Para presidente da Câmara, MDB está “se acabando” no RN por falta de diálogo e liderança

No programa Meio-Dia Mossoró da 95 FM a presidente da Câmara Municipal de Mossoró Izabel Montenegro (MDB) relatou que o partido dela vive a maior crise de sua história.

Para a parlamentar a falta de diálogo levou o partido a esta situação. “O MDB já teve muitas crises, mas essa é a maior de todas. Aqui no Rio Grande do Norte está se acabando por estar faltando diálogo e liderança”, disparou.

A vereadora citou o caso do deputado estadual Hermano Morais que está deixando o MDB e lembrou que o prefeito de Natal Álvaro Dias pode sair também. “Vão sobrar com mandato mais relevantes Walter Alves (deputado federal) e Nelter Queiroz (deputado estadual) que é mais independente”, lembrou.

Ela reforçou que as declarações de Walter atacando o ex-ministro Henrique Alves não foram boas para o MDB. “Henrique já deixou claro que está fora da militância partidária”, argumentou.

O presidente estadual do MDB é o ex-senador Garibaldi Alves Filho.

Compartilhe:

Izabel revela que pediu audiência com Rosalba para defender retirada de projeto

Entrevistada hoje no Meio-Dia Mossoró da 95 FM Izabel Montenegro (MDB) revelou que solicitou duas vezes uma audiência com a prefeita Rosalba Ciarlini (PP) para pedir a retirada do projeto que acaba com o desconto da contribuição sindical em contracheque.

“Infelizmente a prefeita não pôde me receber, mas já deixei bem claro que não concordo com esse projeto. Eu poderia ficar em silêncio até porque não voto, mas não vou ficar”, frisou.

A presidente da Câmara também criticou a prefeita por não dialogar com o legislativo. “Não só neste projeto (do fim do desconto da contribuição sindical), mas em outros não qualquer diálogo. Simplesmente mandam sem pedir a opinião da bancada. Também gostaria de falar disso e outros assuntos na audiência”, disparou.

Nota do Blog: ainda hoje traremos outro trecho da entrevista de Izabel ao Meio-Dia Mossoró.

Compartilhe:

Izabel convoca Rosalba à sensatez

Izabel mostra inutilidade de projeto (Foto: BSV)

“Não existe servidor, nem trabalhador forte sem sindicato. A união é quem faz a força de cada categoria. Eu já fui diretora do sindicato e sempre fui sindicalizada. Não vejo nenhum ponto positivo para o Município em tirar essa contribuição da folha de pagamento”.

A frase acima não foi proferida por um sindicalista ou político de esquerda. As palavras são da presidente Izabel Montenegro (MDB) em entrevista ao jornalista Saulo Vale no programa Enfoque Político da Super TV.

A prefeita quer enfraquecer o Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Mossoró (Sindserpum) com a retirada do desconto das contribuições dos contracheques.

Izabel sabe que a ideia não é boa para nenhuma das partes e invoca o bom senso em outra parte da entrevista:

“Eu acho que se for possível a prefeita [Rosalba Ciarlini] reveja essa posição. Não acho que seja demérito de ninguém repensar posições já tomadas”.

Nota do Blog: admirável a racionalidade de Izabel Montenegro.

Compartilhe:

TJRN mantém absolvição de vereadora e ex-vereador de Mossoró

A decisão da 3ª Vara Criminal de Mossoró foi mantida pelos desembargadores da Câmara Criminal do TJRN e, desta forma, os vereadores João Newton da Escóssia Júnior e Maria Izabel Araújo Montenegro permanecem absolvidos das imputações do artigo 312 (Peculato) combinado ao artigo 327 do Código Penal. O órgão julgador considerou, à unanimidade, que o dolo dos acusados no suposto desvio de valores descritos na denúncia, em proveito de uma terceira pessoa, não foi suficientemente demonstrado ou que ingressaram no seu patrimônio pessoal.

O Ministério Público sustentou, dentre outros pontos, que existem provas a embasar a condenação, sobretudo por se achar configurado o fato de que a segunda denunciada, Maria Izabel Araújo, ter recebido diárias, autorizadas pelos outros denunciados, sem o subsequente deslocamento ao local. Os fatos ocorreram em 2005, quando Escóssia era presidente da casa legislativa de Mossoró. “Como bem pontuado pelo Juízo inicial, as provas obtidas na espécie dão conta apenas e, no máximo, à desordem administrativa estabelecida na Câmara Municipal de Mossoró na época dos fatos, cabendo aos parlamentares, inclusive, a plena e total autonomia no pedido e processamento de diárias”, reforça a Câmara Criminal.

A sentença, mantida no órgão julgador, considerou que a omissão do recebedor de recursos públicos em prestar contas mais se aproxima de ato de improbidade administrativa do que do delito de peculato em sua modalidade desvio. “Constatando-se as irregularidades dos procedimentos administrativos de concessão de diárias, em clara dissonância com as normas estabelecida em Resolução do Tribunal de Contas, deverá o MP buscar a apuração da irregularidade em ação própria”, define.

Com informações da Assessoria do TJ

 

Compartilhe:

Izabel sobre “treta” no MDB/RN: ‘Se unidos é difícil, divididos fica impossível’

Blog Carol Robeiro

A presidente estadual do MDB Mossoró, Izabel Montenegro, conversou sobre o racha que existe entre Walter Alves e Henrique Alves no Estado. Ela se refere à polêmica que aconteceu na semana passada, em que o deputado federal resolveu tornar público através do seu endereço no twitter o desentendimento com o líder histórico do partido (veja abaixo).

A presidente da Câmara de Mossoró disse que primeiro é necessário esperar Garibaldi Alves se recuperar da cirurgia. Ela conta que conversou com Henrique Alves e “sentiu” que a intenção dele é apagar esse incêndio.

“Não é bom para o MDB, que não vive um momento bom no país e no estado, continuar com essa briga entre Garibaldi, Henrique e Walter. Garibaldi e Henrique são primos-irmãos, sempre se deram muito bem e o resultado das urnas mandou um recado: não foi fácil, Walter quase perdeu. Se unidos é difícil, divididos fica impossível”, diz.

Veja entrevista com Izabel:

Compartilhe:

Câmara derruba dois vetos da prefeita Rosalba Ciarlini

Transplantados e renais comemoram derrubada de veto (Foto: cedida)

A Câmara Municipal de Mossoró derrubou dois vetos assinados pela prefeita Rosalba Ciarlini (PP) na sessão de hoje.

O primeiro veto foi ao projeto da vereadora Aline Couto (sem partido) que institui o programa de transporte de pacientes renais e transplantados.

O segundo veto derrubado é um projeto do vereador Genilson Alves (PMN) que disciplina a resposta do poder executivo aos requerimentos e indicações dos parlamentares. Agora o retorno tem que ser no máximo em 30 dias.

As matérias se tornarão leis a serem promulgadas pela presidente da Câmara Municipal Izabel Montenegro (MDB).

Compartilhe:

A estranha hora para armar segurança do Hospital Tarcísio Maia

A presidente da Câmara Municipal Izabel Montenegro (MDB) trouxe ao debate no plenário hoje a informação de que os seguranças do Hospital Regional Tarcísio Maia estão armados.

A estranheza causada em Izabel é pelo fato de a medida constranger pacientes e familiares.

Enxergo por outro ângulo: diante dos assaltos em equipamentos de saúde que são recorrentes em Mossoró torna necessário ter segurança armada (não confundam com armar o cidadão comum sem treinamento) no HRTM.

A questão é a época escolhida.

Os servidores da saúde estão em greve e os ânimos andam acirrados entre categoria e a direção do hospital.

Péssima hora para uma ideia razoável.

 

Compartilhe:

Câmara reduz tempo do recesso parlamentar

Izabel e Ozaniel Mesquita são autores de projeto (Foto: Edilberto Barros/CMM)

A Câmara Municipal de Mossoró acrescentou 38 oito dias às atividades de plenário, ao reduzir recesso parlamentar dos atuais 90 dias para 52 dias. Os vereadores aprovaram a mudança, na sessão desta terça-feira (19).

O recesso compreendia todo o mês de julho (30 dias) e de 15 de dezembro a 15 de fevereiro (60 dias). Agora, será de 17 de julho a 1º de agosto (14 dias) e de 23 de dezembro a 1º de fevereiro (38 dias) – 52 dias, ao todo.

A mudança foi introduzida no Regimento Interno da Câmara e na Lei Orgânica do Município, em proposições conjuntas de autoria dos vereadores Ozaniel Mesquita (PR) e Izabel Montenegro (MDB).

Mais produção

Ozaniel Mesquita explica que, com a mudança, o recesso do Legislativo de Mossoró se equipará ao do Congresso Nacional, e Izabel Montenegro observa que a alteração dará mais produtividade ao Plenário. “São muitos projetos dos vereadores para serem votados, e ocorria de terminar Legislatura, sem que todas as matérias fossem apreciadas. Com mais sessões, esperamos limpar completamente a pauta”, diz a presidente.

O vereador Alex Moacir (MDB) lembra que o recesso se resume às sessões. “Ressalta-se que, no recesso, os gabinetes dos vereadores e demais atividades parlamentares continuam a funcionar normalmente”, observa.

Compartilhe:

Izabel vai ao TCE cobrar posição sobre verba de gabinete

Izabel vai ao TCE cobrar parecer (Foto: Edilberto Barros)

A presidente da Câmara Municipal Izabel Montenegro (MDB) está cumprindo agenda hoje em Natal. Na pauta a questão da verba de gabinete.

Ela vai cobrar uma resposta do Tribunal de Contas do Estado (TCE) à consulta feita a respeito do pagamento da verba de gabinete com base na nova lei aprovada na Câmara Municipal.

“Li uma nota na Tribuna do Norte que o TCE teria dito que não iria responder uma consulta sobre o que já tinha se posicionado ao se referir a verba de gabinete”, disse.

Izabel tem deixado bem claro que só pagará a verba de gabinete quando tiver uma posição da corte de contas que proibiu o pagamento do benefício em abril de 2016.

Conta

Outra cobrança que Izabel foi fazer no TCE diz respeito às contas da Prefeitura de Mossoró que tem seis anos (ver AQUI) acumulados sem análises. É com base na avaliação dos conselheiros que a Câmara Municipal se posiciona a respeito das contas.

Compartilhe:

Acordo garante proposta para reduzir recesso da Câmara Municipal

Vereadores chegam a acordo sobre proposta (foto: Regy Carte)

O plenário da Câmara Municipal de Mossoró deverá votar, próxima semana, em caráter de urgência, redução do recesso parlamentar. Conforme a proposta, será reduzido quase pela metade: dos atuais 90 dias para 52 dias. Corte de 38 dias.

Em reunião, na manhã de hoje (21), os vereadores Izabel Montenegro (MDB) e Ozaniel Mesquita (PR), autores de duas proposições sobre o mesmo tema, chegaram a um acordo para apresentar o texto de forma conjunta.

Hoje, o recesso no plenário da Câmara compreende todo o mês de julho (30 dias) e de 15 de dezembro a 15 de fevereiro (60 dias).

Encurtamento

A proposta que será submetida aos demais vereadores será de 17 de julho a 1º de agosto (14 dias) e de 23 de dezembro a 1º de fevereiro (38 dias), o que totalizará os 52 dias.

A medida será apresentada na forma de Projeto de Resolução (regulamentação interna na Câmara) e de Projeto à Lei Orgânica do Município (fixação na “Constituição Municipal”).

Compartilhe: