Cotado para Cultura, Genivan nega existência de convite para pasta

genivan-vale-2

O Blog do Barreto foi informado que o ex-vereador Genivan Vale (PDT) seria o nome para assumir a Secretaria Municipal de Cultura, pasta que deve ser desmembrada da Secretaria Municipal de Educação em uma reforma administrativa a ser analisada na Câmara Municipal.

Em contato com o parlamentar a informação foi a de que o convite não existe. “Você sabe que não sou de mentir. Muita gente me perguntando se estou escondendo o jogo, mas não é isso. O convite não existiu, desconheço”, frisou.

Mesmo não tendo perfil para a pasta, Genivan Vale (PDT) disse que não fugiria do desafio. “Na vida pública a gente tem que estar sempre disposto a servir”, frisou.

No entanto, o ex-vereador ressaltou que segue com a mesma opinião dos tempos de Câmara Municipal: entre o Mossoró Cidade Junina e os recursos para a saúde ele fica com a segunda opção. “Não mudei nem vou vou mudar de opinião”, avisou.

Nota do Blog: já passou da hora da prefeita Rosalba Ciarlini ao menos nomear o titular da atual Secretaria Executiva de Cultura.

Compartilhe:

PDT está esquecido por Rosalba

A prefeita eleita Rosalba Ciarlini (PP) não acomodou ninguém do PDT no secretariado. Restam poucos cargos do segundo escalão (secretarias executivas). Também não foi feito qualquer remanejamento de vereadores para o secretariado para acomodar Genivan Vale e Tomaz Neto na Câmara Municipal.

Os dois arriscaram os mandatos para aliar-se a Rosalba no pleito de outubro. Até agora chupam dedo.

Compartilhe:

Enquetes consagram Genivan como melhor vereador e expõem rejeição a Jório

genivan-vale-foto-walmir-alves jorio-nogueira

Somente foram realizadas três enquetes ouvindo o povo de Mossoró para avaliar os piores e os melhores vereadores. A primeira foi realizada na RPC pelo radialista Jota Nobre que apontou Genivan Vale (PDT) como o melhor vereador de Mossoró com 47 votos a favor.

O programa Meio-Dia Mossoró  da 95 FM consagrou Izabel Montenegro (PMDB) a melhor vereadora com 44 indicações e Jório Nogueira (PSD) o pior com 34 votos.

Como muitos ouvintes queriam votar pela internet, o Blog do Barreto, através do perfil do editor no Facebook, consultou os leitores. O resultado em três horas de votação apontou Genivan Vale (PDT) como o melhor vereador com 71 indicações e Jório o pior com 67 votos.

Eleição da Câmara

Na eleição organizada pela Câmara Municipal cujos eleitores são escolhidos mediante um sorteio apontou Jório Nogueira (PSD) como o vereador do ano com 4 sufrágios. No entanto, o presidente da Câmara anunciou que abdica da conquista.

Nota do Blog: entendo que a eleição de vereador do ano na Câmara Municipal deve envolver todos os jornalistas que cobrem os trabalhos da casa nos moldes do que acontece na Assembleia Legislativa com um diferencial de incluir representantes das entidades. Eu que cubro a casa há dez anos só pude votar uma única vez.  Há colegas que são mais assíduos que os vereadores e nunca puderam votar por conta desse sistema de sorteio excludente.

Compartilhe:

Genivan apresenta projeto para conter superpopulação de animais

genivan-vale-foto-walmir-alves

O vereador Genivan Vale (PDT) protocolou na Secretaria Legislativa da Câmara Municipal de Mossoró (CMM) um projeto de lei que prevê ações de controle à superpopulação de animais de rua. O projeto foi elaborado juntamente com entidades de proteção animal, órgãos e instituições envolvidas com o tema.

De acordo com a matéria, o poder Executivo incentivará a viabilização e o desenvolvimento de programas que visem o controle reprodutivo de cães e/ou gatos, bem como a promoção de medidas protetivas por meio de identificação, registro, esterilização cirúrgica, adoção e de campanhas educacionais para a conscientização pública da relevância de tais atividades.

“O objetivo é reduzir a superpopulação de animais de rua e, consequentemente, reduzir os índices de abandono e maus-tratos aos animais”, diz Genivan Vale. Ele ressalta que o projeto de lei também refletirá em melhorias na saúde pública de um modo geral. “O crescimento da população de animais de rua aumenta o risco de surgimento exponencial de doenças entre estes animais, que não recebem vacinas ou cuidados. Essa situação pode se estender aos humanos, que podem ser contaminados com a transmissão da raiva ou calazar, por exemplo”, ilustra.

Genivan Vale informa que após o projeto ser lido em plenário e passado o prazo regimental, entrará com um requerimento pedindo urgência-urgentíssima, a fim de acelerar a tramitação e a votação da matéria. “Com isso, esperamos aprovar este projeto ainda nesta Legislatura, para que as medidas de controle à superpopulação possam começar a ser postas em prática logo no início do próximo ano”, declara o edil.

EMENDAS

No intuito de viabilizar a execução deste projeto, o vereador Genivan Vale apresentou duas emendas à Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) . As emendas preveem a destinação de recursos para a implantação do sistema de castração de animais de pequeno porte (cães e gatos) e a aquisição de microchips para a identificação destes animais.

“Com a inclusão das rubricas na LDO, poderemos apresentar emendas ao orçamento municipal de 2017 para assegurar recursos que viabilizem a execução do nosso projeto”, revela o vereador. Genivan Vale ainda se comprometeu em agendar uma reunião com a prefeita eleita Rosalba Ciarlini (PP) e representantes de entidades protetoras dos animais para esclarecer a importância do projeto e pedir que as emendas incorporadas ao orçamento possam ser executadas.

Foto: Walmir Alves

Compartilhe:

Genivan sugere devolução de recursos da Câmara para Prefeitura quitar dívida com oncologia

sessao-ordinaria-11-10-2016-foto-walmir-alves

Pacientes e funcionários do Centro de Oncologia e Hematologia de Mossoró (COHM) e do Hospital da Solidariedade estiveram na manhã desta terça-feira, 11, na Câmara Municipal de Mossoró (CMM) em protesto contra a paralisação dos serviços nas unidades hospitalares. Eles pedem, com máxima urgência, o apoio dos vereadores para que as atividades nos respectivos hospitais retornem e não prejudique os pacientes que necessitam dos serviços.

Diante da problemática, o vereador Genivan Vale (PDT) propôs ao presidente da Câmara, vereador Jório Nogueira (PSD), que devolvesse à Prefeitura de Mossoró os recursos que seriam destinados à verba de gabinete para os próximos três meses, para que parte do débito com as unidades seja quitada.

“A verba de gabinete está suspensa desde maio, e estes recursos que não estão indo para os vereadores, também não são devolvidos para o Município, ou seja, eles ficam na Câmara à disposição da presidência. Então, sugerimos que a Câmara de Mossoró devolva para o município o valor da verba de gabinete dos próximos três meses para quitar parte do débito com o Centro de Oncologia. É um valor em torno de R$ 500 mil, que dá para amenizar o problema. Esta é uma medida que pode ser feita de imediato, basta o presidente da Câmara querer e a maioria da Casa aprovar”, declara Genivan Vale.

Ele lembra que a proposta de devolução dos recursos da verba de gabinete para o Município investi-los na área da saúde já foi apresentada em outras oportunidades no Plenário da Câmara Municipal de Mossoró. “Desde que a verba de gabinete foi suspensa, já foram quase R$ 1,5 milhão de recursos que fica em caixa na Câmara Municipal. Onde está esse dinheiro? Por que não devolvê-lo para melhorar as ações da saúde?”, questiona.

Compartilhe:

Eventual afastamento de prefeito confirmaria “profecia” de Genivan Vale

genivan-vale-foto-walmir-alves-1

“Ainda vou me ver obrigado a defender o prefeito de vocês”. Essa era uma frase recorrente do vereador Genivan Vale (PDT) ao longo da legislatura que se termina em 31 de dezembro. Ele sempre proferia a frase quando a bancada governista dava uma demonstração de subserviência em relação ao executivo.

Ele lembrava em seguida que a bancada que um dia defendeu Cláudia Regina, Fafá Rosado e companhia… defendia o chefe do executivo municipal atual.

Agora com a iminente possibilidade dos outrora aliados do prefeito Francisco José Junior (PSD) cogitando afastar o chefe do executivo municipal como retaliação às frustrações eleitorais, é bem possível que isso aconteça.

Só está faltando Genivan ser contra o afastamento.

Compartilhe:

Genivan volta a cobrar termo de doação dos R$ 15 milhões de obra do Santuário de Santa Luzia

santuario_mossoro

Em ofício endereçado ao gabinete do vereador Genivan Vale (PDT), o Secretário Municipal de Desenvolvimento Econômico, Trabalho, Agricultura e Turismo, Renato Fernandes, respondeu ao requerimento, apresentado pelo parlamentar, solicitando cópia do Termo de Doação de R$ 15 milhões para a construção do Complexo Turístico Santa Luzia. O secretário limitou-se em dizer que a cópia do documento encontra-se na Consultoria Geral do Município.

Foram três ofícios encaminhados ao secretário, desde a solicitação feita através de requerimento aprovado no dia 28 de junho. “A Secretaria Legislativa nos mostrou cópia do recebimento de ofícios encaminhados nos dias 4 de julho, 11 de agosto e o último no dia 26 de agosto. Faz mais de dois meses que solicitamos a cópia do termo de doação dos R$ 15 milhões, e o secretário se recusa a encaminhar, limitando-se a dizer que documento está na Consultoria. Se está na Consultoria, por que não nos encaminha? Qual a dificuldade? Isso é uma afronta à sociedade, é um desrespeito com a Câmara Municipal”, externa o edil.

Conforme anunciado pela própria Prefeitura de Mossoró, os recursos necessários para a construção do complexo turístico foram doados por uma única pessoa, o empresário pernambucano Antônio Pacheco. Desde este anúncio, o vereador Genivan Vale vem tentando obter uma cópia deste termo de doação, mas não teve nenhum dos seus requerimentos efetivamente respondidos.

Chama atenção que a empresa ETRS Estudos Ambientais, que fará o aporte financeiro para edificação do Complexo Turístico Religioso de Santa Luzia, tem capital social de R$ 100 mil, ou seja, menos de 1% do valor que será doado para o santuário. Outro ponto observado pelo vereador é que além desta empresa, o empresário Antônio Pacheco também é sócio de outra empresa. No entanto, juntas as duas possuem capital social de R$ 300 mil, bem aquém do valor a ser doado.

“Como um empresário tem empresas com capital de R$ 300 mil, e tem R$ 15 milhões para doar? É preciso que isso seja melhor explicado. Estamos buscando a transparência deste processo ao solicitar uma cópia do Termo de Doação, no entanto, a Prefeitura de Mossoró fica colocando dificuldades para ceder o documento ”, diz.

Compartilhe: