Fora da prisão, Laíre voltará a atuar como médico

laire-rosado

O ex-deputado federal Laíre Rosado deixou o Centro de Detenção Provisória de Apodi no último sábado. Como o Blog já tinha antecipado (ver AQUI) ele passou a cumprir a pena em regime semiaberto.

Nessa condição ele pode trabalhar sob monitoramento de tornozeleira eletrônica.

O Blog apurou junto a pessoas próximas a família que ele vai descansar por alguns dias e em breve voltará a atuar como médico.

Laíre foi preso no último dia 22 de março quando estava clinicando na UPA do Belo Horizonte. Sábado ele deixou o CDP de Apodi.

Compartilhe:

STJ reduz pena de Laíre e abre caminho para regime semiaberto

laire

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) diminuiu a pena do ex-deputado federal Laíre Rosado. A sentença foi proferida no mês de maio.

A pena de Laíre foi reduzida para sete anos e cinco meses. Antes era de 11 anos e dois meses. Isso dá ao ex-deputado a chance de cumprir a sentença em regime semiaberto.

Por causa disso, os advogados de Laíre entraram com um pedido de Habeas Corpus para que ele mudasse o tipo de regime.

No entanto, em decisão monocrática publicada em 5 de junho o ministro Antonio Saldanha Palheiro não analisou a decisão alegando que esse tipo de recurso cabe ao Supremo Tribuna Federal (STF). “Nesse contexto, é de se concluir que o Superior Tribunal de Justiça não possui competência para apreciar o presente habeas corpus , devendo-se, na espécie, observar o art. 102, I, “i”, da CF, segundo o qual compete ao Supremo Tribunal Federal julgar a impetração, em casos cujo o ato coator advém de Tribunal Superior ou de seus membros”, alegou.

Laíre está preso desde 22 de março sob a alegação de envolvimento com a Máfia dos Sanguessugas.

Compartilhe:

Laíre Rosado está prestes a deixar a prisão

laire

O ex-deputado federal Laíre Rosado está prestes deixar o Centro de Detenção Provisória de Apodi. O Blog do Barreto foi informado agora pela manhã que ele passaria a cumprir prisão domiciliar. A decisão judicial já estaria tomada e aguardando apenas a execução.

Ele cumpre pena de 11 anos desde o dia 22 de março.

No entanto, existe uma outra informação checada com pessoas próximas a família de que o ex-deputado passaria a cumprir regime semiaberto que permite trabalhar de dia e dormir na prisão a noite.

No entanto, paira uma dúvida porque ele ainda não cumpriu 1/6 da pena.

Compartilhe:

Como fica o grupo de Sandra Rosado após a prisão de Laíre?

a-100

Não precisa ser gênio da análise política para dizer que o grupo da vereadora e ex-deputada federal Sandra Rosado (PSB) vem perdendo capital político nos últimos anos. O pós-eleição de 2012, quando o grupo esteve muito próximo de ganhar a Prefeitura de Mossoró, só registrou retrocessos.

Embora bem votadas em Mossoró, Sandra e a deputada estadual Larissa Rosado não se reelegeram em 2014. Hoje a mãe é vereadora com votação muito aquém das expectativas e a filha só está no exercício do mandato graças a um acordo político em 2016 que colocou Álvaro Dias na condição de vice do prefeito de Natal Carlos Eduardo Alves, abrindo uma vaga na da coligação que apoiou Henrique Alves em 2014.

O grupo hoje é um apêndice do rosalbismo numa união de rosados com ares de mera mistura política de ocasião. Sandra não teve força para indicar o vice da prefeita Rosalba Ciarlini em 2016. Também não conseguiu apoio para ser presidente da Câmara Municipal. A própria indicação de Lairinho Rosado para a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico foi a duras penas e ele assumiu uma pasta que mais lhe traz problemas do que alguma oportunidade de evolução política.

A aliança com outrora arqui-inimigo rosalbismo não trouxe dividendos políticos ao grupo de Sandra. Pelo contrário, a facção política se apequenou, perdendo o comando da oposição em Mossoró, ao se submeter como mero penduricalho de Carlos Augusto Rosado.

O rosadismo também não está bem situado dentro do PSB, tanto que a própria Sandra chegou a admitir a possibilidade de trocar de partido. O grupo não tem estrutura financeira e está com a aguerrida militância desanimada com a aliança com o rosalbismo onde poucos foram indicados na estrutura do município.

A prisão de Laíre é um fator a mais para o enfraquecimento do capital político do grupo de Sandra Rosado.

O futuro de um dos mais tradicionais grupos políticos do Rio Grande do Norte é incerto e recheado de percalços colocando em risco a reeleição de Larissa Rosado e o retorno de Sandra à Câmara dos Deputados.

Talvez a parceria política com o PSDB do presidente da Assembleia Legislativa Ezequiel Ferreira de Souza pode ser a luz no fim do túnel (tema para outro texto).

Hoje é difícil mensurar qual o tamanho do grupo de Sandra em Mossoró, mas a olho nu percebe-se a inanição política.

Compartilhe:

Quando a gratidão se choca com o profissionalismo

maxresdefault (1)

O jornalismo é o exercício diário da democracia e do dever com o interesse público doa a quem doer, inclusive o próprio jornalista. Ao contrário do que pensam alguns, não há glamour na profissão.

Os jornalistas são seres humanos e a gratidão é um sentimento forte entre pessoas normais. A profissão em algum momento pode jogar nossos sentimentos pessoais contra os deveres profissionais.

Ontem tive uma sensação estranha ao ter que noticiar a prisão do ex-deputado federal Laíre Rosado. Não se trata de um político qualquer para mim. Durante 12 anos ele foi como uma pessoa de minha família a quem sempre terei gratidão.

Com ele aprendi muitas coisas e ouvi conselhos importantes não só para o jornalismo como para a vida. Foi no jornal dele onde dei meus primeiros passos na profissão que tanto amo. Foi na TV e rádio dele que assumi funções que me escancararam portas para o crescimento profissional. Não tenho como negar meu sentimento de gratidão como também não posso me furtar ao dever de informar.

Para mim é difícil acreditar que Laíre tenha se envolvido em esquema de desvio de mais de R$ 100 milhões na saúde. Ironia do destino: ele, médico, estava atendendo pacientes quando foi preso.

Quem conhece Laíre de perto sabe o quanto ele é educado, culto e respeitoso. Crime e a personalidade de Laíre não deveriam caber em uma mesma frase. É duro vê-lo preso como seria com qualquer outro amigo e parente meu.

Ontem cumpri meu dever de noticiar os fatos, mas não poderia também abrir mão de demostrar minha gratidão a Laíre em um momento tão difícil para ele e sua família. Separar sentimentos é uma tarefa muito complicada, mas ser injusto com a própria consciência não é honesto.

Mesmo com o dever de noticiar os fatos é preciso registrar a gratidão.

Compartilhe:

Laíre é transferido para CDP de Apodi

O ex-deputado federal Laíre Rosado foi transferido ontem à noite para o Centro de Detenção Provisória de Apodi. Ele se encontra em uma cela especial individual por ser advogado, médico e idoso.

O CDP de Apodi é considerado referência em respeito aos Direitos Humanos e ressocialização de detentos, inclusive recebendo destaque em nível nacional.

Laíre, preso ontem quando atendia pacientes na UPA do Belo Horizoente, cumpre 11 anos e dois meses de prisão confirmada em segunda instância por envolvimento na Máfia dos Sanguessugas.

Compartilhe:

Em nota, família reforça certeza na inocência de Laíre

Abaixo nota da família do ex-deputado federal Laíre Rosado:

Surpreendidos pelas medidas judiciais aplicadas a Laíre Rosado na tarde dessa quinta-feira, 22/03, temos a considerar:

 

1.    Que não há condenação definitiva contra Laíre Rosado;

 

2.    Foi interposto recurso especial junto ao Superior Tribunal de Justiça – STJ, admitido no exame inicial;

 

3.    Que a execução antecipada de uma pena se confronta com os princípios constitucionais da presunção de inocência, da ampla defesa e do duplo grau de jurisdição;

 

4.    Nós, familiares e amigos, sabedores do caráter e boa índole de Laíre, aguardamos e confiamos na justiça dos homens, mas especialmente na justiça de Deus.

 

 

Agradecemos a todos pelos gestos de solidariedade por nós recebidos.

 

A Família

Compartilhe:

Prisão de Laíre ainda não é definitiva

O Blog do Barreto teve acesso a decisão do Paulo Cézar Alves Sodré que determinou a prisão do ex-deputado federal Laíre Rosado. A condenação que ele começou a cumprir hoje não é definitiva.

Segundo a própria ordem de prisão, Laíre foi condenado a 11 anos e dois meses de prisão em primeira e segunda instância. Como ainda cabem recursos, o magistrado deixa bem claro que a pena está em caráter provisório. “No caso dos autos, o réu foi condenado em primeira instância, cuja condenação foi confirmada em segunda instância pelo Tribunal Regional Federal da 1ª Região, pendente apenas o julgamento de Recurso Especial e Extraordinário”, explicou.

O magistrado seguiu a jurisprudência que prevê prisão dos condenados em segunda instância.

Compartilhe:

Ordem de prisão de Laíre não prevê transferência para o Mato Grosso

A ordem de prisão expedida pelo juiz Paulo Cézar Alves Sodré para o ex-deputado federal Laíre Rosado prevê que ele inicie o cumprimento da pena em Mossoró. Por isso ele foi encaminhado à Cadeia Pública.

“Realizada a prisão, expeça-se guia de execução penal provisória encaminhando-a ao Juízo Estadual competente, do local onde estiver preso o réu.”, explicou.

Outro detalhe é que a ordem de prisão foi assinada no dia 27 de fevereiro, quase um mês atrás.

Em 7 de março ele ainda rejeitou embargos de declaração solicitado da defesa de Laíre.

A legislação prevê que o preso fique o mais próximo do local onde ele tem residência fixa, mas há casos como o do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha que tem domicílio no Rio de Janeiro e cumpre pena em Curitiba.

Compartilhe: