Detran entra em greve segunda. Veja o que funciona e o que vai parar

Na próxima segunda-feira o Detran inicia uma greve por tempo indeterminado. Segundo a direção do órgão em contato com o Blog do Barreto só um setor para de vez: a vistoria.

Estarão funcionando:

– Administrativo (supervisão)

– Habilitação

– Provão

– Teste prático

– Impressão de CRLV

– Emissão de laudo

– Abertura de processo

– Auditoria de usuário

– Impressão de CRV

A direção do Detran informa que em caso de dúvidas o cidadão deve fazer contato no telefone 3315-5579.

Compartilhe:

Greve no Detran começa segunda-feira

 

Blog Carlos Santos

Servidores do Departamento Estadual de Trânsito (DETRAN/RN) entrarão em greve a partir de segunda-feira (9).

A decisão foi tomada em assembleia hoje (quarta-feira, 4) em Natal.

Paralisação por tempo indeterminado.

Pauta:

– Revogação do decreto que retira autonomia financeira do DETRAN/RN;

– Realização de concurso público;

– Revitalização da estrutura do órgão pelo estado;

– Fim das terceirizações;

– Pagamento das promoções.

Compartilhe:

Presidente do Sindserpum acusa Rosalba de criar “armadilha” para servidores

A guerra está declarada: a presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Mossoró (SINDSERPUM) Marleide Cunha postou no site do Sindserpum um artigo em que classifica como “cavalo de Tróia” o Projeto de Lei Complementar 138/2019 que estabelece reajuste de 3,75% para todas as categorias.

Sem diálogo, nem abertura para um acordo com a representação dos servidores a prefeita Rosalba Ciarlini (PP) quis atrair para si os holofotes e reforçar o discurso de que ela valoriza os servidores. Além de despertar a ira da presidente do Sindserpum. “A gestão Rosalba Ciarlini é a mais perversa da história para os servidores municipais. Ela provoca um empobrecimento da categoria sem precedentes. Desde que assumiu, em janeiro de 2017, a prefeita deixou a inflação corroer os salários dos servidores, sem dó e piedade”, disparou.

A sindicalista argumenta que ao propor 3,75% para todas as categorias a prefeita ignora as perdas salarias de 10,30% acumuladas em 2017 e 2018.

Outra confusão é com relação ao piso nacional da categoria. Segundo os órgãos oficiais a Prefeitura de Mossoró paga acima do previsto. Marleide discorda e aponta defasagem de 0,42% em relação ao estabelecido em nível nacional: “Em 2019, o MEC fixou o reajuste em 4,17%, porém Rosalba Ciarlini quer impor 3,75% com o argumento que os professores de Mossoró já recebem o Piso Nacional. Será que a prefeita Rosalba Ciarlini não sabe que o Piso Nacional é fixado para o nível médio e que é a Lei do Plano de Carreira, com sua tabela, que define as diferenças salariais? Ou será que a prefeita entende que ser professor é ser condenado a um salário miserável, sempre rastejando no piso, independente de ter especialização, mestrado, doutorado?”, questionou.

Outro ponto de questionamento é a perda de 10h na carga horária dos agentes de saúde e agentes de endemias. “Ao fazer isso, a prefeita Rosalba Ciarlini está provocando um grande retrocesso na remuneração dos ACS/ACE. Ela some com a conquista de 10h a frente do valor do Piso Nacional e promove uma desvalorização sem precedentes na carreira desses servidores públicos”, disparou.

Cavalo de Tróia: expressão usada em referência ao famoso “presente de grego”. Consta na epopeia ilíada escrita pelo escritor grego Homero que durante o confronto entre gregos e troianos. Após vários anos de certo à cidade de Tróia, os gregos decidiram construir um imenso cavalo de madeira que foi deixado em frente ao portão da cidade. Dentro dele o herói grego Ulisses. Achando que os troianos desistiram da guerra e entenderam o objeto como um presente em nome da paz. À noite enquanto os troianos dormiam Ulisses e os guerreiros saíram do cavalo e abriram os portões dominando Tróia. Tudo que aparentemente é bom e na verdade é uma armadilha é associado ao Cavalo de Tróia.

Compartilhe:

Policiais Civis rejeitam proposta do Governo. Paralisação prossegue

Policiais seguem em greve (Foto: Assessoria)

Blog Saulo Vale

Os Policiais Civis e Servidores da Segurança decidiram, no final da manhã desta quinta-feira (27), continuar a Operação Zero. As categorias não aceitaram a proposta apresentada pelo Governo do Estado de deixar os aposentados sem receber o 13° salário.

A Operação Zero foi deflagrada pelos Policiais Civis e Servidores da Sesed nesta quarta-feira (26). Em todo o Estado, as unidades da Polícia Civil foram fechadas. Na Grande Natal, as categorias  se concentram na Central de Flagrantes. No interior, os Agentes e Escrivães estão concentrados nas delegacias regionais.

“Mais uma vez, o governador mostrou desrespeito ao anunciar o pagamento do 13° de 2017 apenas para os servidores da ativa, deixando os aposentados e pensionistas sem receber. Nós não aceitamos por entender que não é justo fazer essa discriminação, assim como não é justo pagar apenas aos policias militares em detrimento aos demais operadores da Segurança Pública”, comenta Nilton Arruda, presidente do Sinpol.

As categorias deliberaram em assembleia pela continuidade da Operação Zero por tempo indeterminado.

 

Compartilhe:

Segurança do RN para por tempo indeterminado

Policiais cruzam os braços

Os Policiais Civis e Servidores da Segurança deflagraram a Operação Zero, para cobrar do Governo do Estado o pagamento do 13º salário de 2017, do 13º de 2018 e o calendário de pagamento do salário de dezembro. O movimento segue por tempo indeterminado.

Durante toda o dia de ontem, os Policiais Civis de Natal e região metropolitana se concentraram na Central de Flagrantes, na Cidade da Esperança. No interior, as unidades foram fechadas e os Agentes e Escrivães se concentraram nas delegacias regionais.

Nilton Arruda, presidente do SINPOL-RN, explica que os policiais civis aderiram em massa ao movimento, haja vista o sentimento de insatisfação com o tratamento dado pelo Governo do Estado à categoria. “O governador gerou uma crise desnecessária ao anunciar que iria pagar o 13º salário de 2017 apenas para os policiais militares. Ele, que passou os últimos anos dizendo ser o governador da segurança, vai encerrar a gestão comprovando que não entende do sistema de Segurança ao priorizar uma categoria em detrimento de outra”, afirma Nilton Arruda.

O SINPOL-RN informa que, até o momento, o Governo não sinalizou em receber o Sindicato para apresentar algum posicionamento oficial sobre o pleito. “Por esse motivo, a Operação Zero vai continuar por tempo indeterminado. Nesta quarta, vamos nos dividir em equipes para passarmos a noite e madrugada nas plantões. Nesta quinta-feira, a categoria volta a se concentrar na Central de Flagrantes”, comenta.

A Diretoria do SINPOL-RN parabeniza a todos os Policiais Civis e Servidores da Sesed que estiveram mobilizados ao longo do dia de ontem.

 

Compartilhe:

Desembargadora proíbe paralisação de policiais e bombeiro no dia 7 de setembro

A desembargadora Zeneide Bezerra, deferindo parcialmente a medida de urgência requerida pelo Governo do Rio Grande do Norte, proibiu qualquer tipo de paralisação no dia 7 de setembro de 2018, que possa prejudicar a rotina regular dos policiais e bombeiros militares estaduais, principalmente, por se tratar de uma data histórica da nação.

Em caso de descumprimento, ela impôs a cada uma das associações dos militares multa de R$ 50 mil, a incidir uma única vez, haja vista que a paralisação das atividades está prevista para acontecer em apenas um dia. Zeneide Bezerra agendou audiência de conciliação para o dia 04 de outubro de 2018, às 9 horas, na sala das Sessões do Tribunal Pleno do TJ.

O Estado do Rio Grande do Norte ajuizou Ação Civil Pública contra Associação dos Oficiais Subtenentes e Sargentos Policiais Militares e Bombeiros do RN; Associação dos Oficiais Militares Estaduais do RN; Associação dos Cabos e Soldados da Polícia Militar do RN; Associação dos Bombeiros Militares do RN; Associação de Praças da Polícia Militar da Região Agreste do RN; Associação de Praças da Polícia Militar de Mossoró e Região; Associação de Praças e Bombeiros Militares do Seridó e Associação dos Praças da Polícia Militar do RN.

O argumento do Estado foi de que as entidades estão organizando paralisação ilegal dos policiais e bombeiros militares potiguares para o próximo dia 7 de setembro.

Com informações da Assessoria do Tribunal de Justiça 

Compartilhe:

Parte dos professores vão fazer greve parcial

Sindserpum

Os professores com carga horária de 30 horas decidiram entrar em greve parcial. A decisão foi tomada em assembleia agora pela manhã. Eles não darão aulas nas sextas-feiras.

A atitude é contra o descumprimento da jornada extra-classe para os pedagogos. “Eles só devem dar 20 horas aulas. Atualmente estão dando 25. Nas sextas-feiras eles vão ficar no planejamento e não em sala de aula”, explicou a presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (SINDSESERPUM) Marleide Cunha.

A assembleia também decidiu fazer parada de dois dias de advertência nos dias 16 e 17 de março para todos os professores em protesto contra reforma da previdência.

Compartilhe:

Professores da UERN podem deflagrar nova greve

Docentes da UERN se reunirão em Assembleia na próxima quarta-feira (19) às 9h na sede da ADUERN, a fim de discutir a posição da categoria sobre o indicativo de greve geral para os dias 09 ou 11 de novembro.

Outro ponto que deve ser discutido na Assembleia da ADUERN é o caráter desta Greve Geral.  A categoria deverá apontar se defende a suspensão das atividades durante apenas um dia ou se apoiará a paralisação por tempo indeterminado.

As definições serão levadas para a Assembleia Unificada do Funcionalismo Estadual, onde as categorias vão deliberar conjuntamente sobre a possibilidade e o formato desta greve. A atividade acontece no dia 21/10 a partir das 9h,  na Praça Cívica, em Natal.

DIA 21

Os docentes da UERN participam, no dia 21, de uma nova Assembleia Unificada dos Servidores Estaduais, onde será definido de que forma as categorias irão se inserir nas próximas lutas. Após a assembleia, as categorias sairão em marcha pelas ruas do Natal, reivindicando pagamento dos salários em dia e contra o pacote de ataques contra o serviço público.

Na oportunidade, os docentes da  UERN paralisarão suas atividades e se integrarão à mobilização estadual.  A primeira Assembleia Unificada foi realizada no dia 29/09 e reuniu centenas de trabalhadores trabalhadoras do funcionalismo público.

Compartilhe:

Prefeitura de Mossoró encara greve geral a partir de segunda-feira

greve-geral

Os servidores municipais acabam de aprovar uma greve geral por tempo indeterminado a partir da próxima segunda-feira. A decisão foi tomada em assembleia há poucos minutos.

A única categoria que não cruzar os braços é a dos professores que entenderam estar na reta final do ano letivo.

Atrasos de salários, compromissos não cumpridos e falta de condições de trabalhos em praticamente todos os setores contribuíram para a decisão.

Compartilhe: