificuldades para andar em Mossoró se realmente quer ser reeleito. Em 2014 ele se aproveitou da popularidade estratosférica de Francisco José Junior e do apoio velado de Rosalba para ter uma vitória fundamental no segundo maior colégio eleitoral do Rio Grande do Norte. Foram 52.886 (57,82%) votos no primeiro turno.

Agora tudo pesa contra.

Compartilhe:

Fafá Rosado pode ir para PSD em tentativa de retorno à política

DSC_0038
A última experiência de Fafá e Robinson juntos foi na eleição suplementar de 2014 dando apoio a Francisco José Junior

O governador Robinson Faria (PSD) tem em Mossoró um de seus principais “nós políticos” a serem desatados. Tentou uma aproximação sem sucesso com o grupo de Sandra Rosado.

Rejeitado pelo rosalbismo que ainda mantém alguns cargos na gestão, Robinson sabe que os atuais apoiadores em Mossoró não juntam dez mil votos para ele.

Sonhando com a reeleição ele tenta em alguém praticamente aposentada da política, a ex-prefeita Fafá Rosado, criar uma base em Mossoró.

Excluída do processo eleitoral de 2016 onde não conseguiu ser encaixada em nenhuma chapa, Fafá busca alguma estrutura que impulsione para 2018.

A proposta de Robinson é entregar a ela o PSD em Mossoró e lhe dar condições de tentar uma cadeira de deputado estadual, cargo ocupado duas vezes pelo marido dela, Leonardo Nogueira.

A última campanha que Fafá e Robinson dividiram o mesmo palanque foi na eleição suplementar de 2014 quando ambos estiveram no palanque vitorioso de Francisco José Junior, eleito prefeito de Mossoró. A aliança não durou muito tempo.

Nota do Blog: a jornalista Carol Ribeiro também informou que o grupo de Fafá Rosado estaria de malas prontas para o PSB, que está perdendo o grupo de Sandra. Ver AQUI.

Compartilhe:

Fafá Rosado pode ir para o PSDB

Fafá

Sem clima no PMDB mossoroense a ex-prefeita Fafá Rosado deve tomar um novo rumo partidário em 2017. O destino mais provável é o PSDB. O interesse foi manifestado pelo presidente do diretório municipal do partido Tião Couto.

No final de semana ela esteve na casa do tucano em Tibau para uma visita de cortesia. Também estava na casa o ex-deputado federal João Maia (PR) e o empresário Marcelo Alecrim, nome cotado para disputar o Governo ou Senado em 2018.

Segundo Tião, o convite será oficialmente formulado. “Convidar eu vou, mais a decisão vai ser deles. Eu como presidente gostaria muito. Precisamos de quadros bons”, explicou o líder tucano.

Compartilhe:

Militância rosalbista cutuca Cláudia com vara curta

 

Rosalba-e-Cláudia-na-caminhada-do-abraço

Desde que decidiu caminhar ao lado de Tião Couto (PSDB), a ex-prefeita Cláudia Regina (DEM) passou a ser satanizada pela militância rosalbista.

Rosnam nas redes sociais numa cantilena passional e leviana que Cláudia não seria nada sem Rosalba. Ingenuidade misturada com desinformação. Cláudia sempre foi uma imposição do senador José Agripino (DEM) dentro das gestões da ex-governadora. Só foi a candidata do grupo em 2012 pela mais absoluta falta de opção. Em 2008, ela foi ejetada da vaga de vice para dar lugar a Ruth Ciarlini. Só foi candidata a vereadora porque, articulada, montou um plano B.

Mas o que importa nessa história é que Cláudia Regina tem muito a dizer a Mossoró. Por enquanto ele segue em silêncio, mas já avisou em conversas reservadas que se abrir a boca faz estrago.

Cuidado, militância rosalbista. Vocês estão cutucando Cláudia com vara curta.

Compartilhe:

Fafá acusa Rosalba de não falar a verdade sobre corredor cultural

Fafa_tiao

No primeiro programa eleitoral da ex-governadora Rosalba Ciarlini (PP) ela fez um breve relato ufanista das gestões dela destacando a obra do corredor cultura da Avenida Rio Branco. A forma como o texto foi construído e a omissão de alguns nomes provocou controvérsia entre a candidata a prefeita e a sucessora dela há 12 anos, Fafá Rosado (PMDB).

O texto lido por um locutor afirma que Rosalba vai falar de um lugar especial, a Avenida Rio Branco, que ela “sonhou, planejou e realizou a ideia de transformar esse lugar (referindo-se a Avenida Rio Branco) num grande corredor cultural”.

No trecho seguinte ela afirma que tirou a obra do papel, mas mais a frente explica que deixou projetos e recursos para a continuidade do projeto. Quem de fato executou a obra não é citado. “Falar da Avenida Rio Branco para mim é um grande orgulho. Pensei, sonhei, planejei, tiramos do papel. Fiz tudo que era possível. Mas ao término do meu mandato eu deixei projetos prontos e recursos para que fosse dada a continuidade. É um projeto que beneficia toda essa região”, frisou.

A fala que não cita as gestões que financiaram e executaram a obra despertou a ira da ex-prefeita Fafá Rosado (PMDB) que em discurso em evento da candidatura de Tião Couto (PSDB) lembrou o que aconteceu entre os anos de 2005 e 2006. Pegando na mão de Cláudia Regina, que na época era vice-prefeita, a peemedebista disse que foram elas duas quem realizaram as obras na Avenida Rio Branco. “Para ser honesta eu vou dizer que a governadora na época era Wilma de Faria e ela era contrária a nossa gestão e quem ajudou foi a governadora Wilma de Faria. Eu sou honesta, quem ajuda eu digo. Quem não ajuda eu não vou criticar não, mas também não vou dizer que fez não”, disparou.

No trecho seguinte do discurso, Fafá afirma, sem citar Rosalba, que quem falar em obra da Rio Branco sem citar ela, Cláudia e Wilma de Faria não diz a verdade.  “Se vocês, porventura, ouvirem alguém dizer que foi quem construiu a Avenida Rio Branco, o Corredor Cultural, os equipamentos culturais que tem… se disser que não foi Fafá e Cláudia com a ajuda da governadora Wilma de Faria não está falando com a verdade”, declarou.

Pesquisando sobre o assunto encontrei uma matéria de O Mossoroense de 14 de outubro de 2005. O texto (você pode ler AQUI) informa que o Governo do Estado (leia-se Wilma) pediu a Prefeitura de Mossoró (leia-se Fafá) abrisse uma conta para receber os recursos da Avenida Rio Branco.

NOTA DO BLOG: o Blog do Barreto coloca os pingos nos “i”s nessa história. As obras da gestão de Rosalba no Corredor Cultural foram a Estação das Artes e o Teatro Municipal Dix-huit Rosado (em parceria com a Petrobras). O restante da obra foi idealizado por ela. O pomo da discórdia está na forma como o texto foi colocado no horário eleitoral omitindo Wilma e Fafá. O material foi construído de forma a dar a entender aos mais desavisados (e de memória curta) que ela é a única responsável por toda obra.

O fato é que Rosalba iniciou a obra e Fafá tocou para frente com a ajuda de Wilma de Faria.

Foi nas gestões de Fafá que foram feitas as quadras esportivas, memorial da resistência, praça de convivência e Memorial da Resistência.

Compartilhe: